Bombeiros realizaram mais de 60 atendimentos na capital e no interior

Foto: Cortesia/Internauta D2b60367 f1ad 4788 966e 3c13f80dee50 Orla do município de Pilar, interior de Alagoas

Um novo boletim do Corpo de Bombeiros (CB) divulgado neste domingo (28) informou que 68 pessoas foram atendidas pelo CB, sendo 43 na capital e 25 no interior. Entre as ocorrências registradas, duas ainda não foram concluídas, uma no município de Satuba e outra no Francês.

A partir das 18h de ontem, os militares realizaram o resgate de uma família, sendo um casal com o filho de oito meses que estavam ilhados no município de Pilar.

Em Marechal Deodoro, quatro pessoas foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros, sendo uma delas uma idosa. No Francês, houve resgate de pessoas, mas não foi informada pelo boletim a quantidade e a ocorrência está ainda está em andamento.

Em Satuba, nove pessoas foram retiradas do povoado de Lindoia, a ocorrência também está em andamento.

No bairro da Levada, em Maceió, uma pessoa que estava ilhada foi resgatada pelo CB em apoio com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Quedas de árvores

O corpo dos bombeiros ainda foi acionado para três cortes de árvores que estavam prestes a cair.

As ocorrências foram registradas nos bairros da Ponta Grossa, em Maceió, Vergel do Lago e em Bebedouro.

Confira os pontos interditados pela SMTT em Maceió

Crédito: Secom Maceió (Arquivo) 91eb5c05 9ee0 4e20 8e1a a7e58a7c2105 Agentes da SMTT

(Atualizada às 11h42)

Devido às chuvas que permanecem com intensidade na cidade de Maceió neste domingo (28), a Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) interditou algumas vias. Confira abaixo os locais que estão interditados:

- Avenida Senador Rui Palmeira (interditada);

- Imediações da Praça Lucena Maranhão, Bebedouro (pontos de alagamento);

- Ladeira de acesso ao Fernão Velho (interditadas).

- Rua das Árvores (poda de árvores).

Rios Mundaú e Jacuípe apresentam elevação em seus níveis devido às chuvas

Crédito: Defesa Civil Dc37f2a9 897b 42c0 974a 382fe035e2fc Rio Jacuípe sobe e alaga cidade

Um novo boletim da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) foi divulgado na manhã deste domingo (28), após a emissão de que as chuvas tendem a seguir por mais 24 horas em Alagoas. Segundo o boletim, há estabilidade do Rio Paraíba, mas a atenção está sendo redobrada para os rios Mundaú e Jacuípe que apresentam elevação de nível.

Na cidade de Canhotinho, em Pernambuco, a elevação do Mundaú está em 270 centímetros e subindo com rapidez.

A partir do município de São José da Laje, por onde também passa o Rio Mundaú, é estimada a elevação a partir do meio-dia deste domingo, podendo transbordar nas partes mais vulneráveis, a exemplo das cidades de Branquinha e Murici.

Segundo o boletim da Sala de Alerta, continua em elevação o nível do Rio Jacuípe, que registrou elevação de 366 centímetros e necessita de grande atenção.

Outros rios também apresentam elevação alta nas cabeceiras. São eles: o Coruripe e São Miguel que estão com seus níveis elevados acima 250 centímetros nas cidades de Anadia (Rio São Miguel) e Limoeiro de Anadia (Rio Coruripe).

Em relação às lagoas Mundaú e Manguaba, a Sala de alerta informa que o nível da água segue em constante elevação, principalmente nos municípios de Marechal Deodoro e Pilar.

*com Ascom Semarh

Presidente do TCE cancela expediente de segunda-feira após infiltrações

Foto: Cortesia ao CadaMinuto 421c1818 7f0d 4610 a6bc bb4ee5cf2ef6 Teto desabou em uma das salas do TC

Por causa dos sérios problemas de  infiltrações e alagamentos em vários setores do Tribunal de Contas e temendo acidente, a presidente Rosa Albuquerque resolveu suspender o expediente da próxima segunda-feira (29), para que o prédio sede da instituição passe por uma avaliação técnica do Serviço de Engenharia do Estado (Serveal).

Nesta semana de chuva, muitas infiltrações se agravaram e provocaram desabamento de partes do forro de gesso e alagamentos em diversos setores, inclusive no compartimento onde fica instalada a subestação de energia elétrica, potencializando o risco de acidentes ou de danos a equipamentos caros e fundamentais ao funcionamento do Tribunal.

