Governador entrega mais casas, dessa vez em Teotônio Vilela

Lula Castelo Branco E98725b6 b88c 49a6 8f68 54e05c0cd609

O governador Teotonio Vilela Filho e o secretário de Estado da Infraestrutura, Marcos Vital, inauguram às 10h30 desta quinta-feira (11) o conjunto residencial José Arnaldo Pacheco, localizado no bairro Alto da Rosa, no município de Teotônio Vilela. 

 

Através do Programa Minha Casa, Minha Vida – oferta pública 2012, para municípios com população abaixo de 50 mil habitantes, foram construídas 50 unidades habitacionais em convênio entre o Estado, o município e o Governo Federal.

 

A obra será entregue com 100% de execução e com repasse do Governo do Estado, no valor de R$ 150 mil, oriundos do Fecoep, para compor a contrapartida. A obra foi acompanhada pela Secretaria de Infraestrutura em conjunto com a instituição financeira responsável e o Município.

 

 

 

Tarcizo Freire destaca decisão da juíza da 16ª Vara da Capital

Be5107a9 3c81 4a40 a0f1 3f03447bcc1a

O vereador e deputado estadual eleito, Tarcizo Freire (PSD) parabenizou em um  pronunciamento na sessão ordinária da Câmara Municipal de Arapiraca, na noite desta terça-feira, 09, destacando a atuação da Juíza de Direito, da 16ª Vara Civil da Capital, Maria Ester Fontan Cavalcante Manso, que numa decisão sensata, acatou a decisão através de uma liminar tirando a obrigação das autoescolas usarem os simuladores nos Centros de Formação de Condutores (CFC's), em Alagoas,

De acordo com a avaliação do parlamentar, o simulador, nada mais é do que um brinquedo de crianças e que não ajuda em nada no aprendizado do aluno.Segundo o vereador Tarcizo Freire, o próprio governador eleito, Renan Filho (PMDB) tem se mostrado contrário ao uso do simulador, o que no seu entender, ajuda mais  a continuar lutando para acabar com o que ele classificou de joguinho de criança.

Ao concluir, seu pronunciamento, Tarcizo Freire disse que no dia 1º  de janeiro de 2015 vai assumir a sua cadeira na Assembleia Legislativa Estadual (ALE) montando o seu Boi Gaúcho. O animal bastante dócil, é utilizado no trabalho social de equoterapia com crianças especiais no Centro Multidisciplinar em Arapiraca que leva o seu nome e que atende todo o município e região Agreste.  

 

Governo entrega rodovia que liga Delmiro e Olho D’Água do Casado

3865bd38 dfe2 4045 a83c 00b6b6c68794

O Governo de Alagoas dá continuidade ao Programa de Recuperação da Malha Rodoviária e entregará, nesta quarta-feira (10), uma nova rodovia na região do Sertão. O governador Teotonio Vilela Filho e o secretário de Infraestrutura do Estado, Marcos Vital, estarão no trevo do município de Olho D’Água do Casado, a partir das 9h30, para o descerramento da placa de inauguração da AL-220, rodovia de ligação entre as cidades de Delmiro Gouveia e Olho D’Água do Casado.

 

Em seguida, o governador e o secretário de Infraestrutura seguirão para a pedra velha, próximo a entrada da cidade de Delmiro Gouveia, onde acontecerá a solenidade de inauguração da AL-220.

 

A obra foi executada pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER/AL) e conta com 23 km de extensão. Além do escoamento da produção local, a estrada será um importante acesso para a região turística do Xingó.

 

O órgão estadual deve concluir, ainda este mês, a obra na rodovia AL-145, no trecho dos municípios de Mata Grande e Água Branca.  

Canal do Sertão

 

O governador Teotonio Vilela, acompanhado do secretário de Infraestrutura, seguirá, às 11h, para o quilômetro 65 do Canal do Sertão, em Olho D’Água do Casado, onde receberá uma homenagem dos operários que trabalham nas obras do Canal do Sertão e dos e agricultores que atualmente recebem água da maior obra de infraestrutura hídrica do Estado.

