Ministro da Integração Nacional garante apoio para Alagoas

Foto: Facebook 8cbccb4c cd16 4714 9e1f 00fb6ed92c8f Ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho

Na manhã deste domingo, 28, o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, escreveu em suas redes sociais uma nota em solidariedade ao povo alagoano, por conta das fortes chuvas que atingiram o Estado de Alagoas nos últimos dias. 

Hélder Barbalho disse que entrou em contato com o governador Renan Filho (PMDB) e o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), para ajudar no que for preciso - tanto na capital alagoana quanto em cidades atingidas pelas chuvas. 

"Venho me solidarizar com a população de Maceió, que está sofrendo com o grande volume de chuvas. Já entrei em contato com o governador Renan Filho, o prefeito de Maceió, Rui Palmeira, e o ministro do Turismo, Marx Beltrão, colocando o Ministério da Integração junto com a Defesa Civil à disposição para ajudar no que for preciso não só em Maceió, como também nas demais cidades atingidas", publicou Barbalho. 

O ministro da Integração Nacional conversou também com o ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB), para se colocar à disposição do Estado. Via Facebook, Beltrão respondeu dizendo que conseguiu a ajuda da Defesa Civil Nacional para amenizar a situação em Alagoas.

"Alagoas está sofrendo com grande volume de chuvas. Há vítimas que perderam a vida, desabrigados, risco de desmoronamentos, além da necessidade de cuidar dos que perderam tudo. Já conseguimos com o ministro Helder Barbalho (Integração Nacional) a ajuda da Defesa Civil Nacional. Mas isto não basta. Todos nós devemos ajudar as nossas irmãs e irmãos que estão sofrendo com as chuvas. Vamos dar as mãos, ser solidários e ajudar no que pudermos. Nesta hora, somos todos alagoanos e devemos estar juntos e unidos", escreveu Marx Beltrão. 

Já o governador Renan Filho, segundo a assessoria, se reuniu no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares, com secretários estaduais e integrantes do comando do Corpo de Bombeiros (CB), da Defesa Civil Estadual e da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, e determinou a adoção de medidas de socorro e assistência às vítimas das enchentes e deslizamentos nos municípios afetados.

Prefeitura de Maceió 

Ontem, (27), além de mobilizar o apoio do Exercito aos trabalhos da Prefeitura de Maceió durante as intensas chuvas que atingem a cidade, o prefeito Rui Palmeira também garantiu o apoio de diversos ministérios às iniciativas do município no atendimento às vitimas e a recuperação dos estragos causados pela enxurrada registrada nos últimos dias na capital.

Hoje, 28, de acordo com o site da Secom-Maceió, Rui Palmeira coordenará, em Maceió, os trabalhos das equipes da Prefeitura formada pela Defesa Civil e coordenadas pela Secretaria Municipal de Governo.

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Chuvas em Maceió revelam o tamanho da administração de Rui

Vanessa Alencar 1f8dcfe7 7743 4468 a0c1 c994566934ce Rui Palmeira (PSDB)

Não é de se estranhar ao ouvir centenas de populares reclamando da situação que se encontra Maceió - nos últimos dias - com as fortes chuvas que caem na capital alagoana. 

O resultado de ruas alagadas, carros sem condições de trafegar, quedas de barreiras e prejuízos devido ao temporal não podem ser levados como culpas para o gestor. Ou pode? 

Ninguém também tem como prevê tragédias em meio ao período chuvoso que estagnou em Alagoas.

Porém, é de lembrar que - com todo caos - não houve uma preparação dos órgãos responsáveis para "precaução (ação antecipada)" do que poderia acontecer nesse período? 

As chuvas em Maceió têm mostrado o tamanho da administração do prefeito Rui Palmeira (PSDB) quanto à parte de infraestrutura na cidade. 

A capital alagoana é uma cidade desestruturada se comparada com alguns municípios do interior.

A insatisfação dos maceioenses - e quem em Maceió mora e paga seus impostos - com a gestão de Rui tem aumentado e sendo totalmente contrária (em cinco meses da segunda gestão) ao que ele obteve (em percentual de votação) na eleição do ano passado. 

Palmeira, ao que parece, tem feito apenas o verdadeiro e puro "marketing político" de obras realizadas na cidade, ao invés de realmente mostrar o que é concreto, verdadeiro e concluso. 

As obras de infraestrutura na capital - vistas em inserções nas Tvs - não condiz com a realidade vivenciada por moradores da maioria dos bairros de Maceió. 

A queda de barreiras é imprevisível, claro, mas não há estudos técnicos para contenção? 

Será?

Palmeira foi reeleito com 60.27% (241,977 votos válidos) na promessa de realizar obras grandiosas, acabar inclusive com esses problemas em tempos de chuvas e dar uma melhor infraestrutura na capital considerada dos Réveillons.

Aliás, falar que Maceió recebe um título desse é até uma vergonha dizer para quem vem de outros Estados e que vai sair com a imagem negativa ao se deparar com essas situações cotidianas que eram vistas apenas no interior.  

Maceió é sim a capital dos buracos, alagamentos e bairros debaixo de chuvas sem a mínima condição de transitar (muito menos a pé). 