Na quinta-feira (25), o plenário aprovou proposta da presidente, de solicitar inspeções técnicas com elaboração de laudos da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Crea e Serveal. Mas na sexta-feira, com a intensidade da chuva, a situação se agravou. Por recomendação da Eletrobras e do Corpo de Bombeiros, a central de energia foi totalmente desligada, desde a sexta-feira à noite, e só será religada, segundo a presidente, mediante a certeza de que não risco para os servidores.

Neste sábado, o Tribunal emitiu Nota onde a presidente Rosa comunica a decisão de suspender o expediente, inicialmente por um período de 24 horas, com a promessa de que, tão logo o prédio e os equipamentos sejam atestados, o expediente será normalizado. Confira a nota:

A presidente do Tribunal de Contas de Alagoas, conselheira Rosa Albuquerque, informa que, diante dos sérios problemas detectados na infraestrutura do prédio da instituição, com infiltrações e alagamentos em vários compartimentos; Considerando que essa situação em muito se agravou com a intensidade da chuva, afetando estruturas do teto e inundando a sala onde fica a subestação energética; Considerando a necessidade de preservar, acima de tudo, a segurança das pessoas e a proteção de documentos e equipamentos perante os riscos iminentes de acidentes e de danos materiais que essa situação representa;

Resolveu:

Acatar recomendação da Eletrobras e do Corpo de Bombeiros e fazer desligamento geral da central de alimentação de energia elétrica do TCE, desde o final da tarde de sexta-feira (26), até que se tenha certeza da segurança de seu funcionamento;

Suspender o expediente do TCE nesta segunda-feira (29), inicialmente por 24 horas, para que sejam avaliadas as condições estruturais e emitido laudo técnico pelo Serviço de Engenharia do Estado (Serveal) sobre a segurança do prédio; Por fim, informa, a presidente, que tão logo o prédio e os equipamentos sejam atestados, o expediente será normalizado.

Leia Mais: Teto de sala do TC desaba e presidente diz que situação do prédio é “crítica”

*com TCE/AL

Da pesquisa à esperança: alunos do Ifal produzem composto que pode cicatrizar fraturas

Crédito: Vanessa Siqueira 85f16214 0ea8 42ec 86b6 42dba9d712d7 Equipe alagoana vai à China em junho

Fraturar um osso é um processo doloroso e dependendo do tipo de fratura, a recuperação é lenta e requer uma série de cuidados até que o tecido ósseo consiga se recompor. Não é de hoje que a ciência e a medicina tentam tornar esse processo mais rápido e eficiente e é dos laboratórios de química do Instituto Federal de Alagoas (IFAL) que uma pesquisa sobre o tema vem sendo desenvolvida e vai cruzar o mundo para apresentar na China os resultados obtidos.  

A equipe composta pelo professor doutor em físico-química Djalma Barros, e pelos estudantes Wagner Cirilo, do Campus Marechal Deodoro, e Antony Ernesto, do Campus Maceió, irá para Dalian, na China, participar da Internacional Conference Of Applied Surfice Science (ICASS - 2017), que ocorre em junho, onde eles apresentarão os resultados da pesquisa sobre a utilização de Hidroxiapatita e Látex para acelerar a cicatrização de fraturas.

A pesquisa replica em laboratório substâncias que se encontram na natureza. A hidroxiapatita é um mineral formado basicamente por fosfato de cálcio e que pode ser encontrada nos nossos dentes. Já o látex é obtido a partir das seringueiras e é fabricado comercialmente e utilizado em diversos materiais.

 O experimento analisou como se comportavam as duas substâncias e sua aplicação nos processos de cicatrização de fraturas. O professor Djalma explica que a inovação da pesquisa está na forma como a hidroxiapatita é utilizada e o resultado obtido. A equipe do Ifal realizou o tratamento térmico da substância a 600º C e constatou que ao ser agregada com esferas de látex nessa temperatura ela possibilitava uma maior aplicação de medicamentos na sua estrutura, apresentando resultados duas vezes mais eficazes do que utilizando a substância a uma temperatura de 100º C. Em outras palavras, o grupo do Ifal afirma que o composto produzido por eles permitiria que o processo de cicatrização de fraturas ósseas ocorresse de forma mais rápida que os métodos atuais utilizados.

