Após um ano e cinco meses, o Corinthians volta a vencer um clássico. O Timão bateu o Santos por 1 a 0, neste domingo, no Pacaembu, e segue invicto no Paulistão. A última vitória corintiana em clássicos havia sido no dia 7 de outubro de 2007, contra o São Paulo, pelo Brasileirão. Já o Peixe perde sua primeira partida sob o comando de Vagner Mancini, que assumiu há oito jogos. Às vésperas do clássico, Neymar e Ronaldo protagonizaram o noticiário. No entanto, nenhum dos dois fez jus às expectativas. Quem brilhou foi Dentinho, que acertou cabeçada certeira para dar a vitória à equipe do Parque São Jorge.

Com o resultado, o Timão vai 33 pontos e segue na vice-liderança do Paulistão. Já o Peixe, com 27, cai para o sexto lugar e termina a 15ª rodada fora do G-4.

O Santos volta a jogar na próxima quarta-feira, contra o Santo André, na Vila Belmiro. O Corinthians, também na quarta, recebe a Ponte Preta, no Pacaembu.

Melhor posicionado, Timão sai na frente

A opção de Vagner Mancini por um time mais ofensivo comprometeu o jogo do Santos. Isso porque ele esperava que Neymar pudesse ajudar Lucio Flavio a armar jogadas. No entanto, o garoto, visivelmente nervoso, não conseguia acertar passes. Nem os mais simples. O mesmo acontecia com Lucio, que ficou perdido no meio, facilmente anulado pela marcação corintiana.

Sem poder de armação, o Peixe dava campo para o Corinthians jogar. Elias, Cristian, Boquita e Douglas, com bons passes, conseguiam envolver os santistas facilmente. Sempre em desvantagem, os volantes do Peixe, Germano e Souto, ficaram sobrecarregados. Tanto que com 20 minutos de jogo os dois já haviam recebido cartões amarelos.

Bem à vontade e muito melhor posicionado, o Timão começou a ameaçar logo aos 12, quando Dentinho recebeu bom cruzamento de Boquita e cabeceou com perigo. Aos 15, porém, Dentinho não erraria o alvo. Douglas acertou bom cruzamento da esquerda e o garoto corintiano subiu livre para escorar, estufando a rede.

A partir dos 30 minutos, o jogo tornou-se monótono. O Santos passou a rondar mais a área do Corinthians, mas não conseguia entrar para tentar o gol porque errava passes demais. O Timão tinha espaços para contra-atacar, mas também desperdiça toques.

Neymar, que vinha apagado, só conseguiu sua primeira jogada somente aos 40 minutos, quando recebeu pelo meio e arriscou chute de fora da área. Felipe mandou para escanteio. Ronaldo, outro protagonista do duelo, também só conseguiu um chute de fora da área, defendido por Fábio Costa.  

Jogo melhora

O segundo tempo foi bem mais movimentado. O Santos tomou a iniciativa e partiu para cima do Corinthians em busca do empate. Neymar teve sua primeira grande chance para marcar aos 8, quando recebeu de Roni, invadiu a área, mas não conseguiu dominar e chutou fraco. Felipe defendeu. Seis minutos depois, o garoto santista foi substituído por Madson.

Com as investidas do Santos, o Corinthians tinha mais espaços para criar jogadas e respondeu aos 12 minutos, quando Ronaldo recebe pela direita, ganha de Triguinho e chuta forte, mas sem direção. Logo em seguida, aos 16, o Fenômeno sofreria a sua primeira falta desde que voltou a jogar no Brasil. Fabão o puxou pela camisa no meio-de-campo. Aos 36, o camisa 9 foi substituído por Jorge Henrique. Apesar de não ter sido fenomenal, saiu aplaudido pela Fiel.

O jogo continuava corrido, mas nenhum dos dois times chegada, efetivamente, a ameaçar o goleiro adversário. O Santos tinha o domínio da bola, envolvia o Corinthians, mas não conseguia entrar na área do rival. Já o Timão tinha espaços para contra-atacar, mas não conseguia arrematar a gol com perigo.

Ao final do jogo, o Peixe se lançou ao ataque de qualquer maneira, sem organização, e, com isso, não levou perigo ao Corinthians, que apenas controlou o ímpeto do adversário, esperando o tempo passar.