As "vozes das ruas" - é o que comentam populares diante de tantos problemas do dia a dia que a Prefeitura não consegue solucionar - dizem que, infelizmente, o segundo mandato do prefeito Rui Palmeira ainda não iniciou. 

No entanto, é tempo da administração Palmeira sair das propagandas em TVs/mídias sociais e ganhar a confiança da população maceioense. 

Se é que ainda pode ganhar tal confiança!

Maceió é uma capital com mais de um milhão de moradores que necessita de verdadeiras obras de infraestrutura para melhor locomoção, moradia, tráfego, trânsito e cautela em períodos chuvosos.

Se em avenidas da orla de Ponta Verde, Pajuçara e Jatiúca o caos em alagamentos é enorme, imaginem bairros e grotas que a situação de infraestrutura é muito mais precária.   

Prefeito Rui Palmeira, como cidadão, faça valer os votos dos maceioenses que deram mais quatro anos a Vossa Excelência à frente da Prefeitura. 

Em tempo: Segundo assessoria do Palácio República dos Palmares, o 'governador Renan Filho suspendeu agenda no Sertão e está retornando a Maceió para comandar pessoalmente junto da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros ações de enfrentamento à situação de emergência causada pelas chuvas excessivas na capital e interior.'

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

A zona azul, o jornalismo prestando serviço e os políticos oportunistas

Foto: Kleverson Levy/CM/Arquivo 934031bb 08c9 475b b285 4749c2c89d09 Implantação da Zona Azul na Rua Professora Edith Brandão Nogueira

Sempre foi - desde o início - cada dia mais 'indesejável' o formato de implantação da Zona Azul em Maceió. O tema foi levantado por este jornalista aqui Portal Cadaminuto.

No início deste mês, a SMTT tentou implantar placas de sinalização na Rua Professora Edith Brandão Nogueira, que fica ao lado do Hipermercado Gbarbosa, com o objetivo de cobrar dos moradores para estacionar na porta dos prédios.

A matéria ganhou repercussão e, posteriormente, a própria SMTT enviou nota à imprensa cancelado a implantação nas ruas do Stella Maris.

Leia aqui: SMTT implanta Zona Azul em mais uma rua e gera insatisfação

A Zona Azul permanecia na capital alagoana por conta que o Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL) manteve, por unanimidade, a decisão do presidente Otávio Leão Praxedes que permitiu a implantação em Maceió. 

Contrário ao projeto, o vereador Silvânio Barbosa (PMDB) comunicou também que solicitou à Câmara de Vereadores de Maceió uma audiência pública que deveria acontecer nesta quinta-feira, 25, às 9hrs, para debater com orgãos responsáveis sobre a implantação da Zona Azul na capital alagoana. 

Desde que o Ministério Público de Contas (MPC), por meio da sua 5ª Procuradoria de Contas, expediu ofícios ao prefeito de Maceió e ao Superintendente de Transporte e Trânsito do Município de Maceió (SMTT), recomendando a imediata suspensão da execução do sistema de estacionamento rotativo pago na capital alagoana, o problema foi se agravando imediatamente.

Segundo o MPC, além da ausência de lei que estabeleça a remuneração pela utilização de bem de uso comum do povo, aspecto já discutido nos autos da Ação Civil Pública nº 0800347-73.2017.8.02.0001, ajuizada pelo Ministério Público Estadual, foram verificados indícios de irregularidades que viciam a definição do preço na contratação da empresa responsável pela venda dos créditos e fornecimento de software e equipamentos, o que se deu através do Pregão Eletrônico nº 01/2015. 

Audiência na Câmara

Já a Prefeitura de Maceió, através do superintendente Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), Antônio Moura, havia enviado ofício convocando uma reunião do Conselho Municipal de Transportes Coletivos para ampliar a Zona Azul em Maceió. 

A audiência estava marcada também para o dia 25 de maio. Sem avisar à Câmara de Maceió, que já havia agendada a audiência pública para debater o assunto, o Conselho Municipal de Transporte ainda foi alvo de críticas por parte dos  parlamentares na sessão ordinária da última terça-feira (16). 

Clique e veja: Após polêmica, vereador solicita audiência pública para debater Zona Azul

Entre os vereadores, o sentimento é de que o prefeito Rui Palmeira (PSDB) precisaria rever a criação de matérias sem passar pelo crivo da Casa de Mário Guimarães. Além da expansão da Zona Azul, também causou estranheza o fato de o Conselho Municipal de Transporte querer discutir a proibição para transportadores alternativos intermunicipais continuar circulando dentro de Maceió, com passageiros da região metropolitana da capital.

Resultado da Imprensa

Todos os fatos e detalhes citados acima levaram -  imediatamente - a SMTT a suspender o contrato com empresa responsável pela cobrança da Zona Azul. 

Leia: SMTT suspende contrato com empresa responsável por cobrança da Zona Azul

“Com o objetivo de esclarecer possíveis dubiedades levantadas pelo Ministério Público de Contas do Estado de Alagoas, no procedimento administrativo, acato a recomendação emanada pela Douta Procuradoria de Contas, determinando, até ulterior deliberação, suspensão dos efeitos do contrato”, diz a decisão do superintendente Antônio Moura. 

Portanto, de certa forma, estava uma verdadeira "incoformidade" a implantação do projeto de Zona Azul que desagradou a maioria dos maceioenses que procuravam estacionar na região do Stella Maris. 

