Áudio: prefeito chama vereadores de "Patota" e cria mal-estar entre Poderes

Foto: Assessoria 2f15fabb 612b 4056 b5c1 51541925a8d8 Sessão da Câmara de Palmeira é marcada por ofensas

Não tem sido nada boa a relação entre o prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar (PSB), e a Câmara Municipal de Vereadores. 

Em apenas sete (7) meses de gestão, o "imperador" vem enfrentado sérios problemas administrativos e, para completar seu início de mandato, entrou em rota de colisão com o chamado G-10 (grupos dos 10 vereadores) que se rebelaram contrário ao prefeito.

Formado pelos vereadores Abraão do BMG (PRTB), Agenor Leôncio (PSB), Cristiano Ramos (PDT), Fábio Targino (PEN), Joelma Toledo (PMDB), Maxwell Feitosa (PMN), Madson Monteiro (PHS), Pedrinho Gaia (PMDB), Ronaldo Júnior (PROS) e Val enfermeiro (PMN), o G-10 foi chamado pelo prefeito de "patota". 

Já o G-5, a favor de JC, é formado por Adelaide França (PMDB), Toninho Garote (PP), Júnior Miranda (PSL), Dindor (PRTB) e Fabiano Gomes (PSC). 

Em discurso oficial no evento da Prefeitura, JC saiu para o ataque contra os parlamentares que reclamaram por não serem atendidos - leia-se requerimentos e solicitações - pelos secretários municipais da administração local.

Por conta do discurso contra o G-10, o mal-estar foi formado entre os Poderes Executivo e legislativo. 

"Não espero coisa boa. Não espero coisa boa! Aquela Patota não serve para trabalhar comigo e não é para ajudar Palmeira. Vocês vejam nos próximos dias ou nas próximas semanas. Quem quer trabalhar com o prefeito. Quem quer trabalhar com o governo. Dar às mãos com o governo. Vem junto comigo trabalhar com Palmeira. Não fica de patota tirando fotos. Porque vereador não foi feito para ficar em rede social não. Inclusive, tem um do meu partido que é o Agenor. Eu disse pra ele: Não estou satifeito com a Patota que está sendo feita na Câmara Municipal", disse o "Imperador". 

Como resposta ao prefeito, os parlamentares intitulados de "Patota" fizeram da sessão ordinária de ontem, 02, uma verdadeira "lavagem de roupa suja" contra-atacando o gestor palmeirense.

Um deles, inclusive, foi Agenor Leôncio (PSB) que - além de ser do mesmo partido - foi o primeiro a defender, em 2016, a candidatura de JC à Prefeitura de Palmeira dos Índios, como também, foi citado pelo prefeito no discurso. 

Na tribuna da Câmara de Palmeira, Leôncio mandou recado para o prefeito ao chamá-lo de "ingrato, covarde e que teve a coragem e a petulância de dizer ele era o líder da 'Patota'". Além disso, Agenor lembrou que  ajudou a elegê-lo e deu sustentação ao nome do gestor na disputa pela Prefeitura.  

"Prefeito Júlio Cezar: um prefeito que ajdei a eleger. Um prefeito que eu fiz por ele o que jamais faria por mim. Saí de um partido para dar sustentação a ele quando, naquele momento [2016], se sentia fragilizado. Minha gente, gratidão são poucos que sabem o que é isso. Prefeito Júlio Cezar, foi ingrato com o vereador Agenor Leôncio. Vereador que deu o sangue. Hoje está prefeito [JC] mas tenho certeza que deve ao Agenor Leôncio, uma das pessoas que abraçaram sua causa. Estou triste por ter ajudado muito esse moço que teve a coragem e a petulância de dizer que sou líder dessa patota. Minha gente, um prefeito que vai na via pública e chama os vereadores que dão sustetação a ele de Patota, mostrou o grau de incompetência", desabafou o vereador. 

Em outro trecho do discurso, o vereador do PSB comentou ainda que o prefeito prometeu coisas mirabolantes e que nunca pediu nada a ele. Porém, ressaltou que terá o momento de conversar de homem pra homem, olho no olho e com a presença dos vereadores chamados de "Patota". 

"Prometeu [prefeito] coisas mirabolantes! Nunca pedi a ele nada. Se ele tiver a petulância de dizer que pedi é mentira. ele que chegou dizendo que eu seria presidente desta Casa. Gente, covardia tem limideidte! Jamais seria capaz de pegar o microfone prá dizer que vocês [vereadores] são patotas. Não é fácil pra mim que me dediquei àquele moço (o "imperador"), que hoje é prefeito desta cidade. Estou magoado! Mas vai chegar o momento que vou conversar de homem pra homem, olho no olho e com a presença de vocês", finalizou Agenor Leôncio. 