 

Fazendeiro emite nota esclarecendo suposto impasse divulgado pela Casal

8ee16ebd e147 4f29 b238 ac1482ceed90

Esse esclarecimento objetiva tranqüilizar as dez cidades vítimas de informações caluniosas divulgadas pela CAB/CASAL. O senhor Paulo Sérgio, gerente da CAB ÁGUAS DO AGRESTE S.A, sediada em Arapiraca, acaba de me telefonar informando que, por falta de sulfato de alumínio e cloro para tratamento da água no sistema ETA MORRO DO GAIA, iria suspender o fornecimento de água para Arapiraca, pura chantagem porque mandei um funcionário verificar essa situação e lá encontramos cinqüenta sacos de sulfato de alumínio e sete garrafões de cloro que, segundo informação técnica, daria para alimentar o sistema por quase sessenta dias. Qual o impasse que existe entre a Fazenda Santa Fé e CASAL?

Possuo essa Fazenda há trinta e cinco anos, quando da aquisição, fui informado pelo antigo proprietário que havia cedido gratuitamente à CASAL terras no cume do morro, considerado MORRO DO GAIA, onde seria construída a sede da Fazenda, como também uma área transversal ao longo da propriedade para introdução de dutos que transportariam água. Em contrapartida, receberia gratuitamente água referente ao uso de três matrículas. Passado alguns anos, a CASAL achou por bem cobrar uma fortuna pelo uso doméstico dessa água. Verificamos a documentação e percebemos que o ex-proprietário foi totalmente enganado que, por ser um médico, cidadão de bem, confiou no que disseram, nada ficando registrado. Negociamos então essa dívida, compensando com o uso da estrada que construímos, toda piçarrada com os cortes existentes nas íngremes ladeiras, todas calçadas a paralelepípedos. A CASAL cumpriu o contrato até dezembro de 2013, afirmando que daí por diante o pagamento pelo uso da estrada seria feito pela CAB ÁGUAS DO AGRESTE S.A, com quem havia se consorciado, cuja  empresa deixou de efetuar os pagamentos até a presente data, de modo CALOTEIRO.

Acontece que a referida CAB, empresa pertencente ao grupo Galvão, cujo dono foi preso por falcatruas, conforme amplamente divulgado na mídia, a partir de janeiro do corrente ano, deixou de pagar a insignificante quantia de cinco mil reais mensais pelo uso da estrada, por ela danificada, muito embora tenha firmado um esquisito contrato com a CASAL que determina um pagamento de três milhões, oitenta e três mil, duzentos e oitenta e seis reais mensalmente. Esse valor multiplicado por trinta anos de contrato, menos dois de carência, seriam vinte e oito anos vezes três milhões, oitenta e três mil, duzentos e oitenta e seis reais por mês, o que perfaz um total de um bilhão, trinta e cinco milhões, novecentos e oitenta e quatro mil e noventa e seis reais. Essa transação, completamente alheia ao povo de Arapiraca, e ao público em geral, deveria ser melhor examinada pelo Ministério Público e pela Polícia Federal, órgãos que vêm tentando salvar o país.

Agora, CASAL E CAB ÁGUAS DO AGRESTE S.A, pensando em ludibriar a Justiça e tomar o que é alheio, ingressaram em juízo pleiteando transformar a minha estrada particular numa servidão de passagem. Esse é um procedimento absurdo, indecente, imoral que fere frontalmente os ditames da lei. O artigo 1.385 de nossa legislação civil estabelece de modo claro a casuística da servidão de trânsito, de tal modo que “o direito real de servidão de trânsito, ao contrário do direito de vizinhança à passagem forçada, prescinde do encravamento do imóvel dominante, consistente na ausência de saída pela via pública, fonte ou porto.” (Julgamento do Recurso Especial 223.590/SP de relatoria da ministra Nancy Andrighi, do STJ).

A área cedida onde existe a estação MORRO DO GAIA possui porto, em que pode receber veículos e pessoas através de lanchas ou balsas. A opção a que a lei fala funcionou de início e pode voltar a funcionar, desprezando a Fazenda Santa Fé, que já cedeu gratuitamente para duas servidões de passagem, uma para de modo transversal colocar os tubos que conduzem água para Arapiraca e outra ligando a rodovia estadual ao povoado Lagoa Comprida. Impossível a transformação de uma estrada particular numa terceira servidão, com a finalidade única e exclusiva de trazer benefícios econômicos à pretendente. Além desse uso indevido, a fazenda Santa Fé vem perdendo sua privacidade e sofrendo conseqüências desastrosas, pois suas áreas divisórias para criação de gado bovino não são mais respeitadas, por deixarem as cancelas abertas, e facilitou o ingresso de ladrões que já subtraíram bombas e animais.