Este blog, assim como toda imprensa que mostrou os erros da Zona Azul, cumpre o papel de prestar serviço aos maceioenses e alagoanos.

Neste espaço, iniciei a discussão mostrando que seria errado a SMTT cobrar estacionamento em frente aos prédios próximos do Harmony Center. Já não bastasse no Harmony, a SMTT queria expandir para prédios residenciais.

Um absurdo! Foi cancelado! Graças!

Mas fica meu registro para dizer que o bom jornalismo presta um grande serviço à população. Apesar que tem político "pegando carona" (via redes sociais é só observar) na discussão, saliento que a denúncia e informação - em primeira mão - foi deste jornalista.

Não aos políticos oportunistas que usam de táticas - midiáticas - para terem algo benéfico em troca: o voto e admiração dos eleitores. 

Porém, o jornalismo é maior que a "politicagem" dos aproveitadores de informações. Jornalismo é prestação de serviço sem pedir nada em troca. 

Vida Que Segue! 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Porta-voz da filha, Cícero Cavalcanti dá as cartas na Prefeitura

Foto: Facebook 842cce01 2a3b 418b 9efb d22710839526 Cícero Cavalcanti e Fernanda Cavalcanti, ambos do PMDB

É bem verdade que o suplente de deputado estadual, Cícero Cavalcanti (PMDB), desde que se elegeu prefeito de São Luiz do Quitunde (em 2004) não mais perdeu uma eleição no município.

Cavalcanti se 'apropriou' da cidade como sendo sua terra natal (ele é natural de Matriz do Camaragibe).

De lá para cá só obteve vitórias (até na Justiça Eleitoral, quando conseguiu ganhar de Jean Cordeiro, prefeito eleito em 2008, e que depois cassado) para se manter no comando do município. 

Em 2012, Cavalcanti elegeu Eraldo Pedro (PMDB) - o prefeito marcado pelas idas e vindas na Justiça (ora estava afastado, ora retornava) - e perdeu o comando ao querer 'muito mais' na Prefeitura que era de seu agora ex-aliado. 

Na eleição do ano passado, em mais uma sábia conquista - não sei como! - com o povo quitundense, elegeu a filha e odontóloga, Fernanda Cavalcanti (PMDB), ao Executivo local. 

Leia também: Cícero Cavalcanti recua, em nome da filha, na disputa pela prefeitura

Derrotou, de novo!, a família Cordeiro que tinha como candidata a ex-deputada estadual, Fátima Cordeiro (PP). 

Porém, fontes fidedignas do blog disseram - a vista da situação - que o comandante da Prefeitura voltou a ser o suplente de deputado.

A questão é que Fernanda, apesar da ser a gestora e colocada no pleito por motivos políticos favoráveis ao pai, é chefe do Executivo apenas de direito, assinatura e no imaginário da população. 

Por lá, quem diz o que faz e o que não faz; nomeia; demite; fiscaliza; manda recado; articula e domina a gestão é mesmo Cícero Cavalcanti.

Inclusive, o pai acompanha a filha em tudo e até responde por ela em entrevistas na imprensa, como também, nos eventos do município. 

Na Câmara de Vereadores, 'Ciço do Norte' conseguiu maioria da casa legislativa ao oferecer vantagens para seus (dele) onze parlamentares que defendem - piamente - o governo dos Cavalcantis de São Luiz do Quitunde. 

Fernanda, no entanto, segue a cartilha ensinada e repassada pelo pai (Que não seja pelo passado tenebroso que todos conhecem bem). Mas é a prefeita eleita pelo povo!

Porém, quem quiser sair por bem tem que se aliar ao suplente de deputado ou então - como publiquei no ano passado - ele "dá o troco" em funcionário contra. 

Leia aqui: Deputado diz que se filha vencer eleição "dá o troco" em funcionário contra 

À época, em resposta ao blog, Cavalcanti disse que estava se' referindo aos que estavam votando errado, pois iria trabalhar pelo servidor público, trabalhar pela educação, pela saúde'.

Veja tambémCícero Cavalcanti responde matéria do CadaMinuto

Portanto, dizem que é um "novo tempo em São Luiz do Quitunde", se comparada a gestão do ex-prefeito Eraldo Pedro, mas no modelo antiquado (lá de 2004) Cícero Cavalcanti de administrar. 

Será? 

Redes Sociais: Kleversonlevy 

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Família de ex-deputado rebate acusações de Ângela Garrote

Foto: Cortesia 0832b714 8166 453e ae90 0e570c656420 Família de Helenildo Ribeiro, liderada pelo ex-prefeito James Ribeiro, rebateu às acusações

A ex-prefeita de Estrela de Alagoas, Ângela Garrote (PP), foi absolvida na acusação de ser a mandante do homicídio de José Roberto Resende Duarte.

O júri conduzido pelo juiz John Silas, da 9ª Vara Criminal da Capital, decidiu pela absolvição.

Leia mais aquiJúri absolve ex-prefeita Ângela Garrote, acusada de ser mandante de homicídio

Porém, a assessoria de comunicação do Ministério Público Estadual (MPE/AL) informou que o promotor José Antônio Malta Marques vai analisar se recorrerá ou não dentro do prazo legal que é de cinco dias. 