Todavia, repito o que sempre disse aqui no Blog: entre promessas e mais promessas, cargos comissionados nas mãos de alaguns vereadores, familiares sendo beneficiados e uma gestão que usa o marketing-político-eleitoral para que a população subentenda que o gestor trabalha, todavia, são apenas alguns apontamentos negativos do modelo JC de administrar. 

É fato afirmar que o "O Poder não muda as pessoas. O Poder apenas revela e potencializa os defeitos de uma pessoa". 

Por fim, é o prefeito que foi eleito por 23.786 (64.62% votos válidos) dos palmeirenses e esqueceu que também passou quatro anos fazendo parte do que hoje ele chama de "Patota". 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Áudio de Renan Filho para Luciano Barbosa é editado contra Renan Calheiros

Foto: Assessoria do PMDB A64a307d 7421 4643 82f6 0edb6913a4d8 Governador Renan Filho (PMDB)

Não bastasse o governador Renan Filho (PMDB) ser satirizado nas redes sociais por conta de um vídeo sobre o aumento da gasolina (Governador é satirizado nas redes sociais após aumento da gasolina), eis que esta semana - mais uma vez -  o chefe do Executivo estadual foi parar nas redes socias com escárnio. 

Desta vez, um áudio que circulou pelo whatsApp como sendo uma conversa entre RF e o vice-governador, Luciano Barbosa (PMDB). 

Logo, aliados e correligionários do Palácio República dos Palmares trataram o diálogo entre governador e vice-governador como "vazamento". 

Pura bobagem! 

O motivo é que a tal gravação motivou o que conhecemos como "o tiro saiu pela culatra". As informações repassadas pelo governador, ao invés de surtir efeitos posítivos para governança, apontaram - negativamente - contra o senador de Renan Calheiros.  

O áudio original não passou de uma fala intuitiva e combinada para ganhar repercussão nas redes sociais. Basta atentar-se para o modo pausado, a fala bem pronunciada e o estilo Renan Filho de discursar como se estivesse direcionando para seus espectadores em eventos do governo de Alagoas. 

Ou seja, em ano pré-eleitoral se vale de tudo para mostrar - positivamente - o trabalho realizado na gestão RF.

Porém, a equipe do Palácio errou ao fazer uma divulgação desta maneira e, por conseguinte, com que as pessoas acreditem no que dizem: "vazou o áudio". 

Vou chamar de um certo amadorismo total! 

Todavia, Renan Filho e Luciano Barbosa são bons usuários - e assíduos - das redes sociais.

No entanto, desta vez, acreditaram na conversa dos "amigos da política" de que a divulgação do áudio seria um sucesso "informal" jogada no "zap zap". 

Aos leitores, o que diz o aúdio "vazado" de Renan Filho...

- Luciano, bom dia! Tudo bem? 

Segue o áudio em ritmo de funk editado contra o senador Renan Calheiros, logo abaixo também. 

Por fim, Errar é humano! 

Mas, duas vezes, está valendo?  

Um grande abraço, meu irmão. Xau!

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

CNT trata matéria da Folha de SP como "preconceito aos políticos nordestinos"

Crédito: Assessoria 002142da 07e5 466c 9aa4 1e01d56e4790 Ministro do Turismo, Marx Beltrão

A Folha de São Paulo publicou - no final de semana - uma matéria acusando o ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB), de beneficiar aliados e parentes em Alagoas com repasses voluntários do Ministério do Turismo (Mtur) em 2017.

De acordo com a Folha, Beltrão utilizou o valor de R$ 11,3 milhões - de um total de R$ 84,6 milhões destinados a governos e prefeituras - apenas para ajudar os municípios alagoanos, entre janeiro e julho deste ano, principalmente, no litoral sul. 

Em nota, o MTur explicou que a maioria dos repasses voluntários realizados para Estados e municípios é resultado de emendas parlamentares de deputados federais e senadores. O blog também entrou em contato com o ministro para saber a opinião dele sobre tais acusações. 

Marx Beltrão respondeu que em todas reuniãos realizadas como ministro cobra dos gestores agilidade nas obras espalhadas pelo Brasil. Ele explicou ainda que, no caso de Alagoas, é óbvio a destinação de repasses por conta do contato - semanalmente - com os prefeitos alagoanos. 

