Rodrigo Cunha: Cadê o Iphone que estava aqui?

Foto: Vanessa Alencar/CadaMinuto/Arquivo F7d83d04 f6a2 4bb8 9fd6 26ea119d5c07 Deputado Rodrigo Cunha

Em meio às discussões sobre o requerimento de urgência para tramitação do Projeto que reestrutura o AL Previdência, o breve "sumiço" do aparelho celular do deputado Rodrigo Cunha (PSDB), gerou um episódio inusitado no plenário da Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 03.

Durante a sessão, o parlamentar anunciou que seu IPhone 6 havia sumido do plenário e apelou que, se alguém tivesse visto o aparelho, lhe avisasse.

O pedido surpreendeu, constrangeu e gerou risos entre os colegas, com alguns correndo para apontar em direção às câmeras de segurança, caso fosse preciso instalar uma CPI...

Minutos depois da saia-justa, o deputado Ronaldo Medeiros (PT), que presidiu a sessão, informou o paradeiro do telefone: estava no gabinete de Rodrigo Cunha.

Ufa!

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Senador quer penas mais duras para condutor embriagado que mate no trânsito

Foto: Agência Senado 66e334e6 e5b6 4f4f b898 602499978f25 Senador Raimundo Lira

O senador Raimundo Lira (PMDB/PB) pretende apresentar um projeto de lei aumentando a pena para os motoristas embriagados que causem mortes no trânsito. Ele também defende que o crime seja inafiançável.

De acordo com reportagem divulgada pela Agência Senado, o parlamentar destacou que sanções administrativas e penais não têm sido suficientes para prevenir os homicídios praticados por condutores sob efeito de álcool (ou de outras substâncias psicoativas) ou durante disputas clandestinas, os “rachas”.

O parlamentar pediu apoio dos colegas para o projeto, alegando que ele contribuirá para o aperfeiçoamento da legislação penal. Ele defendeu que a rigidez das leis tem um papel preponderante de inibir o crime.

Obviamente que ações criminosas não são coibidas apenas com leis mais duras, mas que isso ajuda, ajuda.

Sem contar que é válida qualquer medida que deixe claro que, quando um condutor decide dirigir embriagado e mata alguém com seu veículo, #NãoFoiAcidente.

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Portabilidade: depois da telefonia, será a vez da conta de luz?

Assessoria 7d3d708f a320 42a7 8c37 31b1780ea4fd Pedro: "hora da limpeza ética"

O Projeto de Lei 1917/2015, que possibilita a portabilidade da conta de luz, foi aprovado nesta semana na Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados. De autoria do deputado federal alagoano Pedro Vilela (PSDB), em conjunto com outros cinco parlamentares, a proposta permite que os consumidores escolham uma operadora de eletricidade e possam mudar de empresa sem prejuízo de atendimento.

"Isso incentiva a concorrência e faz com que o mercado se torne mais eficiente e com o serviço de melhor qualidade", destacou Vilela, explicando que a liberdade de escolha se refere à aquisição a energia elétrica em si, mas não se aplica ao uso das redes de transmissão e distribuição, que são de propriedade das concessionárias locais por serem atividades monopolistas, como é o caso da Eletrobras Alagoas.

“Os consumidores continuarão pagando pelo uso da rede à concessionária à qual está ligado, no nosso caso, à Eletrobras, mas com a diferença de que a energia efetivamente consumida poderá ser adquirida de outro fornecedor ou agente comercializador”, disse, ressaltando que a iniciativa permitirá a negociação de preços e condições de fornecimento, como já acontece com os grandes consumidores.

"No caso de Alagoas, que sofre muito com o serviço deficiente da Eletrobras, o projeto de lei vai incentivar melhorias, sem contar que o alagoano poderá ser um consumidor de livre escolha, não se prendendo à estatal", disse Vilela.

Merece atenção a matéria, que ainda precisa passar por pelo menos mais três comissões na Câmara antes de ser apreciada em plenário.

 

(Com informações da Assessoria)

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Oposição pode se unir para tentar vencer Rachel na disputa pela Ufal

Foto: Ascom/Ufal 32570459 adc9 4fe0 be52 92b1cf7a9014 Valéria e Raquel

As candidatas à reitoria da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), professoras Valéria Correia (Chapa 01) e Rachel Rocha (Chapa 02), atual vice-reitora, têm apenas uma semana até o histórico segundo turno da disputa, marcado para a próxima quinta-feira, 05, em todos os campi da instituição.

Com a diferença pequena entre as chapas – a de Raquel Rocha obteve 38,23% dos votos gerais e a de Valéria, 35,44% - a expectativa agora gira em torno do apoio do professor Marcio Barboza (Chapa 3), que ficou em terceiro lugar na disputa com 26,33% dos votos.