De acordo com o Ministério Público do Estado, o homicídio de José Roberto Resende Duarte teria sido encomendado por Ângela Garrote, na época primeira-dama de Estrela de Alagoas, e teria ocorrido após a vítima ter denunciado na imprensa supostas irregularidades de Ângela e do marido que estavam à frente da Prefeitura.

No entanto, Garrote disse durante seu depoimento que as motivações que levaram ela ser apontada como a mandante do crime tiveram conotações políticas e chegou a citar que o ex-deputado federal Helenildo Ribeiro (PSDB), morto em 2006, a teria denunciado pelo crime em Brasília, quando exercia seu mandato.

Leia mais aqui: Ângela Garrote relaciona acusação contra ela sobre homicídio a deputado falecido

Como resposta, a família de Helenildo Ribeiro, liderada pelo ex-prefeito James Ribeiro, rebateu às acusações da ex-prefeita de Estrela de Alagoas.

Em nota enviada ao blog, familiares disseram que o ex-parlamentar discursou sobre o assunto quando ocupava o cargo de deputado federal, em defesa do povo alagoano, especialmente da região de Palmeira dos Índios, e agiu como Promotor de Justiça.  

"Naquele momento, Helenildo discursou quando ocupava o cargo de Deputado Federal, em defesa do povo alagoano, especialmente da região de Palmeira dos Índios. Como se sabe, nosso saudoso Helenildo estava Deputado Federal, função pública que honrou por dois mandatos, quando fez a denúncia pública. Mas nesse, e em outros casos, Helenildo agiu como Promotor de Justiça que era, homem da Lei, por ter entendido que a denúncia era cabida, e os fatos que tinha conhecimento o levaram a fazê-la", descreve o texto. 

Por outro lado, os Ribeiros explicaram também que respeitam a tese da defesa e o resultado do julgamento. Além disso, reforçaram em nota que "as instituições fizeram, cada uma, a sua parte' e pedem respeito à memória do homem público sério, responsável e honrado que foi o ex-deputado federal e ex-prefeito, Helenildo Ribeiro. 

"Respeitamos a tese da defesa e o resultado do julgamento. Mas em respeito à memória de Helenildo Ribeiro, homem público sério, responsável e honrado, que em todos os cargos e funções que desempenhou em sua vida, o fez com estrita obediência à Lei e aos melhores princípios e valores da sociedade, características difíceis de se encontrar nesse meio. Por isso, vimos a público refutar as afirmações da ex-prefeita, que em sua defesa, atribuiu a questões políticas menores, à denúncia feita à época, pelo deputado e Promotor de Justiça, Helenildo Ribeiro. As instituições fizeram, cada uma, a sua parte. E Helenildo, como sempre fez, também cumpriu o seu papel, de defender à sociedade. Agora, pedimos que respeitem sua memória e o deixem descansar", finaliza a nota. 

Confira a nota na íntegra!

Família Ribeiro fala sobre declarações feitas por ex-prefeita Ângela Garrote  

O Deputado Helenildo Ribeiro, em saudosa memória, denunciou, da tribuna da Câmara Federal, o crime ocorrido no Distrito de Canafístula de Frei Damião, Município de Palmeira dos Índios, no ano de 1999, em que o Sr. Roberto Duarte teve sua vida ceifada covardemente.

Naquele momento, Helenildo discursou quando ocupava o cargo de Deputado Federal, em defesa do povo alagoano, especialmente da região de Palmeira dos Índios.

Como se sabe, nosso saudoso Helenildo estava Deputado Federal, função pública que honrou por dois mandatos, quando fez a denúncia pública. Mas nesse, e em outros casos, Helenildo agiu como Promotor de Justiça que era, homem da Lei, por ter entendido que a denúncia era cabida, e os fatos que tinha conhecimento o levaram a fazê-la.

Posteriormente, o Ministério Público de Alagoas ofereceu denúncia à Justiça, que tornou a ex-prefeita ré, e o Tribunal do Júri de Maceió, hoje, soberanamente, a absolveu.

Respeitamos a tese da defesa e o resultado do julgamento. Mas em respeito à memória de Helenildo Ribeiro, homem público sério, responsável e honrado, que em todos os cargos e funções que desempenhou em sua vida, o fez com estrita obediência à Lei e aos melhores princípios e valores da sociedade, características difíceis de se encontrar nesse meio. Por isso, vimos a público refutar as afirmações da ex-prefeita, que em sua defesa, atribuiu a questões políticas menores, à denúncia feita à época, pelo deputado e Promotor de Justiça, Helenildo Ribeiro.

As instituições fizeram, cada uma, a sua parte. E Helenildo, como sempre fez, também cumpriu o seu papel, de defender à sociedade. Agora, pedimos que respeitem sua memória e o deixem descansar. 

Depois de cumprir sua jornada neste plano com dignidade, é mais do que justo, pedir que a ele sejam dirigidas apenas orações.

Respeitosamente,

James Ribeiro e família.

Redes Sociais: Kleversonlevy 

Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Defensor Público deve disputar uma vaga ao Senado Federal

Foto: Facebook 8fb1564a 83e8 4cfd 91cb 6a88f0559915 Defensor Público, Othoniel Pinheiro

Filiado ao Psol, o Defensor Público Othoniel Pinheiro disse que vai disputar uma vaga ao Senado Federal em 2018.