"80% das obras estão paradas, paralisadas ou não iniciadas. Em todas reuniãos cobro dos gestores agilidades nas obras contratadas com recursos garantidos. Como estou em Alagoas, semalmente, é obvio que cobro mais de quem tenho contato. Queria eu que os gestores alagoanos, inclusive, o Governo do Estado, tivessem a pressa que tenho que o valor de repasses seria muito mais para o nosso Estado. Em vários municípios alagoanos as obras estão paradas.  Entre tantas outras paralisadas. Eu cobro agilidade em todos os encontros que vou pelo Brasil. Nâo é só em Alagoas. A buracracia é uma das causas que emperra a destinação de verbas. Já envie, inclusive, os técnicos do Mtur para agilizarem essas obras paradas e paralisadas", rebateu Beltrão. 

Por outro lado, o Conselho Nacional de Turismo (CNT) saiu em defesa da atuação do ministro do Turismo no caso do envio e destinação de verbas para Alagoas. 

No texto publicado no Portal Jornal do Turismo, o conselheiro do CNT e editor do Jornal de Turismo, Cláudio Magnavita, disse que a Folha de São Paulo coloca Marx Beltrão na berlinda, ao mesmo tempo em que 'requenta o modelo de denúncias já realizadas com outros ocupantes da pasta e trata o material como "preconceito aos políticos nordestinos'. 

"Tenta [Folha de SP] relacionar liberações para a sua base política eleitoral, consolidando números como se fossem as únicas ações do Ministério. Fizeram isso com Henrique Alves, Gastão Vieira e Pedro Novais. Escaparam deste denuncismo Mares Guia, Luiz Barreto, Vinicius Lages, que não tinham mandatos eletivos e até a Senadora Marta Suplicy que, tendo a sua base em São Paulo, escapou do preconceito cada vez mais evidente contra políticos nordestinos. Este bombardeamento midiático é um coquetel que reúne ingredientes identificáveis, como o já citado preconceito contra o Norte-Nordeste por parte de uma elite que coloca São Paulo como capital do mundo e a desinformação,ou melhor informação manipulada", escreveu Magnavita. 

Liberação para Alagoas 

O conselheiro do Turismo ressaltou também que as liberações de Beltrão para Alagoas eram, na maior parte, repasses de obras anteriormente contratadas e executadas com a fiscalização severa da Caixa Econômica Federal (setor que autoriza o pagamento por etapas após medições das obras) para pagamentos que seriam feitos mesmo se o ministro fosse paulista ou gaúcho.

"Os municípios dirigidos por familiares são localizados no litoral sul de Alagoas e são turísticos. Não chegam no total a 0,5 % do orçamento ministerial. Não há nada que puna um município de apresentar projetos numa pasta comandada por conterrâneos. O mais nefasto desta matéria é a adesão de alguns nomes do setor de turismo nas redes sociais. A desinformação se propaga de forma injusta e avassaladora", pontuou. 

Por fim, Magnavita fez questão de destacar a atuação do ministro alagoano à frente da pasta do Mtur, mostrando que Beltrão tem sido uma surpresa agradável e demonstra ser um político de uma nova geração da política brasileira com coragem para promover mudanças. 

"Cabe ao setor do turismo separar o joio do trigo. Marx Beltrão tem sido uma surpresa agradável. Demonstra ser um político de uma nova geração da política brasileira com coragem para promover mudanças. Na sua gestão listou os principais entraves do setor e está pegando o touro com as mãos. Lançou o +Turismo, com medidas que há anos eram reivindicadas pela cadeia produtiva. Reduzir a atuação do ministro Marx Beltrão ao foco dessa matéria é faltar com a verdade. Cabe ao turismo e a mídia especializada reagir e fazer o contraponto. Não para ajudar a imagem do atual ocupante da pasta, mas para não ofuscar a agenda de transformações que estão ocorrendo e não pode ser eclipsada com dados pinçados  de forma cirúrgica e preconceituosa", concluiu Cláudio Magnavita. 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Após processo retornar ao TJ-AL, população vai às ruas em defesa de prefeita

Foto: Cortesia F7bc8450 db53 42b4 837e 86a9a5c280e6 População camaragibense foi às ruas em solidariedade à prefeita Vânia Câmara ou do Passo (PSD)

A quinta-feira, 27, foi bastante movimentada na cidade do Passo de Camaragibe, no litoral norte de Alagoas. 

Por lá, a população camaragibense foi às ruas em solidariedade à prefeita Edvânia Farias Rocha Ugá Câmara, a Vânia Câmara ou do Passo (PSD).  

Centenas de pessoas saíram de suas casas para cobrar das autoridades respeito e manutenção da escolha feita nas urnas de outubro de 2016 que elegeu Vânia do Passo com 4.602 votos (50,92% válidos). 

Com faixas e cartazes em apoio para o retorno da chefe do Executivo ao comando da cidade, os eleitores da prefeita se vestiram de azul (cor usada durante a campanha eleitoral) para protestar - principalmente - contra o "jogo sujo" do vice-prefeito, Ricardo Nogueira (PSC), para ocupar a cadeira de prefeito. 