A tendência é que Barboza apoie a candidata da oposição.

Juntas, as duas chapas de oposição obtiveram o apoio de mais de 71% dos estudantes, quase 63% dos técnicos administrativos e quase 50% dos docentes,

Para o segundo turno, os apoiadores de Valéria contam com o que consideram uma alta rejeição da candidata da situação. 

Por outro lado, Rachel contou com o apoio de pelo menos metade dos docentes que foram às urnas no dia 28.

É esperar para ver...

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Gastos de vereadores com verba indenizatória serão divulgados

Foto: Vanessa Alencar/CadaMinuto/Arquivo 14008788600083 Kelmann Vieira

O presidente da Câmara Municipal de Maceió (CMM), Kelmann Vieira (PMDB), anunciou que, até o final do ano, vai divulgar no Portal da Transparência todos os gastos dos vereadores com a Verba Indenizatória de Atividade Parlamentar (Viap).

Segundo a assessoria de Comunicação da CMM, cada um dos 21 vereadores recebe R$ 10.500 por mês para despesas como alimentação de assessores e compra de material de escritório, limpeza e higiene.

Vieira explicou que os vereadores já prestam contas mensalmente desses gastos, mas agora eles poderão ser acompanhados pela população.

Juntamente com outras medidas adotadas pela atual gestão - como a implantação do ponto eletrônico -, a divulgação das informações é não somente válida, como já deveria ter sido feita.

Depois que Kelmann anunciou na sessão de ontem (28), que pela primeira vez na história da Casa, o Orçamento para 2016 deve ficar congelado (em R$ 55 milhões), o vereador Cleber Costa (PT), foi sincero ao elogiar as medidas e expressar o que muitos estão (apenas) pensando: “Confesso, presidente, que o senhor tem me surpreendido”.

Por falar em surpresa, a vereadora Silvania Barbosa foi além ao anunciar que irá apresentar emendas reduzindo em 5% o duodécimo da Casa e em 50% o salário dos vereadores o que, segundo ela, geraria uma economia de R$ 11 milhões/ano.

A propósito: de acordo com um estudo divulgado este ano pela ONG Transparência Brasil, Maceió gasta, mensalmente, mais de R$ 55 mil por vereador, entre salário, verba indenizatória, verba de gabinete e outras despesas.

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Projeto quer endurecer penas para quem descumprir Lei da Transparência

Foto: Agência Senado 6fc9238e 0111 4360 9409 f9c743b079c7 Senador João Capiberibe

Como de praxe no Brasil, um projeto (570/2015) pretende criar uma lei para fazer cumprir uma já existente, no caso a Lei Complementar 131/2009 (Lei da Transparência).

Segundo reportagem do portal Congresso em Foco, a proposta do senador João Capiberibe (PSD/AP) visa obrigar os gestores a respeitar a Lei da Transparência - criada para evitar a malversação de dinheiro público -, endurecendo as penas para os infratores, com possibilidade até de cadeia.

O Projeto de Lei do Senado complementa o texto da Lei da Transparência e determina o acompanhamento, em tempo real, de todas as etapas de qualquer processo público que gere despesa para o contribuinte, com punição mais severa para os respectivos gestores.

A mudança também prevê que ações de improbidade administrativa em decorrência do descumprimento da legislação tenham prioridade processual do Poder Judiciário. A ideia é impedir que, uma vez detectadas irregularidades, processos de punição se arrastem em tribunais de contas e órgãos correlatos.

“Na verdade, estamos imputando o crime de responsabilidade fiscal e de improbidade administrativa para quem deixar de cumprir e atender aos preceitos da lei. E podendo levar à prisão, também. Cassação, inelegibilidade, enfim, uma série de penas duras, muito mais duras do que as que estão previstas na Lei da Transparência”, resumiu o senador, em entrevista ao Congresso em Foco.

A iniciativa é louvável. Só lamentamos a necessidade de ela ter que existir.

Capibaribe também é autor do projeto de resolução que criou a 13ª Comissão de Transparência e Governança Pública no Senado.

 

(Com Congresso em Foco)

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Senado se tornou palco para birra entre PT e oposição, diz Biu

Foto: Agência Senado/Arquivo B80fa0bc ca27 4a90 adbf 9e2c51a0c149 Senador Benedito de Lira

Segundo o senador Benedito de Lira (PP), o Senado se transformou em espaço para a birra entre o PT e a oposição. De acordo com a Agência Senado, em pronunciamento realizado ontem (27), Lira classificou o clima na Casa de “beligerante”, onde só se ouvem reclamações e troca de agressões.