Em conversa com este jornalista sobre o cenário político que se desenha para o próximo ano, Pinheiro afirmou que seu posicionamento está relacionado ao que ele 'acha que deve ser construído para o pleito de 2018'.

"Meu posicionamento está relacionado ao que eu acho que deve ser construído em 2018: uma frente de esquerda que mostre ao povo alagoano um alternativa sincera. Pretendo sim ser candidato, mas o cargo (senado, deputado, etc) quem define é o partido. A princípio vou colocar meu nome ao Senado Federal. Porém, isso só se define na convenção", comentou. 

Além disso, Othoniel Pinheiro explicou que pretende colaborar na construção de uma frente que possua, entre outros, dois alicerces importantes, neste momento, como fazer contraponto aos velhos caciques da política alagoana, bem como, lutar impiedosamente contra as reformas do governo Michel Temer (PMDB). 

"É preciso fazer contraponto aos velhos caciques da política alagoana, que constroem uma falsa polarização em torno da busca desenfreada por privilégios de toda ordem e que nos mantêm sempre nos últimos lugares dos índices econômicos e sociais e, consequentemente, lutar impiedosamente contra as reformas do governo Michel Temer e suas ideias de massacre dos direitos historicamente conquistados pelo povo brasileiro", disse Pinheiro. 

Ainda perguntei ao Defensor Público a opinião dele sobre a bancada federal de Alagoas que é representada pelos nove deputados federais e os três senadores. Pinheiro, no entanto, foi enfático em defender que é preciso de renovação política e ao sugerir seu nome na disputa. 

"Acho que essa bancada de Alagoas precisa de renovação. A maioria está distante dos interesses do povo. Uma boa parte vota a favor das reformas sem dialogar. A PEC do "teto dos gastos" é um exemplo. Para mim, essa PEC é péssima para o povo. Tenho experiência na militância dos direitos sociais: combati a Escola Livre, dei palestra nas ocupações do ano passado e organizei passeatas. Tenho um bom currículo, experiência de 14 anos como Defensor Público e conheço as demandas do povo", pontuou.  

Por fim, questionei - pela experiência jurídica - qual a visão dele sobre o momento político do país, inclusive, os fatos que ganham mídia nacional - como a Operação Lava-Jato - e acusações contra os senadores Renan Calheiros (PMDB), Biu de Lira (PP) e Fernando Collor (PTC).

"Sou um constitucionalista. Defendo a presunção de inocência e o devido processo legal. Acho que devemos depositar esperanças para que o judiciário resolva logo quem é culpado ou não", concluiu Othoniel Pinheiro. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Prefeito do Pilar sai do PSDB e não vai para o PMDB

Foto: Facebook 2967c7e6 fe6b 485c 94ef 23b811622aab Prefeito do Pilar, Renatinho Rezende

Era dado como certa a ida do prefeito do Pilar, Renato Rezende Rocha Filho, o Renato Filho ou Renatinho Rezende (PSDB), para a sigla comadada pelo senador Renan Calheiros e o governador Renan Filho, ambos do PMDB. 

Porém ,revelou-me uma fonte pilarense que o Renato Filho vai sair (ou já saiu) do PSDB para se filiar ao Partido Republicano Brasileiro (PRB). 

Para quem não sabe, o PRB hoje é presidido pelo ex-prefeito de Jequiá da Praia e atual secretário municipal de Educação de Marechal Deodoro, Marcelo Beltrão.

O PRB é mais uma sigla que está sob o comando do atual ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB). 

Beltrão, inclusive, foi apoiador da candidatura vitoriosa de Renatinho Rezende em Pilar. 

Contudo, o prefeito pilarense não deve se opor ao governo de Renan Filho. Me disse um aliado dele que - apesar de longe do palanque durante o pleito de 2016 (RF apoiou Carlos Alberto Canuto - PMDB) - o governador tem levado benefícios para população do Pilar.

Com isso, o Governo do Estado tem ajudado a gestão de Renatinho a ser bem avaliada perante opinião pública. 

Segundo matéria divulgada aqui no Cadaminuto, uma pesquisa do Instituto Ibrape apontou que 50% dos moradores consideram como a boa a administração e 86% aprovaram a forma como o prefeito vem conduzindo as medidas para melhorar a cidade.

Leia mais aqui: Renato Filho tem 86% de aprovação popular no Pilar

Já em sua página no facebook, em tom de 'recado' para o ex-prefeito Carlos Alberto Canuto, Renatinho foi bastante enfático ao afirmar que na sua administração "acabou a ostentação, amaroks, cavalos de 100mil e de pessoas que amanheceram ricos com a Prefeitura."

"Tenho me dedicado nesses últimos 4 meses em fazer a transformação que o Pilar precisa, não apenas em obras, mas na autoestima das pessoas, no desejo de esperança e acima de tudo com um Governo honesto e transparente. As pessoas estão cansadas com tanta roubalheira e safadeza na política, as pessoas querem que os serviços públicos funcionem, querem que seus impostos sejam revertidos para o bem da cidade. Acabou o Pilar da ostentação, acabou o Pilar das amaroks, acabou o Pilar dos cavalos de 100mil, acabou o Pilar daqueles que nunca deram uma dia de serviço na vida e amanhecem ricos com a Prefeitura. Chegou a hora do Pilar para todos!!", escreveu o gestor. 