Na semana passada, a Justiça alagoana determinou o afastamento da gestora do cargo por ter sido condenada, em 2015, na ação civil pública por ato de improbidade administrativa, pela compra de merenda escolar, em 2013, com dispensa ilegal de licitação.

Vânia ainda deveria ter suspenso seus direitos políticos por três anos; proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente; pagamento de multa civil no valor equivalente a trinta vezes o valor do último subsídio mensal recebido; e, por fim, a perda de função pública.

Porém, ontem (27) o desembargador-presidente Otávio Leão Praxedes determinou o retorno do processo contra a prefeita de Passo do Camaragibe ao Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL) e concedeu novo prazo para defesa. 

"Posto isso, pelos argumentos fáticos e jurídicos acima expostos, rejeito os embargos de declaração já que não houve o erro material alegado pela embargante, todavia, para evitar ulterior alegação de nulidade e garantir os princípios do contraditório e da ampla defesa, chamo o feito a ordem para tornar sem efeito o despacho de fl. 719, determinando o retorno do processo ao Tribunal de Justiça de Alagoas. Outrossim, devolvo a embargante, agora representada por seu novo advogado, o prazo para interposição de recurso contra a decisão de fls. 712/714. Por fim, tendo em vista que a apelação foi considerada intempestiva, que o recurso especial foi inadmitido e sequer abordou a matéria que fundamentou o acórdão e que o último agravo não foi conhecido, advirto a embargante que, caso seja interposto recurso com fim manifestamente protelatório, será imposta multa por litigância de má-fé. Intimem-se, atentando para a alteração do advogado da apelante conforme instrumento procuratório de fl. 08 dos embargos de declaração. Oficie-se ao juízo de origem, cientificando-o do inteiro teor desta decisão e solicitando a devolução dos autos à Presidência do Tribunal de Justiça de Alagoas. Intimem-se. Publique-se. Cumpra-se. Maceió/AL, 25 de julho de 2017”. 

Defesa da prefeita

Ao comentar a decisão do desembargador Otávio Praxedes (referente aos embargos de declaracao nº 0000312-10.2013.8.02.0027/50001), o advogado da prefeita disse ao blog que o presidente do TJ-AL decidiu anular a 'esdrúxula  armação  patrocinada pelos advogados Bruno Loureiro e Gilvan Albuquerque que agiram de má-fé'. 

"O que houve neste processo, praticado pelos anteriores advogados da prefeita Vânia, podemos afirmar ser algo totalmente incompatível com a moralidade e a legalidade. Uma verdadeira falta de compromissos com a decência.  Algo tão gritante  que sua excelência, o senhor presidente do Tribunal  de Justiça [Otávio Praxedes], ao decidir nosso recurso, preferiu, de imediato, chamar o feito à ordem para anular a esdrúxula  armação  patrocinada por aqueles causídicos, por perceber a má-fé com que os mesmos agiram", explicou Marcos Uchôa - advogado que lidera a assessoria jurídica de Vânia do Passo. 

Portanto, o imbróglio político na cidade de Passo do Camaragibe será decidido no Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), com prazo para interposição de recurso, que será parte do advogado da prefeita Vânia do Passo. 

"Conquanto, a amplitude do que pode se discutir em sede de embargos, nosso objetivo  foi alcançado: anulação  do requerimento que renunciava o prazo para recorrer e pedia, em outras palavras, que a prefeita fosse afastada do cargo em favor do vice-prefeito. Isso requerido por quem se passava por advogado de Vânia Câmara", concluiu o advogado Marcos uchôa. 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Denúncia: Fiscais 'pressionam' empresas para comprar precatórios de servidores na Sefaz

Foto: Assessoria C9d59aab 7391 42e2 b21b 6c47b572b9e6 Prédio da Sefaz/ Arquivo

A denúncia que chega ao blog é grave, consistente e fidedigna.

De acordo com fontes da Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz-AL) que procuraram o blog, fiscais de renda que são responsáveis pelos precatórios do Estado de Alagoas (referente à Lei 6410/2003, Decreto 1738/2003) 'pressionam' as empresas que compram os créditos dos servidores.

A questão é que esses créditos serão usados para pagamento de  Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) na importação de mercadorias, ou seja, obrigando os empresários pressionados a comprarem exclusivamente - e diretamente - dos fiscais do setor de Comércio Exterior da Sefaz  que fazem o trabalho "in loco". 

O mais interessante é que, segundo as fontes do blog, quando as empresas se negam a atender os pedidos dos fiscais da Sefaz os processos não andam. Por conseguinte, as empresas que não aceitam comprar os precatórios dos fiscais da Sefaz têm sua inscrição estadual cancelada (são proibidas de operar na sistemática de importação da Lei 6.410/2003).

