Polícia

Postado em 29/04/2016 às 08:56

Acusados de assassinar servidora pública em Pilar são presos


Por Redação

Foto: Cortesia

A Polícia Militar prendeu a dupla acusada de assassinar a servidora pública Marta Emannuele Silva de Oliveira, 34 anos, dentro da própria residência, localizada no município de Pilar, durante uma tentativa de assalto na manhã desta quinta-feira (28). Os acusados foram localizados depois da denúncia de roubo.

Erycles Ronaldo Silva Teixeira, 20 anos, e Diego Leite, de 19 anos, confessaram o crime durante depoimento à Polícia Civil. Os dois já haviam praticado outros roubos antes de seguir para casa da servidora.

Leia mais: Servidora pública é morta em suposta tentativa de assalto

O disparo que vitimou Marta foi efetuado por Erycles. Segundo ele, a vítima se assustou com a presença deles dentro da casa e reagiu. Antes de assassinar a servidora, a dupla tomou em assalto um veículo no bairro do Jaraguá, depois seguiu para o bairro do Tabuleiro do Martins, onde fizeram outra vítima e foram para Pilar.

O veículo roubado foi localizado com alguns objetos roubados. Um revólver calibre 38 foi apreendido com a dupla.


Postado em 29/04/2016 às 08:45

Três pessoas são presas e 12 veículos apreendidos


Por Redação

Ascom BPTran

Doze veículos foram recolhidos e três pessoas presas durante uma operação da Lei Seca  na noite desta quinta-feira (28), nos bairros do Feitosa e do Tabuleiro dos Martins. As ações foram coordenadas por equipes do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) e do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

De acordo com informações policiais, 184 veículos foram abordados durante a operação. Doze foram removidos ao pátio do Detran e nove habilitações de condutores recolhidas por inadimplências. Três prisões foram realizadas após o teste de constatação de embriaguez e, ao todo, 56 infrações foram realizadas após diversas irregularidades de trânsito.

A operação foi coordenada pelo Tenente Emanuel Costa e contou com a integração de equipes do Detran e do BPTran.


Postado em 29/04/2016 às 07:11

Ex-prefeito procurado pela Justiça é preso por agentes da PRF 


Por Redação*

Foto: Assessoria

O ex-prefeito do município de Senador Rui Palmeira, Mário César Vieira, foi preso por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na cidade de Santana do Ipanema depois que os policiais receberam uma denúncia informando a sua localização. Ele foi condenador pela morte de Wilson Oliveira Silva, ocorrida em dezembro de 2004.

A condenação do ex-prefeito saiu quase 10 anos depois do crime e desde então ele estava foragido da Justiça. O homicídio foi motivado por questões políticas, já que na época a vítima coordenava a campanha do seu pai, Siloé Moura, candidato à prefeitura de Senador Rui Palmeira.

Contra Mário César existia uma mandado de prisão em aberto. Ele foi encaminhado para delegacia da Polícia Civil em Santana do Ipanema.

O Caso

Em dezembro de 2004, Wilson Oliveira, muito conhecido por Wilson Moura, servidor público e coordenador da campanha política de seu pai, candidato à prefeitura de Senador Rui Palmeira, foi assassinado com dois tiros em um bar no centro daquela cidade. O crime chocou o estado. No dia seguinte, a polícia prendeu o assassino confesso, José Romildo, que garantiu ter sido contratado pelo então prefeito, Mário César Vieira.

O crime aconteceu dias antes de Mário César entregar o cargo para o pai de Wilson Mora, que havia sido eleito naquele ano para conduzir o cargo de Prefeito daquela cidade. O acusado já havia sido preso, mas sua sentença definitiva pelo Tribunal do Júri aconteceu em 2013, quando foi condenado a 16 anos e 6 meses de reclusão, e o mandado de prisão, cumprido pela PRF na tarde de hoje, havia sido expedido no último dia  29.

*Com informações da Assessoria PRF


Postado em 28/04/2016 às 21:37

Em reunião, Sindpol não atende a pedidos do Executivo e Judiciário

Desembargador Washington Luiz intermediou o encontro, que durou cerca de 1h30


Por Guilherme Carvalho Filho*

Guilherme Carvalho Filho

Policiais civis não encerraram a greve, tampouco deixaram o Porto

As negociações entre o Executivo e o Sindicato dos Policiais Civis (Sindpol) não avançaram em reunião ocorrida na noite desta quinta-feira (28), no Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas (TJ/AL). O presidente da Corte, desembargador Washington Luiz Damasceno Freitas, intermediou o encontro. 

De acordo com a assessoria de Comunicação da instituição, o presidente do TJ ouviu os apelos do movimento e a contraproposta do Governo, que foi representado pelo procurador Augusto Galvão e pelo secretário de Segurança Pública Lima Júnior.  