Por outro lado, vale lembrar que o prefeito do Pilar só não foi parar na ala peemedebista por conta de seu tio e adversário político, o ex-prefeito Carlos Alberto Canuto (derrotado nas urnas), ser um grande fi-aliado do PMDB de Renan Calheiros. 

No mais, quem vem perdendo é o PSDB do ex-governador Teotonio Vilela Filho que - aos poucos - vai ficando 'pequeno' para 2018. 

Será?

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Câmara de Palmeira aprova "Lei Delegada" que aumenta gastos na Prefeitura

Foto: Assessoria da Câmara de Palmeira Edeabb76 535f 4991 a575 e9cc246b265f Plenário da Câmara de Vereadores de Palmeira dos Índios

Pode passar despercebida na imprensa palmeirense, mas este blog publica que o prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar (PSB), fez valer o que tanto criticou enquanto vereador e opositor do ex-prefeito James Ribeiro (PMDB): a criação do tão falado "Trem da Alegria". 

À época, em 2013, a Câmara de Vereadores de Palmeira dos Índios rejeitou a emenda à Lei Orgânica do município, enviada pela gestão de Ribeiro, para criação da Lei Delegada N.º 1.958/2013 que permitia acrescentar 212 cargos comissionados.

Após repercussão negativa na imprensa e redes sociais, o "Trem da alegria" foi rejeitado no legislativo municipal. 

Porém, desde o dia 08 de maio (segunda-feira) entrou em vigor o novo "Trem da Alegria 2" na gestão de Júlio Cezar e do seu vice-prefeito, Márcio Henrique (PPS), que foi também - enquanto parlamentar - o primeiro a se opor à Lei Delegada na era do ex-prefeito.

Lei Delegada Nº. 2.124 De 08 De Maio De 2017, aprovada pela Câmara de Vereadores do município e sem alarde por parte dos parlamentares, teve como objetivo principal "reorganizar a estrutura administrativa dos órgãos e entidades da Administração Pública Direta que integram o Poder Executivo do Município de Palmeira dos Índios e definir suas áreas e finalidades de atuação no exercício das competências que lhe são atribuídas pela Lei Orgânica do Município".

Confira a estrutura da Lei Delegada Nº. 2.124 De 08 De Maio De 2017

O blog fez um comparativo das duas Leis Delegadas (N.º 1.958/2013 e Nº. 2.124 De 08 De Maio De 2017). Houve, na atual gestão, a criação de menos cargos com o aumento de salários (eram 211 comissionados e agora passou para 200). 

Os cargos existiam anteriormente, no entanto, com a nova Lei Delegada de 2017 - apesar de reduzidos os comissionados - os salários subiram, a exemplo de 96 "Gerências" incluídas na reforma "imperial" ao custo de até R$ 2.000 e o poder de dar função gratificada sem limites. 

Despesas para o Executivo

Com a reformulação do "Trem da Alegria 2", a tal Lei Delegada Nº. 2.124 De 08 De Maio De 2017, as despesas da estrutura administrativa partiram de R$ 390 mil para R$ 538 mil mensais. 

Ou seja, um aumento de 38,07% a mais para o Executivo palmeirense custear os cargos em comissão. Há de salientar, ainda, a questão das funções gratificadas que a lei não prevê limite. 

Em reais para o município, a Prefeitura de Palmeira dos Índios vai gastar cerca de R$ 2.355.210,00 (dois milhões, trezentos e cinquenta e cinco mil e duzentos e dez reais) por ano. 

Antes, os gastos totais eram de R$ 475.800,00 (quatrocentos e setenta e cinco mil e oitocentos reais) e passou - atualmente - para R$ 656.970,00 (seiscentos e cinquenta e seis mil e novecentos e setenta reais).  

Agora, o aumento mensal das despesas (de R$ 475.800 para R$ 656.970) subiu para R$ 181.170,00 (cento e oitenta e um mil e cento e  setenta reais) - valor patronal. 

Contudo, até o fim do mandato (quatro anos - 2020) da gestão JC, o município terá que desembolsar exatos R$ 8.696.160,00 (oito milhões, seiscentos e noventa e seis mil e cento e sessenta reais) dos cofres públicos. 

Cargos e salários 

Já na parte da estrutura organizacional, apenas para se ter uma ideia, as Secretarias Municipais de Educação, Saúde, Assistência, Inclusão e Desenvolvimento Social, Gestão Pública e Patrimônio são as que se utilizam da maioria dos cargos comissionados. 

O interessante é que todas as pastas citadas acima também compõem maior parte com o cargo de "Gerências" (incluídos na reforma ao custo de até R$ 2.000 e o poder de dar função gratificada sem limites). 

Educação - 33 (23 Gerentes) 

Saúde - 27 (17 Gerentes) 

Assistência, Inclusão e Desenvolvimento Social - 21 (12 Gerentes)

Gestão Pública e Patrimônio - 33 (11 Gerentes)

Diante de tantas "Gerências" o que chamou atenção ainda foram os cargos lotados no Gabinete do prefeito. 