Hoje, só para constar como dados, existem parados no setor de Comércio Exterior mais de cinquenta (50) pedidos de Regime Especial e mais de 150 processos de utilização desses créditos.

"Vejamos o absurdo! Os fiscais que ganham tanto dinheiro ainda passam à frente dos servidores mais humildes. A maioria dos fiscais tem créditos de aproximadamente R$ 5 milhões (cinco milhões de reais), enquanto que os demais servidores têm créditos no máximo de R$ 150 mil (cento e cinquenta mil reais). O mais absurdo é que o superintendente da Receita Estadual, sabedor desta safadeza, não toma providências", disse ao blog o denunciante. 

Por outro lado, a denúncia feita a este jornalista revela também o nome de sete (7) servidores da Sefaz que são os fiscais de renda da chamada "Máfia do Anão dos Precatórios". Inclusive, o chefe do grupo é o mais exaltado e o personagem principal que telefona e vai pessoalmente exigir que as empresas comprem apenas os créditos dos fiscais envolvidos. 

Todavia, o que diz o Decreto Nº 1.738, De 19 de Dezembro de 2003, publicado no DOE em 22 de dezembro de 2003?

Art. 1º A liquidação de débitos tributários vinculados ao Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação - ICMS, mediante a utilização de créditos exercidos pelo sujeito passivo contra o Estado de Alagoas, na forma do que autoriza a Lei n.º 6.410, de 24 de outubro de 2003, alterada pela Lei nº 6.411, de 5 de novembro de 2003, observará a regulamentação expedida por este Decreto. 

Saiba mais sobre o Decreto Clicando Aqui!

"Máfia das OSs"

A outra denúncia contra os fiscais de renda da Sefaz é a chamada "Máfia das Ordens de Serviços (OSs)".

Na Gerência de Fiscalização há o responsável em receber as OSs para fiscalizar empresas e distribuir para os "homens de ouro (cinco fiscais)".

Porém, essas OSs entregues aos fiscais ficam arquivadas e os servidores utilizam essas OSs para extorquir propinas dos empresários. Existem OSs emitidas desde 2012 e ainda não concluídas.

"Nenhuma grande empresa do Estado de Alagoas é fiscalizada e quando é é só de mentirinha. Além do mais, algumas auditorias realizadas por fiscais da Gerência de Fiscalização são terceirizadas, através de outros fiscais que não constam nas OSs e até por contadores que também recebem propina. O secretário da Fazenda, o superintendente da Receita Estadual e, inclusive, a Corregedoria, são sabedores desta prática vergonhosa e inadmissível para um Estado sério. Contudo, até hoje, nenhum dos citados tomaram providências para coibir tais práticas", reforça o denunciante. 

Entretanto, os "homens de ouro" que trabalham na Sefaz lideram verdadeiras máfias de extorsão. Os líderes são pessoas públicas e até conhecidas. Por lá, ainda existe um grupo ganhando uma fortuna sem nunca aparecer para trabalhar, o que vem causando grande prejuízo ao erário público. 

Com a resposta e espaço, a Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz-AL). 

Atualizada às 19:10hrs

Em nota enviada ao Blog, o secretário da Fazenda do Estado, George Santoro, disse que determinou à Corregedoria Fazendária realização de uma Inspeção Extraordinária na GEFIS – Gerência de Fiscalização de Estabelecimentos. 

No texto, Santoro reforça que a população conhece sua reputação e sabe que ele não compactua com qualquer tipo de conduta irregular ou imoral. 

“Há mais de um mês determinei à Corregedoria Fazendária realização de uma Inspeção Extraordinária na GEFIS – Gerência de Fiscalização de Estabelecimentos. Desde o meu primeiro dia à frente da Secretaria de Fazenda do Estado de Alagoas me mostrei disponível a todos que quisessem me procurar para conversar sobre qualquer assunto. O tempo que essa pessoa procurou o Cada Minuto para fazer essa denúncia, poderia ter vindo a mim, porque sabe perfeitamente que eu iria tomar providências. Das duas, uma: ou essa pessoa está em busca de holofotes ou tem outros interesses por trás dessas acusações. A população já conhece a minha reputação e sabe que não compactuo com qualquer tipo de conduta irregular ou imoral", escreveu o gestor ao blog. 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Governador é satirizado nas redes sociais após aumento da gasolina

Foto: Reprodução B572cb3c 781c 47ae 8889 808c2c2b0ba6 Governador é satirizado nas redes sociais após aumento da gasolina

Desde ontem, 22, quando houve o aumento dos preços da gasolina em Alagoas, o governador Renan Filho foi satirizado nas redes sociais. 

