Dilma em campanha e o mais petista dos tucanos

A eleição de 2014 já começou, é fato. Os lances dos partidos políticos envolvidos na disputa pelo poder são de ocupar espaço na imprensa com inaugurações e promessas de novas obras de um lado e do outro, caso da oposição, com críticas sobre falhas de gestão.

Quase no mesmo instante em que a presidenta Dilma Rousseff inaugurava parte do canal do sertão em solo alagoano e anunciava novos investimentos, os tucanos faziam uma discussão em Brasília criticando o governo do PT pelo abandono, pelo uso político e defendendo a reestatização da Petrobras.

Aqui em Alagoas, o governador Téo Vilela não tá, e já faz tempo, nem aí pra isso. Ele é só elogios à presidenta Dilma e ao ex-presidente Lula. Faz tudo para agradá-los, vinculando cada vez mais, de olho na disputa para o senado, o seu nome aos de Dilma e Lula com declarações e gestos de carinho, desde o seu primeiro mandato.

Aliás, desde o seu primeiro mandato que o tucano não faz uma crítica ao governo federal e evita participar de eventos políticos do seu partido, o PSDB, principal opositor do PT na esfera nacional.

 Afinal de contas, o tucano mais petista de todos sempre soube que sem a ajuda financeira do governo federal seria impossível governar Alagoas.  Sem esse aporte financeiro, talvez o PSDB local não tivesse conseguido manter-se no poder até hoje, dada a péssima gestão nas áreas de saúde, educação, segurança pública, por exemplo.

Infelizmente, na propaganda oficial do governo sobre o canal do sertão, assim como ocorrera na duplicação da AL-101 sul e nos recursos liberados para a área de segurança, a ação fundamental do governo federal é deixada de lado, ou seja, o tucano mais petista silencia o bico.