O setor de comunicação do Tribunal de Justiça informou aos jornalistas que integrantes do Sindpol irão se reunir com agentes e escrivães nesta sexta-feira (29), às 11h. Eles discutem se irão deixar ou não o Porto de Maceió, que está ocupado desde a última terça-feira (26).

Vale ressaltar que na noite de ontem (27), como o CadaMinuto veiculou, o juiz Henrique deferiu a imediata reintegração de posse do local.

De acordo com a ascom do TJ, mesmo com a ordem, o Judiciário aguardando pelo “bom senso” dos policiais, a fim de se evitar um desgaste desnecessário.

O presidente do TJ disse acreditar que o encontro esta noite não chegou a um denominador comum devido ao não comparecimento do secretário Cristian Teixeira, da Planejamento Gestão e Patrimônio (Sepleg), que está numa viagem representando o governador Renan Filho.

Uma nova reunião com representantes Executivo, Judiciário e do Sindpol está marcada para as 17h desta sexta.

Em relação aos fatos, o Governo emitiu uma nota à imprensa. 

Veja na íntegra o conteúdo do comunicado:

O Governo do Estado de Alagoas reafirma o compromisso, que vem sendo honrado, de manter aberto o diálogo com os policiais civis para solucionar o impasse e encerrar a greve da categoria. 

Esse diálogo inclui, como ponto principal, a transparência por parte do governo, expondo, sem entraves, as contas do Estado para que as negociações sejam feitas a partir da realidade financeira de Alagoas. 

Os representantes da categoria sabem que a proposta apresentada pelo Sindicato dos Policiais Civis, que representa um reajuste salarial de 172,68%, é impraticável, sobretudo em uma situação de crise aguda que afeta toda a economia. O Estado não tem como suportar o impacto que esse percentual provocaria. 

A atitude extrema tomada pelo Sindpol, de manter a ocupação do Porto de Maceió, em descumprimento à ordem judicial de desocupação, não contribui para a solução do impasse, traz sérios prejuízos à atividade econômica em Alagoas e constitui grave desobediência à Justiça. É uma forma de pressão que não pode ser aceita. 

O Governo do Estado confia no senso de responsabilidade dos policiais civis e de suas lideranças sindicais. Por isso, espera que as negociações voltem a se dar em clima de normalidade, de forma madura, civilizada e com respeito à ordem pública. Este é um direito da sociedade alagoana, que aprova os avanços conquistados na Segurança Pública, e que o Governo, dentro das suas responsabilidades, haverá de garantir.

Reinvindicações

Ao todo, são 23 itens da pauta de reivindicações. Os policiais querem o piso salarial de 60% da remuneração dos delegados, da revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Subsídios (PCCS), o pagamento retroativo das progressões, da implantação imediata das progressões que estão no Atagab-Seplag e do pagamento de risco de vida e de insalubridade.

Volta ao trabalho

Essa semana, os desembargadores Washington Luiz e Alcides Gusmão da Silva determinaram que os grevistas voltassem as suas atividades imediatamente. Mesmo sob pena de multa de 5 mil, que em segunda decisão subiu para 10 mil, a sentença não foi cumprida.

*colaborador


Postado em 28/04/2016 às 20:51

Soldado alagoana é promovida a cabo após ato de brevura


Por http://www.pagina181.com.br/soldado-e-promovida-a-cabo-apos-ato-de-bravura/

http://www.pagina181.com.br/soldado-e-promovida-a-cabo-apos-ato-de-bravura/


Postado em 28/04/2016 às 17:48

Servidora pública é morta em suposta tentativa de assalto


Por Bruno Levy*

Foto: Arquivo Pessoal

Marta Emannuele Silva de Oliveira, de 34 anos

Uma servidora pública identificada como Marta Emannuele Silva de Oliveira, de 34 anos, foi assassinada dentro da própria residência em uma suposta tentativa de assalto na manhã desta quinta-feira, 28. Crime ocorreu no Condomínio Brisa da Lagoa, loteamento Manguaba 2, na Chã do Pilar, interior do estado.

De acordo com a Tenente Cristiane do 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM), a servidora estava na rua onde morava quando percebeu a movimentação suspeita de três indivíduos em um Fiat Uno Vivace, de cor vermelha, decidiu correr até sua casa. Um dos criminosos então atirou perfurando o portão e acertando a vítima no peito. Emannuele morreu no local.

Ainda de acordo com a tenente, pode se tratar de uma suposta tentativa de assalto. A servidora teria deixado o filho, de 7 anos, em uma van escolar antes de morrer.

O Instituto de Criminalística (IC) já esteve no local e o corpo foi levado até ao Instituto Médico legal (IML) de Maceió.

