O Citigroup informou que hackers invadiram sua rede de computadores e ganharam acesso a dados de cerca de 200 mil clientes de cartões bancários na América do Norte.

O Citi informou que nomes de clientes, números de contas e informações de contato, entre as quais endereços de e-mail, foram obtidos pelos hackers na invasão. Segundo o jornal "Financial Times", o ataque foi descoberto pelo banco no começo de maio.

No entanto, o Citi informou que outros dados, tais como datas de nascimento, números de previdência social, datas de vencimento e códigos de segurança dos cartões, não haviam sido comprometidas.

"Estamos contatando os clientes cujas informações foram afetadas. O Citi adotou procedimentos mais seguros para impedir que esse tipo de acontecimento ocorra de novo", afirmou Sean Kevelighan, porta-voz do banco nos Estados Unidos, em mensagem de e-mail. "Para a segurança desses clientes, não estamos revelando outros detalhes", acrescentou. Na breve mensagem, o banco não revelou de que maneira ocorreu a brecha.

Atraso
Outro porta-voz do banco, James Griffiths, em Hong Kong, disse que o ataque havia afetado 1% dos clientes de cartões bancários do Citi na América do Norte, um total de 21 milhões de correntistas, de acordo com o balanço anual do grupo.

Para analistas, o Citi pode sofrer críticas pela demora em informar seus clientes. "Isso pode ser assunto do banco, mas são informações pessoais dos consumidores, e eles merecem ser informados sobre violações de segurança imediatamente", disse Dan Simpson, porta-voz do Consumer Action Law Center, um grupo australiano de defesa do consumidor. "É difícil ver motivo para que esse tipo de violação de segurança não tenha sido revelado muito mais cedo", afirmou.

O Citi anunciou que tinha descoberto o acesso não autorizado ao Citi Account Online, um serviço bancário on-line, como parte de sua fiscalização de rotina.