A nossa propriedade preenche os requisitos legais previstos pela nossa Constituição Federal, sem seu artigo 186, eis que atende à sua função social, conquanto apresenta aproveitamento racional e adequado, utilização adequada dos recursos naturais disponíveis e preservação do meio ambiente, observância das disposições que regulam as relações de trabalho e exploração que favorece o bem-estar dos proprietários e dos trabalhadores.

Infelizmente, o juiz, por não examinar a legislação pertinente à espécie, concedeu de modo absurdo uma liminar permitindo o uso gratuito de nossa propriedade, sem observar que deixaram de pagar desde dezembro de 2013. Existe um agravo pedindo a suspensão da liminar para discutir corretamente o problema. O agravo se encontra distribuído para o Desembargador Paulo Lima, que pelas informações colhidas, trata-se de um homem honesto e criterioso, o que me deixa tranqüilo.

Intransigência de fazendeiro impede abastecimento de água para o Agreste

D2118ff0 362b 4048 967b b0f4930b8517

A intransigência do proprietário da Fazenda Santa Fé, em São Braz, promotor aposentado, Silvio Menezes está inviabilizando o fornecimento de água para a cidade de Arapiraca e mais 10 cidades da Região Metropolitana do Agreste (PMA). O problema do desabastecimento de água é da maior gravidade e a Unidade de Emergência do Agreste para continuar com suas atividades está sendo abastecida com carros pipa.

O problema foi provocado pelo proprietário da fazenda, Silvio Menezes, onde está instalada a Estação de Tratamento da antiga adutora do Agreste no Morro do Gaia que colocou cadeados e correntes nas porteiras de acesso a fazenda impedindo o trabalho dos técnicos da Casal do procedimento do tratamento da água para o fornecimento as 10 cidades da região Agreste prejudicando uma população de 100 mil habitantes.

Desde a ultima sexta-feira, 05 que a parte baixa de Arapiraca que corresponde ao centro e aos bairros maios populosos estão sem o abastecimento de água além das cidades de  Girau do Ponciano, Campo Grande, Olho D’ Água Grande e Lagoa da Canoa.

De acordo com o que foi divulgado pelo coordenador de produção Marcos Costa a Casal já conseguiu uma liminar que obriga o promotor aposentado abrir as portas da Fazenda Santa Fé, mas ela não foi cumprida, até momento tendo em vista que a Justiça não conseguiu encontrar Sílvio Meneses para notifica-lo e ele ter ciência da decisão. Silvio Menezes tem residência na sede da fazenda em São Braz e na cidade de Penedo.

“O Centro, da cidade os bairros São Luiz, Cacimbas e Primavera, Tiro de Guerra, Zélia Barbosa que correspondem à parte baixa de Arapiraca, além de outras cidades aqui do Agreste, estão sem o abastecimento normal de água por conta desse problema. Também por conta disso, a ETA está comprometida e só operar  com 30% de sua capacidade. Se isso persistir por muito tempo, pode haver um colapso na estrutura da estação e prejudicar ainda mais a situação”, declarou o gerente da unidade de negócios da Casal, engenheiro Tácito Marques, que afirmou só poder falar da parte técnica da situação.

 

Estado investe em UPAs e amplia serviço de urgência e emergência

Be467b7a 13ed 4fb1 82af e0f55b1f5a39

O Governo do Estado investiu numa estrutura simplificada de atendimento ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS): a Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Responsável por solucionar 97% dos casos na própria unidade, as quatro UPAs construídas em Alagoas contaram com R$ 12,3 milhões em recursos do Tesouro Estadual e mais de 193 mil pacientes já foram beneficiados pelos serviços prestados em Marechal Deodoro, Viçosa, Penedo e Palmeira dos Índios.

 

Para atender a demanda de urgência e emergência de maneira organizada, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) investiu na construção das UPAs e também nos equipamentos adequados para o atendimento. Somado a isso, o Estado é ainda responsável pelo repasse financeiro para a manutenção das unidades, que totaliza R$ 6,6 milhões ao ano.

De acordo com a superintendente estadual de Atenção à Saúde, Aparecida Auto, a construção das UPAs é realizada com recursos da União e do Estado, este que adquire os equipamentos e repassa para o município - responsável pela gestão da unidade. Quanto ao custeio para manutenção, o Estado e o município investem 25% cada e o governo federal repassa 50%.

 

“As UPAs são unidades intermediárias entre a atenção básica e a emergência, funcionando como um filtro na resolução das urgências e impedindo a sobrecarga nos hospitais, a exemplo do HGE [Hospital Geral do Estado]”, explicou Aparecida Auto, enfatizando o papel fundamental das UPAs em desafogar os hospitais das macrorregiões de Maceió e Arapiraca.