“É o aquecimento dela [hidroxiapatita] que proporciona a junção com as esferas de látex. E justamente quando ela é tratada termicamente que há essa maior abertura de sua estrutura, que permite a junção das duas. É como se tivesse um monte de partículas juntinhas e vem algo e separa. Ela não muda sua morfologia, mas permite que nesses espaços entre as moléculas seja possível colocar alguma medicação, um anti-inflamatório ou antimicrobiano com maior concentração”, explicou.

Enquanto a produção do composto não se torna realidade, a equipe alagoana irá cruzar o mundo para participar do evento que é referência em inovação e que pode mudar a vida desses estudantes.

Do improviso a tecnologia: a evolução no processo de cicatrização

Civilizações antigas já se debruçavam em experimentos voltados para a cicatrização de fraturas. Há registros de que no Egito Antigo as primeiras tentativas de tratamento conhecidas utilizavam pedaços de madeira ou casca de árvores amarradas no membro fraturado.

Foi no ano de 900 d.C. que o gesso começou a ser utilizado na sociedade com a finalidade de tentar reatar ossos fraturados. Eram utilizadas tiras de linho embebidas numa mistura de cal e clara de ovo. Em 1854 Antonius Mathysen desenvolveu as ataduras gessadas. Hoje o composto de sulfato de cálcio semi hidratado é utilizado para fabricação do gesso utilizado pela ortopedia.

Segundo o médico ortopedista Rafael Kennedy, apesar da grande quantidade de estudos e pesquisas na área sobre medicamentos e outras drogas para serem utilizadas no mecanismo de consolidação de fraturas, nenhum deles até hoje se mostrou eficiente.

“Hoje no estado atual da medicina você não tem muita coisa promissora, existem pesquisas, mas atualmente as evoluções se dão no campo cirúrgico, nos procedimentos menos agressivos, incisões menores, no uso de materiais mais modernos para realizar a consolidação”, explicou.

Quebrar um osso dói só em pensar. Porém entre a ruptura e a total cicatrização há um caminho longo que ocorre distante dos nossos olhos. No momento da ruptura do tecido ósseo, os vasos sanguíneos em seu interior se rompem causando um coágulo e sangramento no local. Este coágulo é logo invadido por capilares e fibroblastos, que tornam a região uma espécie de massa dura. Nesse calo temporário se proliferam células osteogênicas, capazes de formar os ossos. Ocorre em seguida o calo ósseo, formado por osteoblastos, que dão certa resistência ao local da fratura, que aos poucos vai sendo substituído por um osso compacto. Dependendo do caso, esse processo pode durar mais de um ano.

As grandes evoluções vêm ocorrendo, segundo o especialista, nos materiais utilizados, como placas e pinos, e nos procedimentos cirúrgicos. Kennedy lembra as pesquisas realizadas com proteínas morfogenéticas do osso para induzir a transformação das células-tronco que não tiveram avanços promissores.

“A gente sabe que todo esse processo de pesquisa demanda tempo, quem sabe lá na frente nós tenhamos avanços nesse sentido, mas hoje ainda não existe um substituto que apresentou muito resultado clínico. O que a medicina vem fazendo é utilizar materiais mais leves, procedimentos cirúrgicos menos agressivos ao paciente”, pontuou.

A busca pelo financiamento

Em busca de produzir o composto, a equipe também está em diálogo com a Pró - Reitoria de Pesquisa e Inovação (PRPI) do Ifal para viabilizar a produção em Alagoas. “As esferas de látex já são produzidas comercialmente, mas no sentido da pesquisa é inovador. Se com as esferas micrométricas a gente conseguiu algo em torno de duas vezes, com as nanométricas a gente pode conseguir resultados ainda melhores. Vamos à China para divulgar, quanto mais divulgarmos, mais a gente recebe apoio e isso é importante, pois pode surgir interesse de alguém financiar. Sem falar que é uma oportunidade única para esses meninos irem para outro país", disse o professor.

Para o secretário de Ciência e Tecnologia, Pablo Viana, o estado tem apoiado de várias formas a ida de estudantes para outros estados e outros países, uma delas tem sido por meio da Fundação de Amparo a Pesquisa (Fapeal), importante ferramenta para fomentar pesquisas e incentivar pesquisadores. A Secti também vem atuando no apoio a eventos voltados para alunos de nível fundamental e médio, como forma democrática de apoiar e incentivar a pesquisa científica no estado.