JC terá que "imperar" na Prefeitura com um (01) chefe de Gabinete, três (03) assessores especiais, quatro (04) assessores técnicos, quatro (4) assessores administrativos e, por último, cinco (5) diretores - de quê?. 

Portanto, a Lei Delegada Nº. 2.124 De 08 De Maio De 2017 está publicada, registrada e arquivada na coordenadoria de Patrimônio da Secretaria Municipal de Gestão Pública e Patrimônio e valendo pelo o Art. 35 que conclui: "Esta Lei entra em vigor a partir do dia 08 de maio de 2017". 

Resposta da Prefeitura

Em contato com assessoria de imprensa da Prefeitura de Palmeira dos Índios, o blog recebeu as seguintes respostas para os temas/fatos citados nesta matéria: 

Criação de cargos e aumento de salários: " Não criamos nenhum cargo. Houve na verdade uma redução de 10% em comissionados. Eram 218 e agora com a nova estruturação baixou para 200. Os salários de Palmeira dos Índios estão bem abaixo dos de municípios como Teotônio Vilela e Campo Alegre, por exemplo". 

96 Gerências a R$ 2.000: "Gerentes são cargos comissionados, portanto não são funções gratificadas. As gratificações somente podem serão dadas aos servidores efetivos, por ato do prefeito". 

Gastos anuais, mensais e aumento da despesas: "Este calculo não está correto. Ele está baseado em gratificação para comissionado. Como expliquei anteriormente, a gratificação não se aplica ao comissionado". 

Estrutura administrativa: "O prefeito irá utilizar, em alguns casos, servidor efetivo em cargo de direção, normalmente ocupado por comissionados. Com isso, o número de cargos em comissão tende a cair". 

Por fim, é o "Trem da Alegria", ora rejeitado em 2013, mas aprovado em 2017 - "às escondidas e em silêncio" - pela Câmara de Vereadores de Palmeira dos Índios, sem chamar atenção até da imprensa. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

O áudio em que Joãozinho Pereira pediu desculpa a Renan Calheiros

Foto: Site da Prefeitura de Teotônio Vilela 2622a86c 4ee0 4aae 9b3e 50ad56100380 Joãozinho Pereira pediu desculpas a Renan Calheiros

Com exclusividade, o blog recebeu o áudio em que o prefeito de Teotônio Vilela, Joãozinho Pereira (ex-PSDB e, agora, no PMDB), pediu desculpas - em público  - ao senador Renan Calheiros (PMDB).

O pedido veio após circular nas redes sociais e na imprensa alagoana um vídeo da campanha de 2014, quando Joãozinho Pereira chamou Calheiros de “ladrão de petróleo”, em discurso veemente no seu município.

A repercussão, óbvio, foi enorme!

Dizemos que em política tudo pode acontecer. Hoje, somos inimigos. Amanhã, quem sabe, amigos. 

Porém, à época, como divulgou o jornalista Davi Soares (Diário do Poder), o ex-tucano fez referência às primeiras citações de Renan Calheiros no escâdalo do petrolão, que o tornou multinvestigado em decorrência da Operação Lava Jato.

Na mesma fala, Pereira também critica o governador Renan Filho por ter tido votos em Teotônio Vilela e nunca ter feito nada pelo município. 

Pedido de Desculpa

Já quanto ao pedido de desculpas, o fato aconteceu no evento da última segunda-feira, 01, durante a solenidade da ordem de serviço para restauração asfáltica da rodovia AL-105, no trecho que liga a Usina Coruripe a Teotônio Vilela. 

Por lá, além de prefeitos da região, vereadores, correligionários, secretários municipais e de Estado, estavam o governador Renan Filho, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, e um "punhado" de gente acompanhando a caravana dos peemedebistas. 

Contudo, em meio aos discursos e ao citar indiferenças políticas, o prefeito Joãozinho não titubeou ao sobressair com sua história como político e ao dizer que os meios de comunicação "estraçalharam" seu trabalho por conta de um processo ocorrido em 2004. 

"Já cometi erros. Acertei muito! E quero aqui, em público, pedir desculpas pelos erros que cometi. Porque ninguém é perfeito. Há duas semanas, os blogs e os meios de comunicação do Estado, me escancararam e estraçalharam de um processo de 2004, ainda quando prefeito de Teotônio Vilela. Me acusaram e fizeram um estardalhaço grande que parecia que eu perderia o mandato.  Eu digo: Meu deus, o que passa na cabeça dos alagoanos que não conhecem o trabalho de Joãozinho?. Devem está pensando o quê de mim? Olha, alí é mais um!", comentou.  

O prefeito de Teotônio Vilela ainda fez um enorme preâmbulo de sua trajetória desde prefeito até chegar no perdão para Renan Calheiros.  

Todavia, chegou!

"Eu me coloquei no lugar do senador Renan Calheiros, onde no palanque passado, que fazia oposição, acusei-o, julguei-o! Desculpa, senador Renan Calheiros. Esse é o primeiro momento que falo perto do senhor, em praça pública, com os meios de comunicação que tem. Então, o homem público é isso. É o trabalho! E o senhor desce do palanque, junto com seu filho [governador Renan], desde o dia que ganhou as eleições. Desceu aqu no município esse jovem [Renan Filho] que dizia que era filho de Alagoas e eu não entendi naquela época. Hoje, estou vendo que ele é filho de Alagoas porque trabalha por cada alagoano. Parabéns, governador. Obrigado por tudo! Obrigado, senador. Muito obrigado por tudo! Eu vim pra o PMDB para somar", enfatizou Joãozinho. 