“Nós teremos que dialogar, conversar, encontrar fórmulas, soluções. E não apenas eu chegar aqui e começar a xingar”, desabafou, defendendo que o Senado volte a ser palco de grandes discussões.

Para o senador, entre as propostas que poderiam ajudar o Brasil a sair da crise econômica estão: a criação do imposto sobre grandes fortunas, a legalização dos jogos de azar e o funcionamento dos cassinos. 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

CPI da Eletrobras na ALE só deve andar após retorno de Dantas

Foto: Ascom ALE/Arquivo Bb71304f 84cb 44ef a799 aa556b5a9d16 Deputado Pastor João Luiz

O retorno do deputado Luiz Dantas (PMDB) ao comando da Casa de Tavares Bastos foi apontado pelo deputado Pastor João Luiz (DEM) como necessário para o andamento da CPI da Eletrobras (Parte II), cuja abertura foi aprovada por unanimidade há cerca de 45 dias no plenário da Assembleia.

Propositor do pedido de criação da CPI, o Pastor disse que as lideranças partidárias ainda não indicaram os nomes que irão compor a comissão e crê que tal formação só será discutida quando o presidente da ALE retornar da licença médica, o que deve ocorrer na próxima semana.

João Luiz negou que a proposta tenha arrefecido e disse não ter percebido relutância por parte dos colegas em integrar a comissão.

Em outras palavras, não vai “começar” em pizza.


 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Data-base: Assembleia deve ir ao STJ contra ela mesma

Foto: Thiago Davino /CadaMinuto/Arquivo 14086705190023 Assembleia Legislativa de Alagoas

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa (ALE) deve recorrer, junto ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), da decisão do Pleno do TJ/AL determinando o pagamento da última parcela – de 15% - referente às datas-bases dos servidores efetivos do legislativo.

Previsto na Lei Estadual 7.533/2013, aprovada na Casa, o percentual deveria ser acrescido aos salários em janeiro deste ano.

O prazo para recurso termina no próximo dia 04 de novembro, quando começa também a contar a multa diária de R$ 1 mil em caso de descumprimento.

Juristas ouvidos pelo blog são unânimes em afirmar que a possibilidade de êxito no STJ é quase nula, mas acreditam que, mesmo sabendo disso, a Mesa deve recorrer apenas para ganhar tempo.

Ainda esperançosos, representantes dos servidores vivem a expectativa do retorno do presidente Luiz Dantas (PMDB) ao cargo ainda nesta semana, após licença para tratamento de saúde em São Paulo.

“Não é possível que uma Casa que faz as leis não as cumpra. Isso nos deixa triste. A Mesa ainda não se pronunciou, mas acredito que, com o retorno do presidente, seremos chamados ao menos para conversar”, disse Eduardo Fernandes, presidente da Associação dos Servidores da Assembleia (Assala), lembrando que é em novembro a data-base de 2015, para vigorar a partir de janeiro do próximo ano.

O procurador da ALE, Diógenes Tenório, confirmou que a Casa pode recorrer ao STJ, mas não garantiu se isso será feito: “Nessas situações a regra é que se recorra, a menos que haja decisão da Mesa em sentido contrário”.

Até o momento, a cúpula da Casa de Tavares Bastos nem disse que sim, nem disse que não...

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Pesquisa pretende medir liberdade dos jornalistas brasileiros

Ilustração 08f9ba9c 7f17 4753 9073 dfba038348c0

O Grupo Comunicação e Democracia, do Departamento de Comunicação da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em parceria com a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), pretende ouvir até o dia 07 de dezembro, jornalistas de todo o País sobre liberdade e informação.

O questionário com 50 perguntas está sendo aplicado em todo Brasil por meio de formulário online: http://www.questionarios.ufpr.br/index.php/133733/lang-pt-BR.

Em 2013, uma pesquisa semelhante ouviu 277 jornalistas paranaenses e revelou que grande parte dos profissionais está sujeito a pressões comerciais e políticas nas redações e tende a se submeter a infrações éticas a fim de preservar as relações de trabalho e o próprio emprego;

Vamos a alguns números...

De acordo com os resultados, 74,3% realizou pauta “recomendada” (instrução para escrever reportagem de acordo com interesses da direção do veículo) e ao menos 70% já se autocensurou, ou seja, deixou de publicar determinado assunto prevendo o corte.

Será diferente o panorama em todo o Brasil?

Seja como for, em tempos de redes sociais, a censura é algo cada vez mais “analógico”. Quanto aos jornalistas, eles sempre souberam combatê-la com uma receita simples: se não pode dar a informação, passe adiante. Há sempre alguém que pode.

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.
Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com