“Toda vez que o estudante vai para fora do estado ou para fora do país, é uma experiência que reflete na carreira dele e de todos que trabalham com ele. O fato dos alunos Ifal irem para a China, um pais referência na produção industrial, com certeza eles voltam diferentes, vão trazer uma bagagem capaz de aprimorar os conhecimentos”, avaliou.

Pablo destacou ainda que apesar da crise econômica atingir o financiamento de pesquisas por meio de recursos federais, como é o caso do CNPQ, nos últimos anos a produção científica e tecnológica em Alagoas tem se destacado e vem favorecendo o crescimento do ecossistema de ciência e tecnologia no estado.

“A Fapeal tem apoiado muitas pesquisas que estão fora do eixo de investimentos federal. A disseminação do que tem acontecido tem aumentado, tem se tornado mais acessível o que acontece nas empresas, escolas e universidades, o que torna mais fácil de empresas e investidores buscarem essas pesquisas. Hoje já é possível que empreendedores, estudantes e empresários consigam manter-se em Alagoas, sem precisar recorrer a outro estado para desenvolver seus produtos”, completou.

Ansiedade e esperança

Para nós, Dalian é uma desconhecida, mas a cidade tem uma história complexa. Situada na península Liaodong, Dalian foi elevada em 1898 de uma vila de pescadores a uma cidade portuária sob domínio russo. Na década de 1930 esteve sob o domínio japonês e em 1950 a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) devolveu a cidade ao comando do governo chinês.

Atualmente, sua arquitetura contrasta entre o estilo russo e japonês, incorporado ao longo dos anos, com a modernidade dos mega prédios comerciais. A Organização das Nações Unidas (ONU) classificou a cidade como ideal para se viver, devido ao grande número de praças, jardins e fontes. As suas praias tem alto poder turístico, devido ao mar azul e as areias brancas.

É neste mix de passado e futuro que Antony e Wagner vão aterrissar na primeira vez que irão tão longe de casa para apresentar um trabalho. A viagem mais longa que os estudantes realizaram na companhia do professor Djalma Barros foi para o Rio Grande do Norte para participarem do Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciências dos Materiais (Cbemat) em 2016. Wagner conta que também já participou em 2015 do XIV Encontro da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Materiais (SBPMat), no Rio de Janeiro.

“Nunca viajamos para fora do país, essa será a primeira vez e estamos bem ansiosos e felizes de apresentar o resultado da nossa pesquisa na China, um país referência na produção e na inovação”, disseram Antony e Wagner.

Prefeito Rui Palmeira garante apoio de ministérios a Maceió

Foto: Pei Fon/ Secom Maceió B3ff4cc1 05ad 40ef 8a2c 14cdcb942d0e prefeito Rui Palmeira e o vice-prefeito Marcelo Palmeira acompanharam os trabalhos de atendimento e recuperação de estragos

O prefeito Rui Palmeira garantiu, na noite deste sábado (27), o apoio de diversos ministérios às iniciativas do município no atendimento às vitimas e a recuperação dos estragos causados pela enxurrada registrada nos últimos dias na capital.

Em contato com o prefeito, os Ministérios das Cidades, da Integração Nacional, dos Transportes, Portos e Aviação Civil, do Turismo e a Secretaria de Governo da Presidência da República já se colocaram à disposição da Prefeitura no atendimento as demandas da cidade.

Neste domingo, o prefeito Rui Palmeira coordenará, em Maceió, os trabalhos das equipes da Prefeitura formada pela Defesa Civil e coordenadas pela Secretaria Municipal de Governo. “Os ministros Bruno Araújo, Antônio Imbassahy, Helder Barbalho, Marx Beltrão e Mauricio Quintella já se colocaram inteiramente à disposição de Maceió, ofertando apoio da União neste momento de necessidade de nossa cidade. Esta iniciativa da União é fundamental e nos ajudará a recuperar parte dos danos causados. As vítimas, as famílias e a população necessitam de todo o empenho. Estamos trabalhando firme e arregimentando mais forças em prol de nossa cidade”, afirmou Rui Palmeira.

Em decorrência das fortes chuvas que atingem Maceió nos últimos dias, a Prefeitura decretou neste sábado (27) situação de emergência e estado de calamidade pública na capital alagoana. O decreto, assinado pelo prefeito Rui Palmeira e já em vigor, circulou em edição extraordinária do Diário Oficial do Município e atende solicitação da Defesa Civil da cidade, em conjunto com a Secretaria Municipal de Governo.