Por fim, a política - não só em Alagoas -  retrata o que sempre foi favorável para os que estão no Poder: a conveniência de aceitar tudo, até ofensas, em troca de apoios e cargos públicos.

Eis a politicagem apresentada "na cara do povo" que aplaudiu achando que estaria vangloriando um super-herói. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Veja abaixo o vídeo de 2014!

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Jornalista diz que prefeito é "demagogo, oportunista e mestre em fazer marketing"

Foto: Cada Minuto 1aa40dd6 c70e 44d6 a98c 121de3456333 Prefeito de Palmeira dos Índios, Julio Cezar

Não é de hoje que o prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar (PSB), o "imperador", é alvo de críticas por sua gestão que "ainda não disse o que veio fazer" - após mais de 120 dias à frente do Executivo local. (É mais um gestor que repito tal frase)

Entre promessas e mais promessas, cargos comissionados nas mãos de vereadores, familiares sendo beneficiados e uma gestão que usa o marketing-político-eleitoral para que a população subentenda que o gestor trabalha, todavia, são apenas alguns apontamentos negativos do modelo JC de administrar.  

Também não é de agora que o prefeito palmeirense, o famoso "filho da verdureira", vem sendo comparado ao ex-prefeito Albérico Cordeiro, no tocante modelo administrativo idêntico em atitudes e até virtudes, porém, sendo visto como uma 'cópia genérica de Cordeiro'. 

No final de semana, a jornalista Grazi Duarte, do Estadão Alagoas, criticou o prefeito ao perceber que o gestor se colocou como 'idealizador de um projeto" que ela teria conseguido para o município.

Trata-se do voo de parapente que foi divulgado no site da Prefeitura e nos meios de comunicação como um trabalho do "imperador". Veja o material aqui: Voo de parapente vai colocar Palmeira dos Índios na rota do turismo de aventura

Por conta disso, Grazi Duarte usou sua rede social (ver anexos abaixo) indignada por ter sido chamada pelo inexorável JC de "desocupada" e que o governo atual incomoda pessoas como a colega jornalista. 

"Hipocrisia e demagogia não faltam ao poder público municipal. O prefeito Júlio Cézar teve o cinismo de dizer que o governo dele me incomoda. Em que pese estar começando a tentar tapear a população, as verdades e os atos administrativos vão aparecendo com o tempo, como por exemplo o número excessivo, inexplicável e sem justificativa plausível do mesmo sobre nomeações beneficiando parentes e outras pessoas diretamente ligadas a alguns vereadores e aliados. Isso sim, incomoda e inquietarão a população palmeirense outros passos em falso que, por certo, constam de seu rol de futuras ações que denotam o seu costumeiro deslumbramento com o poder", escreveu Duarte. 

Em outro trecho, Grazi diz que aponta erros porque espera que JC cumpra com o que disse em palanque. A jornalista reiterou ainda que não poderia ficar incomodada com um governo que deveria suprir a necessidade do povo.

"Pelo contrário, eu aponto erros porque espero que o senhor prefeito cumpra com o que disse em palanque, até porque, como poderia ficar incomodada com um governo que pensei suprir a necessidade do povo e cumprir em partes o que prometeu em palanque. Em partes, devido à vasta lista de histórias de traições que tem sido protagonista ao longo de sua trajetória política. Antes da eleição, o "filho da verdureira", como demagogicamente se autodenomina o prefeito, era pessoa humilde, totalmente diferente do "imperador" que vemos hoje. Mostra-se ser de família humilde, mas só gosta de rico, é só olhar quem está no seu governo", completou Grazi. 

Por fim, Duarte disse que o Estadão Alagoas é uma grande oficina de serviço social e de trabalho e atribuiu o termo "desocupada" àquele que se camufla atrás de estratégias de publicidade baratas e antiquadas. 

"Superficialidade é o seu nome. Subterfúgios são a sua prática. O que vemos hoje é uma produção midiática. O Estadão Alagoas é uma grande oficina de serviço social e de trabalho e eu, Grazi Duarte, uma mulher firme e determinada que trabalha diuturnamente por esses ideais. Muito diferente de quem se utiliza da ingenuidade popular para fingir que é um ser político bastante ocupado. Desocupado é aquele que se camufla atrás de estratégias de publicidade baratas e antiquadas. E um “mestre” em fazer marketing e de péssima qualidade; um aprendiz, ainda muito amador, do falecido Albérico Cordeiro, que só se satisfaz com todas as luzes da ribalta, iluminando e cercando a sua imagem. Vaidade, "meu sinhô", não leva ninguém à lugar nenhum. Quero ter o prazer de está enganada. Desça do palanque e boa sorte", finalizou Grazi Duarte. 

Como o agora prefeito - antes colega jornalista - é complicado para atender telefone ou falar pessoalmente, o espaço fica aberto para suas respostas. 

Portanto, é fato afirmar que o "O Poder não muda as pessoas. O Poder apenas revela e potencializa os defeitos de uma pessoa". 

Vida que Segue! 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.
Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com