 

Serviço de qualidade

 

Quem elogia a qualidade do serviço são os próprios pacientes, que chegam a ficar surpresos com a infraestrutura do local. “Essa é a quarta vez que venho aqui. É ótimo contar com um serviço bom e perto de casa”, conta Maria Petrúcia Carvalho. Ela levou a bisneta Raquel Alves, que estava com febre, para atendimento na UPA Irmã Dulce, em Marechal Deodoro.

 

A UPA de Marechal Deodoro é de Porte I e conta com dois médicos de plantão (pediatra e clínico geral), laboratório de exames, leitos de observação, sala de urgência, posto de enfermagem e farmácia. Para o pediatra Adriano Belo, que há 13 anos atua no município, a UPA é uma peça fundamental para a saúde. “Houve um grande avanço na saúde após a instalação da UPA, pois esta população não contava com raio X e eletrocardiograma, por exemplo”, afirmou.

Porte das unidades

 

A classificação das UPAs é feita de acordo com a população da região a ser coberta, a capacidade instalada - área física, número de leitos disponíveis, recursos humanos - e a capacidade diária de realizar atendimentos médicos.

 

Além da UPA de Marechal Deodoro, também é de Porte I a unidade de Viçosa, a primeira a ser construída no estado, prestando assistência à região do Vale do Paraíba. Já com até 12 leitos de observação e capacidade de atender até 300 pacientes por dia, as UPAs de Penedo e Palmeira dos Índios são de Porte II.

 

As UPAs funcionam 24 horas, sete dias por semana e podem resolver grande parte das urgências e emergências, como pressão e febre alta, fraturas, cortes, infarto e derrame. Com isso, ajudam a diminuir as filas nos prontos-socorros dos hospitais.

 

A UPA oferece ainda estrutura simplificada, com raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação.  Quando o paciente chega às unidades, os médicos prestam socorro, controlam o problema e detalham o diagnóstico. Eles analisam se é necessário encaminhar o paciente a um hospital ou mantê-lo em observação por 24 horas.

 

 

Tarcizo Freire renuncia mandato de vereador por Arapiraca no próximo dia 15

9049ba84 3d87 4df5 8bf7 e04b453cb7df

O deputado estadual eleito Tarcizo Freire (PSD) renuncia ao mandato de vereador por Arapiraca no próximo dia 15 de dezembro e na mesma data será diplomado pelo Tribunal Regional Eleitoral na capital do Estado. Vereador na 5ª Legislatura Freire foi eleito para a Casa de Tavares Bastos com expressiva votação em todo o Estado, sobretudo em Arapiraca.

Em seu lugar, no Legislativo de Arapiraca assume o suplente Josias Albuquerque (PSD) Outro fato marcante no Legislativo de Arapiraca e a eleição para a Mesa Diretora para o biênio 2015/2016, que ocorre no próximo dia 20 deste mês de dezembro. São postulantes ao cargo, os vereadores Rogério Nezinho (PMDB) Fabiana Pessoa (PPS) Ronald Vital Rios (Pros) e Moisés Machado (PSD).

Tarcizo Freire, em atenção a um pedido da prefeita Célia Rocha (PTB) não vai interferir na eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Arapiraca. A eleição bem disputada e um dos favoritos é o vereador Rogério Nezinho, (PMDB) irmão do deputado estadual Ricardo Nezinho. Mas a eleição pode trazer surpresa, as negociações e entendimentos momentos antes da votação fazem a diferença.     

 

Complexo de Delegacias contribui com o combate à criminalidade

E5d08d46 f6a2 4f0a 8569 26c225881756

A Polícia Civil de Alagoas dá um importante passo no enfrentamento à criminalidade. Nesta quinta-feira (4), às 9h, será inaugurado o Complexo de Delegacias Especializadas (Code), localizado no antigo prédio da Central Já do bairro Mangabeiras, em Maceió. O governador Teotonio Vilela Filho participa da solenidade de inauguração.

 

O novo complexo terá instalações amplas e confortáveis, abrigando uma segunda Central de Flagrantes – com atendimento 24 horas -, uma Central de Atendimento ao Cidadão e ao Turista e um Núcleo de Apoio aos Grupos Vulneráveis. Também vão funcionar no Code as delegacias de Homicídio, Repressão ao Narcotráfico, Delegacia Contra Ordem Tributária e Administração Pública (Decotap), além das delegacias de Acidentes de Trânsito e Roubos. Toda essa estrutura estará aberta ao público a partir de segunda-feira (8).