*Colaborador


Postado em 28/04/2016 às 16:27

PM desencadeia operação saturação “Fecha Quartel” na capital


Por Redação com PM/AL

Foto: Ascom/PM

Uma operação de saturação deflagrada em Maceió que teve inicio na manhã desta quinta-feira (28), reuniu centenas de policiais militares que atuam nos setores administrativos e operacionais da Polícia Militar para que eles participem da operação “Fecha Quartel”. A ação tem como objetivo reprimir e prevenir a criminalidade a fim de reduzir e inibir práticas delituosas que provocam no cidadão um estado de insegurança.

A Operação faz parte de uma série de ações que estão sendo desenvolvidas na capital e no interior do Estado, conforme vem anunciando o comandante-geral da PMAL, coronel Marcos Sampaio. “Estamos dando continuidade às ações que já vínhamos desempenhando ao longo dos meses, tanto aqui em Maceió quanto nas cidades do interior do estado. Iremos combater a criminalidade com o nosso maior efetivo possível”, disse o oficial.

Durante a ação os policiais militares estarão abordando pessoas e veículos, com o intuito de apreender armas, munições e drogas. Além disso, os policiais também realizaram incursões nos bairros e em pontos específicos para inibir a ação de crimes e, com isso, reduzir os índices de criminalidade. As guarnições também abordam motoristas, motociclistas, passageiros em coletivos e vans, além de pessoas em atitudes suspeitas.

Na área do Centro, a operação está sendo comandada pelos tenentes Feijó e Bezerra e nas áreas específicas de cada unidade subordinada ao Comando de Policiamento da Capital (CPC), pelo seu respectivo Oficial de Operações.

“Só hoje já fui abordado duas vezes pela PM. Estou satisfeito com o trabalho desempenhado pela corporação” disse o músico, Emanuel Mota, de 29 anos, morador do bairro Ponta Grossa, que se encontrava no seu veículo e foi abordado pelos policiais do 1º BPM no Vergel do Lago e pelos policiais do Batalhão de Trânsito na Pajuçara.

Prisão no bairro Clima Bom

Durante a  execução da operação no bairro Clima Bom, na parte alta, a guarnição administrativa da Radiopatrulha abordou o jovem ítalo Guilherme Viana da Silva, de 19 anos, e constataram a existência de mandados de prisão em aberto contra o mesmo pelos crimes de homicídio, tráfico de drogas e falsidade ideológica. Ele foi conduzido para a Central de Flagrantes para os procedimentos cabíveis.


Postado em 28/04/2016 às 16:31

MPE pede revogação da prisão de empresário preso em esquema de corrupção


Por Redação*

Foto: Assessoria - MP

Luciano Cabeça

O Ministério Público Estadual (MPE/AL) pediu a revogação da prisão do empresário Luciano Lima Lopes, conhecido como Luciano Cabeça, após ser ouvido por promotores do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) na tarde desta quinta-feira, 28.

Segundo a assessoria de imprensa do MPE, Luciano Cabeça deu todas as informações necessárias ao andamento das investigações e em função disso os promotores decidiram requisitar à 17ª vara Criminal da Capital a revogação da prisão, que era provisória e tinha prazo de cinco dias.

Para o Ministério Público, o empresário não oferecerá mais riscos, pelo menos por enquanto, já que o acusado contribuiu e revelou dados dos crimes cometidos. Após as conclusões dos trabalhos, Luciano e outros envolvidos no esquema de fraudes à licitação serão alvos de uma ação penal a ser ajuizada pelo Gecoc.

O caso

Na manhã desta quinta-feira (28), policiais militares cumpriram dois mandados de busca e apreensão e prisão. Luciano Lima Lopes, conhecido como Luciano Cabeça, foi localizado em apartamento na Avenida Dr. Mário Nunes Vieira, no bairro da Jatiúca.

De acordo com as investigações do Gecoc, o suspeito forneceria notas fiscais frias para várias prefeituras com a finalidade de desviar recursos públicos. Como vantagem, o acordo seria o repasse para ele de 7% do valor desviado.

*Com MPE/AL


Postado em 28/04/2016 às 15:54

Homens armados assaltam clientes e funcionários da Casal


Por Redação

Foto: Divulgação

Sede da Casal

Dois homens armados invadiram um posto da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal), localizado no bairro do Jaraguá, na capital e roubaram pertences de clientes e funcionários. O assalto ocorreu na tarde desta quinta-feira (27).

Segundo a assessoria da Casal, havia um vigilante no local, mas ele foi abordado e a dupla conseguiu levar a arma dele. O posto funciona para atendimento dos clientes e foi fechado após o assalto.

A polícia fez rondas no local porém até o momento não obteve nenhuma informação sobre a identidade ou o paradeiro dos  suspeitos de praticar o crime. 

Os agentes pedem a quem tiver informações da dupla que entre em contato através do Disque Denúncia, no número 181.


