A Igreja Católica participa da campanha de combate à dengue na Bahia. O estado é o que apresenta a situação mais preocupante entre os sete onde a doença se alastra.

 

Sessenta e cinco por cento dos municípios da Bahia registraram casos de dengue. Sete decretaram situação de emergência. De janeiro até a terceira semana de março, mais de 32 mil pessoas ficaram doentes, o que significa um aumento de 305% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

O último boletim da Secretaria de Saúde do estado informa que foram 29 mortes confirmadas até 21 de março. Mas, na última semana, seis pessoas morreram com suspeita de dengue. Entre elas, uma menina de 7 anos. A família procurou um hospital de Feira de Santana (BA), mas a menina foi liberada e morreu, em casa.

 

A campanha para conscientizar a população para o combate ao foco do mosquito transmissor da doença está envolvendo até a Igreja Católica, com participação direta dos padres, nas missas ou através da Pastoral da Saúde. Para o padre Bento Viana, é importante o envolvimento de toda a população.

 

A preocupação agora é com Salvador. A capital registrou 173 casos até a segunda semana de março. Foram 12 de dengue hemorrágica. Com a chegada da chuva, o problema deve piorar.