As autoridades francesas proibiram redes de televisão e rádios de usar frases de promoção como "Nos procure no Facebook" ou "Siga-nos no Twitter". A proibição foi adotada no dia 27 de maio em resposta à consulta de uma emissora, mas passou quase despercebida nos meios de comunicação tradicionais até que os blogueiros começaram a criticar a lei.

O Conselho Superior de Audiovisual da França alega que a menção das redes sociais pelo nome pode violar uma proibição francesa à publicidade disfarçada por meio de mídias eletrônicas.

A assessoria de imprensa do conselho disse à agência Associated Press que recomendou aos meios de comunicação de massa que usem o termo genérico "mídias sociais", quando se referirem a alguma promoção de ofertas online, e que se refiram ao Twitter e Facebook somente quando uma reportagem ou programa faça uma referência bastante específica.

Muitos blogueiros franceses não só criticaram a regulamentação, mas também a ridicularizaram.