Todas as equipes da Prefeitura estão envolvidas nas operações de socorro e assistência às vitimas e recuperação dos estragos. “Estamos nas ruas 24 horas com inúmeros servidores, parceiros e colaboradores nesta tarefa. Todos os secretários foram mobilizados e estão atuando com todo o empenho. Instituições de outras esferas governamentais e do governo estadual, como o Corpo de Bombeiros de Alagoas, têm também tido um papel vital neste atendimento. Juntos, vamos fazer o melhor e buscar reverter este cenário”, afirmou o vice-prefeito Marcelo Palmeira.

A Defesa Civil de Maceió está em alerta e de plantão para atendimentos na cidade. Secretarias das áreas de serviço como Infraestrutura, Iluminação, Limpeza, Desenvolvimento Sustentável e a SMTT, além de outros órgãos, mobilizaram seus efetivos e estão nas ruas atendendo, in loco, as demandas.

“Vamos neste domingo intensificar os trabalhos, inclusive com a coordenação do próprio prefeito. As previsões indicam que ainda teremos chuvas na cidade e a determinação do prefeito Rui Palmeira é de força total nesta operação”, disse Tácio Melo, Secretário de Governo da Prefeitura.

*com Secom Maceió 

Situação em Marechal Deodoro piora e mais de 300 pessoas ficam desabrigadas

Foto: Bruno Rios Cd2dbcc4 9075 4815 ade9 aebe3d442207 Marechal Deodoro em situação de emergência

A situação no município de Marechal Deodoro piorou desde as últimas horas da madrugada deste domingo (28). Segundo informações da assessoria de comunicação da prefeitura da cidade, o número de desabrigados passa dos 300. Equipes do Corpo de Bombeiros, Exército Brasileiro, Polícia Militar e funcionários da prefeitura se reuniram em uma grande força-tarefa para prestar socorro às vítimas.

A assessoria também informou que o acesso ao Centro Histórico pelo bairro Barro Vermelho somente de canoa ou caminhão do exército, visto que a água já subiu mais de um metro.

Também já há registros de alagamentos na Massagueira, Ilha de Santa Rita, Riacho Velho. Ainda conforme a assessoria, a Barra Nova está em estado de alerta.

Devido às chuvas e o número de pessoas desabrigadas, a prefeitura de Marechal pede doações de  precisando de alimentos, roupas, agasalhos, água, fraldas e materiais de higiene pessoal.

As doações podem ser deixadas na Associação dos Municípios Alagoanos, em Maceió ou levadas para a Secretaria de Educação de Marechal.

*com informações da assessoria 

 

Corpo de Bombeiros retomam buscas por quatro pessoas desaparecidas

Foto: Assessoria 07ae44f0 dee7 4b8b 8f0d d2a366160313 Corpo de Bombeiros Militar

O Corpo de Bombeiros retomou, na manhã deste domingo (28), as buscas pelas quatro vítimas do deslizamento na Grota do Santo Amaro, no bairro da Gruta.  O deslizamento ocorreu na manhã desse sábado (27) e há uso de escavadeiras, ajuda do canil e policiais militares para localizar as quatro pessoas.

Segundo informações do CB, as buscas pelas vítimas precisaram ser suspensas por um momento devido à instabilidade que o local apresenta.

Durante a madrugada, militares foram acionados e se deslocaram até a cidade de Marechal Deodoro, onde pessoas ficaram isoladas até o rio subir e também atenderam chamados em Jacuípe.

Balanço até a noite de sábado contabiliza 107 desabamentos de barreiras

723fa340 790b 47a3 b99a 99164ff99620

Para garantir o atendimento à população atingida pela chuva, a Prefeitura de Maceió reforçou, neste sábado (27), a força-tarefa que integra órgãos municipais para dar suporte ao trabalho coordenado pela Secretaria Adjunta Especial de Defesa Civil. Após o dia de trabalho, quando equipes divididas em 70 veículos estiveram em diversas localidades, os titulares das secretarias se reuniram para avaliar os resultados e planejar as ações operacionais dos próximos dias.