O motivo é que o chefe do Executivo estadual havia divulgado um vídeo (clique e veja) - na semana passada - para dizer que "não entendia o porquê em Alagoas a gasolina era mais cara do país".

No texto, RF ainda fala que "nunca aceitou o preço que é cobrado no Estado, bem como, anuncia que o consumidor vai pagar o preço médio em todo Estado". 

“Você se lembra: aqui se cobrava uma das gasolinas mais caras do País. Eu nunca entendi isso. Preços que chegavam a R$ 3,90 o litro. Hoje, uma ação do Procon Alagoas, do Ministério Público e da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) comprovou que o combustível pode ser muito mais barato. A partir de agora, o consumidor vai pagar o preço médio de R$ 3,20 em Maceió e R$ 3,10 em Arapiraca e em outros municípios do Agreste e Sertão”, disse Renan Filho no vídeo. 

Por conta disso, nas redes sociais viraliza o mesmo vídeo divulgado pelo governador em contas que 'zombam' de histórias do cotidiano alagoano, a exemplo do Maceió Ordinário. (Clique e Veja)

Com quase 40 mil visualizações, o vídeo retirado da página oficial do governador traz uma junção de uma criança - em gargalhada - no momento em que RF anuncia a diminuição do preço da gasolina. 

"Vcs repararam que a gasolina ficou mais barata nos últimos dias? Vem ver o que o Governo do Estado fez!", diz o texto na postagem. 

Portanto, o governador Renan Filho teve a boa ação e intenção de fazer com que o Estado desse um basta no chamado "cartel do combustível" existente na capital alagoana.

Na verdade, um anúncio positivo para que o consumidor pudesse pagar menos pelo litro da gasolina.

No entanto, o governo de Michel Temer (PMDB) não perdoou o consumidor brasileiro e vai dobrar as alíquotas do Programa de Integração Social (PIS) e Cofins da gasolina, diesel e etanol. 

Todavia, como sempre, quem paga a conta são os trabalhadores.

E Cá pra nós: os donos de Postos de Combustíveis abusam do Procon-AL, do consumidor e das fiscalizações quando aumentam os preços antes mesmo de comprarem uma nova 'arremessa' de gasolina, diesel e etanol.

Pagamos a conta! 

Absurdo! Que o Proncon-AL esteja sempre atento. 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Prefeitos 'impulsionam' deputado a trocar disputa da ALE por Brasília

Foto: Assessoria 18aef1dd d069 4b71 86f2 ab6c62060d6b Prefeito de Colônia Leopoldina, Manuilson Andrade, assinando ficha de filiação ao PSC

A ida dos prefeitos de Feira Grande, Flavinho Lira, e de Colônia Leopoldina, Manuilson Andrade, para o Partido Social Cristão (PSC), é nada mais que o fortalecimento da candidatura do deputado estadual Sérgio Toledo à Câmara dos Deputados, em 2018. 

Toledo já havia mostrado interesse (e isso vem se confirmando) em disputar uma das nove (9) vagas de deputado federal na eleição do próximo ano. 

O parlamentar vê chances de brigar pela cadeira de Brasília ao perceber que seu eleitorado cresceu nesses últimos pleitos disputados.

Depois de ontem, 19, com a filiação dos gestores de Feira Grande  e Colônia de Leopoldina, o deputado deve trocar a disputa da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) por uma vaga de deputado federal.

Além disso, Sérgio Toledo impulsionou sua candidatura após a eleição do ano passado, em Marechal Deodoro. Por lá, o prefeito Cacau (PSD) é genro de Toledo e isso garantiu mais um reduto eleitoral para o parlamentar. 

Com cinco mandatos consecutivos, Toledo tornou-se presidente de honra do PSC Alagoas e vem fazendo o dever de casa: atraindo aliados e fortalecendo a sigla no Estado. 

“Estou no meu quinto mandato de deputado estadual e a cada eleição a minha votação sempre tem aumentado, mostrando que temos feito um trabalho sério por Alagoas, ampliando assim o número de amigos, a quem faço questão de agradecer e ao mesmo tempo dividir as minhas vitórias”, disse Toledo em nota enviada pela assessoria de imprensa. 

Apesar de ser considerado um partido "pequeno", o PSC é também da base de apoio do governador Renan Filho (PMDB) desde o início da gestão. 

Na filiação de Flavinho Lira e Manuilson Andrade, no dia de ontem, 19, Renan Filho compareceu à solenidade para garantir - também - a continuidade do apoio da sigla na sua reeleição. 