 

Infraestrutura

 

O prédio foi cedido pelo governador Teotonio Vilela à Polícia Civil e passou por uma ampla reforma na rede elétrica e hidráulica, ganhando nova pintura, identificação visual, móveis e aparelhos de ar condicionado. O complexo possui dois pavimentos e uma ampla área para recepção. Cada delegacia vai contar com gabinetes para os delegados, salas para cartórios e para os chefes de operações, além de baterias de banheiros e alojamentos. 

  

A localização do Complexo de Delegacias Especializadas é outro ponto forte. Funcionando no antigo Já, o Code fica perto do Centro, das praias e dos acessos à parte alta da cidade. Para o delegado-geral da Polícia Civil, Carlos Reis, juntar as delegacias num mesmo espaço é um grande avanço para a instituição.

“Os policiais poderão interagir diariamente, o que vai melhorar a qualidade da investigação. No momento em que reunimos as delegacias especializadas podemos, por exemplo, numa investigação de tráfico de drogas, descobrir uma quadrilha de roubos de veículos. Esta integração é fundamental”, destacou Carlos Reis.

 

O diretor-geral também afirmou que o Code vai oferecer um local confortável para atender à sociedade. “O cidadão tem o direito de ser bem atendido, assim como os policiais precisam de todas as condições para poder desempenhar bem suas atribuições”, afirma.

Indústria do ramo alimentício instala nova unidade em Alagoas

60c53bb1 b782 4387 9797 78cc289190a2

A Indústria Alimentícia Popular Ltda inaugura, nesta sexta-feira (5), a partir das 11h, sua segunda unidade fabril em Alagoas. Desta vez, o empreendimento do ramo alimentício irá se instalar no município de Limoeiro de Anadia. Com investimento previsto de mais de R$6 milhões e criação de 300 empregos diretos, a empresa contribui para a descentralização de investimentos e o desenvolvimento econômico do Estado.

 

Ao incrementar a oferta de alimentos com salgadinhos de milho, goiabada, bananada, lanches, bananolas, extratos de tomates e molhos prontos, a Indústria Alimentícia Popular ganhou mais competitividade e espaço no mercado. Beneficiadas com incentivos fiscais, creditícios e locacionais, por meio do Programa de Desenvolvimento Integrado do Estado de Alagoas (Prodesin), a empresa hoje já atende os estados de Alagoas, Sergipe e Pernambuco, principalmente.

 

Para a secretária de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico, Poliana Santana, seja com a chegada ou a ampliação de novos negócios, Alagoas tem conseguido transformar o seu setor produtivo econômico. “Nos últimos oito anos, foi feito um trabalho conjunto de integração de incentivos que estimulassem o fomento de diversos segmentos do Estado. Já foram mais de 100 empreendimentos captados, que resultaram na criação de milhares de novos empregos para a população”, destaca.

 

Com uma unidade já instalada na cidade de Arapiraca desde o ano de 2000, a empresa sentiu a necessidade de ampliar seu espaço físico, a fim de investir e diversificar sua linha produtiva. A nova unidade em Limoeiro de Anadia conta com uma área de 45mil m².  

 

“O nosso foco agora é transferir toda a nossa produção já existente em Arapiraca para a nova unidade em Limoeiro do Anadia. Dessa forma, estaremos unificando nosso sistema produtivo e assegurando além de uma maior variedade de produtos para nossos consumidores, novas possibilidades de renda para os trabalhadores”, completou o diretor da empresa, Gilvan Maria. 

A Indústria Alimentícia Popular Ltda inaugura, nesta sexta-feira (5), a partir das 11h, sua segunda unidade fabril em Alagoas. Desta vez, o empreendimento do ramo alimentício irá se instalar no município de Limoeiro de Anadia. Com investimento previsto de mais de R$6 milhões e criação de 300 empregos diretos, a empresa contribui para a descentralização de investimentos e o desenvolvimento econômico do Estado.

 

Ao incrementar a oferta de alimentos com salgadinhos de milho, goiabada, bananada, lanches, bananolas, extratos de tomates e molhos prontos, a Indústria Alimentícia Popular ganhou mais competitividade e espaço no mercado. Beneficiadas com incentivos fiscais, creditícios e locacionais, por meio do Programa de Desenvolvimento Integrado do Estado de Alagoas (Prodesin), a empresa hoje já atende os estados de Alagoas, Sergipe e Pernambuco, principalmente.