Postado em 28/04/2016 às 15:51

Polícia aborda carro e homem é preso com revólver


Por Minuto Sertão

Um senhor identificado como Eronides Pereira de Lima de 64 anos foi preso por uma guarnição do Pelopes na tarde desta quinta-feira (28) no povoado Jardim Cordeiro em Delmiro Gouveia-AL.

Segundo informações,  os policiais realizavam rondas pela localidade e abordaram um veículo Gol branco com placa MOJ, 0826. Ao revistarem o automóvel, os PMs encontraram um revólver Taurus, calibre 38 com seis munições intactas.

O material foi apreendido e o suspeito foi levado para Delegacia Regional de Polícia de Delmiro Gouveia, onde foram tomadas as medidas cabíveis.


Postado em 28/04/2016 às 14:35

Homem é encontrado morto da sua própria residência


Por Minuto Sertão

Minuto Sertão


Postado em 28/04/2016 às 11:36

Empresários e servidores da CEF estão envolvidos em fraude milionária, diz PF

Segundo a polícia, quadrilha transformou município alagoano em bolha imobiliária


Por Vanessa Siqueira / Maria Alliny Torres*

Foto: Maria Alliny Torres

A Polícia Federal realizou uma coletiva, na manhã desta quinta-feira (28) para dar detalhes da Operação Cabala, que investiga um esquema fraudulento com a participação de empresários da construção civil, contadores, funcionários de cartório e funcionários da Caixa Econômica que usava subsídio do programa Minha Casa, Minha Vida, para cometer o crime. Segundo o delegado Antônio Carvalho, a quadrilha transformou a cidade de Teotônio Vilela em uma “bolha imobiliária”.

A própria Caixa Econômica identificou em 2013 os indícios de irregularidades no município na construção de 1691 casas do Conjunto Antônio Cosme de Amorim e denunciou o fato à Polícia Federal. Durante a coletiva, o delegado explicou que as construtoras “fatiaram” o município entre si para construir as residências e as vender para pessoas de baixa renda da região, muitas delas recebem sobrevivem de benefícios do Governo Federal.

“As construtoras Lar do Sonho, Casa Nova, Eline, LSS Incorporadora e SJ Construtora transformaram Teotonio Vilela em uma bolha imobiliária. Elas construíam casas pelo Minha Casa, Minha Vida e tinham como alvo de venda pessoas de baixa renda. A maioria dos imóveis eram financiados para pessoas que só possuiam a renda do bolsa família, de 170 reais.. Porém a Caixa começou a desconfiar quando constatou um volume de pessoas que pagavam apenas duas ou três parcelas do financiamento e paravam, o que acabou gerando o prejuízo de R$ 220 milhões”, explicou.

Segundo as investigações da Polícia Federal, os empresários e construtoras agiam como agiotas, financiando quantias para as pessoas interessadas em adquirir um das casas do residencial. Outro detalhe constatado pela PF é que as construtoras também agiam em Propriá (SE), Serra Talhada (PE), Paulo Afonso (BA) e Ouricuri.

De acordo com o delegado, o próximo passo das investigações será ouvir servidores da Secretaria de Finanças do município para entender como era o processo de concessão de licença para as construções. Por enquanto, a PF não identificou a participação de gestores municipais no esquema.

Ao todo, 37 pessoas foram conduzidas para a sede da Polícia Federal em Maceió para prestar depoimento, dessas 11 são empresários de construção civil, 14 funcionários da Caixa e o restante são funcionários de cartórios e contadores. Foram cumpridos 27 mandados de busca e apreensão, 27 mandados de sequestro e a inquirição de 40 pessoas envolvidas no esquema.

Em nota, a Caixa informou que submeteu os empregados envolvidos na prática ilegal para um processo de apuração interna, e que já resultou em demissões e suspensões de seus postos de trabalhos. O banco ressalta ainda que continua contribuindo integralmente para investigações dos órgãos competentes.

O delegado informou ainda que os empresários serão indiciados por associação criminosa, uso de documentos falsos e em um artigo que prevê punição para quem obiver financiamento de forma ilegal.

Leia também: CEF diz que fraude investigada pela PF foi identificada pelo próprio banco

 

Leia a nota da Caixa na íntegra:

Com relação à operação "Cabala" deflagrada pela Polícia Federal nesta quinta-feira (28), a Caixa Econômica Federal informa que a fraude foi identificada pelo próprio banco por meio de mecanismos de controle interno.

A CAIXA encaminhou notícia-crime à Policia Federal para apuração da ação e submeteu os empregados envolvidos a processo de apuração interna, que já resultou em demissões e suspensões.

O banco ressalta ainda que continua contribuindo integralmente para investigações dos órgãos competentes.

*Colaboradora