Por fim, com  a chegada de mais reforços políticos (leia-se os prefeitos filiados ao PSC), Sérgio Toledo vai deixar a disputa da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) rumo à capital federal. 

Será? 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Dentro do PRTB, ex-peemedebista garante disputa à ALE em 2018

Reprodução D1475d33 cb24 48e4 82ad 8c708b98ac5f Ex-prefeito de Palmeira dos Índios, James Ribeiro, gravação do PRTB

Após sete meses sem mandato, desde que deixou o Executivo palmeirense, em 31 de dezembro do ano passado, ex-prefeito de Palmeira dos Índios, James Ribeiro, retomou sua caminhada política para tentar ocupar uma das 27 cadeiras na Casa de Tavares Bastos. 

Fora do PMDB, o agora ex-peemedebista vê chances de sua candidatura a deputado estadual pelo PRTB se tornar mais viável em 2018. 

Aliado fiel do senador Renan Calheiros e do governador Renan Filho, Ribeiro sentia-se 'ameaçado politicamente' - na sigla Calheirista - por deter parlamentares e filiados "de peso" que estarão no pleito do próximo ano. 

Com isso, o partido cresceu demais em Alagoas e poderia dificultar o desejo do ex-prefeito de chegar a ocupar uma cadeira na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE). 

Nas redes sociais, já circula um vídeo em que James Ribeiro fala pela sigla comandada - em Alagoas - por Adeilson Bezerra. Como membro da Executiva Estadual do PRTB, Ribeiro gravou inserções para rádio e televisão que serão veiculados a partir de 01 de agosto. 

"Nos últimos anos, Palmeira recebeu o maior volume de investimentos em infraestrutura de sua história. Quase trezentas ruas foram calçadas, 36 kilômetros de asfaltos, duas mil casas foram construídas e a adutora Helenildo Ribeiro foi entregue, o que permitiu assegurar o abastecimento na maior crise hídrica de sua história", falou o ex-prefeito. 

Todavia, no final de semana, o ex-prefeito esteve em cidades do agreste garantindo apoios de aliados e participando de eventos públicos. Ao que se vê, Ribeiro deu o pontapé à sua campanha eleitoral de 2018 e com vontade de ser deputado estadual. 

O blog havia divulgado essa informação, em fevereiro deste ano, quando o ex-prefeito explicou que seria candidato no próximo ano devido ao trabalho realizado à frente da Prefeitura de Palmeira dos Índios por oito anos. 

"Ainda tem muito tempo para o pleito de 2018, mas serei candidato a deputado estadual. Passei oito anos na Prefeitura de Palmeira dos Índios, tenho serviços prestados e sei do trabalho que fiz durante os dois mandatos. Nossa região precisa ter mais representatividade na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE) e Palmeira se destacar cada vez mais em nível de Estado. Participarei das eleições do próximo ano como candidato,contudo, com aval do governador [Renan Filho] e do senador [Renan Pai] que são as lideranças fortes do nosso partido no Estado", disse o ex-gestor.

Porém, repito: além de James Ribeiro, Palmeira - com mais de 49 mil eleitores - terá nomes como o da ex-prefeita Ângela Garrote (PP); Val Gaia (PSDB) pela reeleição; e os candidatos/aliados que estarão no palanque do atual prefeito Júlio Cezar (PSB) - o "imperador".  

2018 será decisivo na política alagoana! 

Redes Sociais: kleversonlevy
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Palavras para dizer um... até breve, mãe!

76c5a6de 43e9 4551 b526 da735cabe31b

Boa noite, gente!

Apesar de todo momento triste e recuperação pela perda da minha mãe, dona Josefa Maria da Silva Wanderlei, não poderia deixar de agradecer e  expressar neste texto o tanto de palavras de amizade, carinho, conforto, força, fé e coragem que recebo. 

Ainda estou atônito, afinal, é cedo demais para superar a perda de um ente querido, imagine o que direi de uma mãe?

Perdemos a mãe-tia, mãe-irmã, mãe-filha, mãe-pai, mãe-mãe, mãe-amiga, mãe-mulher, mãe, mãe e sempre mãe.

Mãe, principalmente, quando ela é sua base de tudo!

A minha guerreira, a minha superação, a minha amiga, a minha cuidadora, a minha confidente, a minha base de sustentação, a minha vida, a minha lutadora, a minha eterna MINHA...

"Amor igual ao teu
Eu nunca mais terei
Amor que eu nunca vi igual
Que eu nunca mais verei
Amor que não se pede
Amor que não se mede
Que não se repete..."

O que fazer? Deus é que vai me mostrar uma resposta e dará forças para aguentar essa dor imensurável, inacabável e que vai perdurar por muito tempo. É pouco tempo! São poucas horas! O luto é grande! As lembranças dilaceram! Tudo que está ao meu redor lembra dela como uma cena inapagável.