 

Para a secretária de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico, Poliana Santana, seja com a chegada ou a ampliação de novos negócios, Alagoas tem conseguido transformar o seu setor produtivo econômico. “Nos últimos oito anos, foi feito um trabalho conjunto de integração de incentivos que estimulassem o fomento de diversos segmentos do Estado. Já foram mais de 100 empreendimentos captados, que resultaram na criação de milhares de novos empregos para a população”, destaca.

 

Com uma unidade já instalada na cidade de Arapiraca desde o ano de 2000, a empresa sentiu a necessidade de ampliar seu espaço físico, a fim de investir e diversificar sua linha produtiva. A nova unidade em Limoeiro de Anadia conta com uma área de 45mil m².  

 

“O nosso foco agora é transferir toda a nossa produção já existente em Arapiraca para a nova unidade em Limoeiro do Anadia. Dessa forma, estaremos unificando nosso sistema produtivo e assegurando além de uma maior variedade de produtos para nossos consumidores, novas possibilidades de renda para os trabalhadores”, completou o diretor da empresa, Gilvan Maria. 

 

Festival do livro infantojuvenil atrai estudantes de Palmeira dos Índios

E58f4c2a 2464 4311 a648 5e4f59bdf700

Durante três dias e abordando o tema “Venha viver a magia dos livros”, o primeiro Festival do Livro Infanto-Juvenil de Palmeira dos Índios atraiu um grande público, no Campus do Ifal, com a participação de alunos do Ensino Fundamental e Médio da rede pública e privada e de autores alagoanos e dos Estados do Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. encerramento ocorreu neste final de semana.

                                                                                                                                             

O evento, que se encerrou no fim de semana, foi visitado por mais de cinco mil pessoas, entre professores, alunos, escritores e comunidade em geral, e apresentou sessões de autógrafos, contações de história, lançamento de livros, sarau poético e oficinas literárias.

 

Como informa o escritor e professor da rede estadual de ensino Edson Marques Brandão, autor de três livros direcionados ao público infantil e organizador do primeiro Festival de Livros, o propósito do evento foi promover a leitura e a literatura, incentivando crianças, jovens e adultos a mergulhar no mundo dos livros.

 

“Elaboramos um festival de livros para atingir tanto o público infantil, como o público juvenil e

adulto para que possamos formar novos escritores”, afirmou Edson Marques. Segundo ele, as expectativas de vendas e de público foram superadas, com uma programação elaborada para atingir todas as faixas etárias.

 

Aproximação

 

Isvânia Marques, professora aposentada da rede estadual, autora de sete títulos infantil e juvenil-adulto, ficou impressionada com o nível de organização do festival e com a grande participação de alunos, professores e autores de outros estados do Brasil. Segundo ela, são eventos desse nível que conquistam e atraem ainda mais leitores de várias idades.

 

“A presença do público infantil é imprescindível, porque incentiva e sensibiliza os alunos tanto da rede pública de ensino, como da rede privada”, assegura Isvânia, alagoana de Palmeira dos Índios. A educadora revela ainda que o momento de contação de história é para ela muito relevante, pois permite uma aproximação ainda maior entre leitores e autores deforma lúdica e didática.

 

Renata Ventura veio do Rio de Janeiro especificamente para o Festival de Livros de Palmeira dos Índios. Ele é autora da saga “A arma escarlate”, grande sucesso entre o público jovem. Na ocasião, ela, Renata a oportunidade de ter um contato direto com seus leitores através de bate-papo e sessão de autógrafos.

 

“O sucesso do evento foi fruto das entidades parceiras, a coordenação do festival e, especialmente, a participação da comunidade, estudantes e o público das cidades vizinhas”, confessa Renata Ventura. Segundo ela, foram três dias de conversas, troca de experiência e muita festa.

 

Sandra Lúcia Sá, coordenadora pedagógica do Complexo Educacional Agostiniano e responsável por levar 300 alunos do Ensino Fundamental ao festival, explica que um evento dessa natureza é imprescindível para os alunos, já que além de ter um contato mais próximo com os autores, contribui efetivamente para a formação de cada um. “Foi um momento enriquecedor e gratificante para todos nós”, afirma.

 

Também participaram da Oficina de Livros autores alagoanos como Adriana Justino, Elton SDL, Sara Albuquerque, Tony Ferr e Luciene Albuquerque, além de autores de outros estados brasileiros como Pamela Mira, Davi Daniel, Fernando Aguzzolli e Izabelle Valladares.

 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com