Com o número de ocorrências registradas, foram definidas áreas onde a força-tarefa deve intensificar o trabalho. De acordo com o secretário municipal de Governo, Tácio Mello, localidades como Flechal de Baixo, Chã Nova, Chã da Jaqueira e a Grota do Pau D’Arco tiveram incidentes de maior proporção, com vítimas fatais, e por isso terão o monitoramento de demandas ampliado. Nos próximos dias, uma vistoria será realizada nestas regiões.

Participaram da reunião os secretários Dinário Lemos (Defesa Civil), Ib Brêda (Infraestrutura), Gustavo Acioli Torres (Desenvolvimento Sustentável), Ivon Berto (Segurança) e Celiany Rocha (Assistência Social), e os superintendentes Davi Maia (Limpeza), Frederico Lins (Iluminação), além de assessores do Gabinete do Prefeito.

Sobre as ocorrências, o balanço divulgado concentra os dados dos chamados recebidos durante o sábado e também o número acumulado desde o último domingo (21), quando a chuva passou a ser registrada em maior volume. Ao todo já são 371 casos, sendo 107 deslizamentos de barreira (57 neste sábado), 60 desabamentos de residências (48 neste sábado), 38 quedas de árvores (11 neste sábado), 16 pontos de inundação, 77 ameaças de quedas de árvores (seis neste sábado), 19 ameaças de deslizamentos de barreira e 54 ameaças de desabamento de residência (21 neste sábado).

Durante a reunião, a Defesa Civil também atualizou os dados da pluviometria. Conforme o monitoramento, até hoje já foram registrados 586 milímetros de chuva na capital durante todo o mês, número que é 53,32% maior do que o previsto para maio, quando normalmente o volume é de 382,2 mm.

Em relação às vítimas, o boletim oficial do Corpo de Bombeiros Militar registrou hoje quatro óbitos e quatro desaparecidos após deslizamento de barreira na Grota Santo Amaro, no bairro da Gruta, cujas buscas seguem no domingo (28). Entre ontem e hoje, o órgão também atendeu 35 pessoas e fez encaminhamentos destas vítimas para assistência no Hospital Geral do Estado. Deste total, apenas um paciente permanece internado em observação, mas sem risco de morte e com acompanhamento de assistentes sociais da Secretaria Municipal de Saúde.

A Defesa Civil informou, ainda, que a previsão para Maceió, conforme o monitoramento, é deve pancadas de chuva com intensidade moderada durante a madrugada e o dia de domingo.

Governador decreta situação de emergência em municípios mais afetados

A348e7f8 8159 426f b18e a0079450fca8

O governador Renan Filho anunciou, neste sábado (27), que decretou situação de emergência nos municípios mais afetados pelas fortes chuvas que atingem o Estado e já causaram deslizamentos de barreiras, elevação de rios e alagamentos na capital e interior.

Serão incluídas no decreto a capital Maceió e Marechal Deodoro, na região Metropolitana. Outros municípios estão sendo monitorados e, de acordo com as avaliações, podem passar a integrar o decreto, a exemplo do Pilar, no Vale do Paraíba, e de Jacuípe, na região Norte de Alagoas.

“A situação é de emergência, mas estamos preparados para fazer os enfrentamentos. Já contactei o presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), Hugo Wanderley; o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, e o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, como forma de estarmos todos juntos, colaborativamente, enfrentando essa situação de emergência em virtude das fortes chuvas que se abateram sobre o Estado”, declarou o governador.

Durante a tarde, Renan Filho esteve reunido, no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares, com secretários estaduais, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros (CB), coronel Adriano Amaral, e o coordenador da Defesa Civil Estadual, major Moisés Melo.

Na ocasião, o governador discutiu o panorama das chuvas no Estado e decidiu pela decretação da situação de emergência. Conjuntamente, ele também estabeleceu as medidas de socorro às vítimas, assistência e recuperação das áreas afetadas. Segundo o coronel Adriano Amaral, o CB mobilizou 70 homens na capital e outros 70 no interior.

Em Maceió, foram socorridas 37 pessoas e registrados quatro óbitos em soterramentos ocorridos em grotas da capital. Quatro vítimas permanecem desaparecidas na grota de Santo Amaro. No interior, oito pessoas foram socorridas e nenhum óbito registrado até o momento. Em Marechal Deodoro, 250 famílias estão desabrigadas e vão receber, ainda neste sábado, água mineral, cestas básicas e material de higiene e limpeza.
O ponto para entrega de donativos é a sede da Cruz Vermelha, que fica em frente ao Maceió Shopping.

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com