Pior ainda é saber que não poderei ouvir sua voz como fazia todos os dias. Quem tem mãe em vida, repito: não esqueça de valorizá-la a cada segundinho do seu tempo. Mãe é uma, única e unigênita.

A saudade é grande; o coração está apertado; a voz se cala; os olhos lacrimejam constantemente; a dor é infinita e não tem tamanho; mas, por tudo isso que estou passando, diante de todo sofrimento, tenho a certeza que minha Rainha está no descanso eterno abençoada por Deus e ao lado de seus irmãos, filhos, pais, amigos e familiares.

MÃE, ser que merece homenagens todos os dias, independe de aniversário ou não, MÃE é MÃE 24 horas, 7 dias da semana, 31 dias do mês e 365 no ano. Enfim, MÃE é pra sempre! 

Para os que me mandaram mensagens, fizeram ligações, disseram palavras de conforto, deram fortes abraços, beijos... todo meu agradecimento neste momento tão difícil de superação. 

Vou tentar, aos poucos, erguer minha vida na certeza de que estarei rodeado de mais um anjo seguidor. Sei do hoje, do agora, do momento.

Amanhã, é um novo dia!

Obrigado a todos pelo carinho!

À minha mãe, meu eterno agradecimento por ter deixado um grande legado de vida, pessoa, ser humano e mulher enquanto esteve na terra. 

Obrigado, por ter me feito o Kléverson Levy.

Até breve!

Redes Sociais: Kleversonlevy  
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

HH decidirá futuro político ouvindo eleitores e debatendo com filiados da Rede

Foto: Instagram Dc98eeb9 1435 47d2 a688 ae7f6411c932 HH esteve em Fortaleza com a militância da Rede de vários municípios do Ceará

Seja candidata ao Senado Federal ou Câmara dos Deputados, em 2018, a ex-vereadora e ex-senadora Heloísa Helena (Rede) sabe que tem um eleitorado fiel em Alagoas.

HH pode atrapalhar os planos dos pretensos candidatos de cargos eletivos ao lançar-se na disputa eleitoral do próximo ano no Estado. 

Mas, por enquanto, o grupo político e 'aliados' da ex-senadora preferem que ela seja candidata a deputada federal para ter voz e vez confirmada em Brasília.

A briga pelas duas vagas de senador - em Alagoas - fica cada dia mais difícil pela falta de dinheiro, visibilidade política - e sem mandato - e pouco tempo de rádio e TV.

HH é - mesmo as pesquisas escondendo a opinião do eleitorado em torno de sua candidatura - segundo os próprios correligionários, o voto diferencial e de repúdio contra os nomes que estão colocados na disputa de 2018. 

Portanto, nessa linha de pensamento, há ainda uma "esperança" de que o alagoano vai analisar os pleitos anteriores quando deixaram HH sem mandato em Brasília.

Aliás, o momento político e do país - atualmente - traz reflexões sobre o que seria o Congresso Nacional com a presença dela em tempos de lava-jato, JBS, delações e Governo Temer. 

Na página oficial do facebook da Rede Sustentabilidade, há uma postagem sobre as "intenções eleitorais" de HH em ser candidata. 

"Recebemos muitas mensagens sobre as intenções eleitorais da ex-senadora Heloísa Helena em 2018​. Ela nos contou que está no processo de decisão se será candidata a senadora ou deputada federal. Na última pesquisa para o senado, a alagoana aparece na liderança", diz o texto do partido. 

Por outro lado, indaguei a ex-vereadora por Maceió qual seria o seu destino político diante das informações - na semana passada - de que estaria indo rumo à Câmara dos Deputados. 

Sem titubear, HH respondeu o que alguns partidários da Rede já haviam confirmado a este jornalista. 

"Refletindo, pensando e analisando para decidirmos coletivamente. Vamos pensar e sugerir - entre todos - se eu devo ser candidata a Senadora ou deputada federal", comentou HH. 

Portanto, em meios aos noticiários, é aguardar uma decisão da própria HH que decidirá seu futuro político com correligionários, aliados, ouvindo a opinão das ruas e dos eleitores.

Jamais veremos ou teremos uma eleição como aquela de 1998, quando - à época - HH venceu o pleito para o Senado Federal derrotando os grandes das oligarquias políticas alagoana.  

Até 2018, óbvio, muitas águas vão rolar. 

Em tempo: HH continua militando pelo Brasil em representação ao seu partido - a REDE - discutindo a eleição de 2018, sua candidatura em Alagoas e o nome de Marina Silva à presidência do país. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  
Email: kleversonlevy@gmail.com

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.
Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com