No "pacote" do PDT, jornalista deve assumir IZP na era RF

Foto: Facebook 9442a66d 1edb 4ff9 8dd0 5eaf4f4364bb Jornalista Kennedy Luiz pode ser nomeado o novo diretor-presidente do IZP

Que o PDT, do deputado federal Ronaldo Lessa, já está 'aterrissado' no governo Renan Filho (PMDB) todo mundo sabe. 

Porém, a conversa para o preenchimento dos cargos que serão ocupados pelos pedistas alagoanos no Governo do Estado inclui até o Instituto Zumbi dos Palmares (IZP). 

Segundo fontes do blog, a sigla deverá indicar também o novo diretor-presidente. No pacote do PDT, o jornalista Kennedy Luiz pode ser nomeado o novo 'comandante' do IZP. 

Kennedy, além de fazer parte do diretório do PDT em Alagoas, é atualmente técnico no IZP e trabalha como radialista e jornalista. Ou seja, conhece bem toda estrutura de trabalho, espaço e tem boa relação pessoal com os servidores do órgão. 

Por outro lado, a fim de aglutinar nomes e compor um grupo político forte à sua reeleição, o governador conseguiu tirar o PDT das mãos do prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB), oferecendo uma maior quantidade de "acomodações" no Palácio República dos Palmares. 

Se confirmada a ida do jornalista Kennedy Luiz ao IZP, Lessa se tornará um dos grandes aliados dos Calheiros e garantirá seu retorno à Câmara Federal em 2019. 

No mais, Kennedy assumindo o cargo terá pela frente que administrar a TV Educativa de Alagoas (TVE), as Rádios Educativas FM Maceió, Arapiraca e Porto Calvo, e a Rádio Difusora AM, além do Espaço Cultural Linda Mascarenhas, todos sob o comando de quem está diretor-presidente do IZP. 

Política é política! O resto é... (???)!

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

"As malas estão nos apartamentos pessoais e as Prefeituras quebradas", diz Carimbão

Foto: Reprodução do Youtube 4561d0e1 ca70 415c 8ffa bad4b4ab46b6 Deputado federal Givaldo Carimbão (PHS)

Conversei ontem, 06, com o deputado federal Givaldo Carimbão (PHS) - na sede da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA) - após a reunião com os prefeitos alagoanos sobre a realidade financeira das cidades em Alagoas. 

Ao ser questionado sobre o que poderia ser feito para ajudar os municípios alagoanos, como representante na capital federal, o parlamentar não se esquivou em responder. 

"Representar o povo alagoano para mim é tirar o Temer. Fora Temer! Tudo isto aqui [a respeito da reunião sobre a crise financeira] está baseado no Governo Temer. Montou uma quadrilha, onde as malas estão nos apartamentos pessoais, e as Prefeituras quebradas. Como é que pode cortar 97% do dinheiro do social, enquanto o Brasil está crescendo economicamente? Na contramão da crise política do país, a economia tem crescido de alguma forma. E o Governo Federal cortar dinheiro da Educação, Ação Social, Meio Ambiente para fiscalização, Saúde e Segurança Pública? Isso é um crime o que o Temer faz com o Brasil", disse o deputado. 

Como forma de pressionar o Governo Federal e "alertar" sobre a situação que passa os municípios, Carimbão disse que a solução seria que eles ( os prefeitos) fossem a Brasília pressionar Michel Temer.

"Os prefeitos têm mais é que ir para Brasília dizer aos deputados que votam com o Temer, que não sou eu, para salvar os municípios. Salve o Brasil! Se no superávit [aquilo que se ganha (receita) e aquilo que se gasta (despesa)] o déficit é de R$ 169 bilhões, que aumente esse déficit, mas não quebre os municípios. Ou seja, todos os setores [saúde, educação, Cras e demais programas federais] ligados às Prefeituras estão comprometidos", completou. 

Na oportunidade, o deputado reiterou que a melhor solução para o Brasil é tirar Michel Temer do Planalto para que os gestores tenham uma nova relação com o Pacto Federativo, como também, com um novo presidente da República. 

"Os prefeitos devem pleitear com os deputados que votam com Temer. Forçar os deputados. A melhor solução para o Brasil é tirar o Temer. Alguém diz: Não!, deixa terminar [o Governo Temer]. Terminar uma quadrilha? Vai terminar o Brasil. Então, acho que os prefeitos tem que ir lá [Brasília], brigar e tirar o Temer para que a gente pudesse, como disse o prefeito Joãozinho Pereira, ter uma nova relação com o Pacto Federativo e com um novo presidente da República", conclui Givaldo Carimbão. 

Vale destacar que, Carimbão, foi o único parlamentar que apareceu de repente - na sede da AMA - para dialogar com os prefeitos. 

Por fim, a diretoria da AMA apresentou dados em que considera "uma triste realidade para os municípios".

Entre os números mostrados, por exemplo, estão:

-  O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e as transferências para execução dos programas federais também estão sem reajuste ou com correções abaixo da inflação; 

- Subfinanciamento dos principais programas como a merenda escolar (PNAE) que remunera em apenas R$ 0,36 dia/aluno do ensino fundamental, o transporte escolar (PNAT), R$0,65 aluno/ dia com base em 20 dias letivos; 

- Cerca de seis mil famílias foram excluídas do programa Bolsa Família por causa dos cortes feitos pelo MDS que está com atraso de repasses desde 2016;

- O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), o orçamento de 2017, entre agosto e dezembro foi contingenciado em 70% e o corte anunciado para 2018 eleva o percentual para 90% em relação a 2016;

- O Estratégia Saúde da Família (ESF), criada pelo governo federal, porém executada integralmente pelos Municípios, tendo como incentivos mensais de custeio valores de R$ 7.130,00 a R$ 10.695,00, conforme a modalidade. No entanto, o custo médio de uma equipe equivale a R$ 32.156,60 para os cofres municipais.;

- O piso da Atenção Básica a defasagem é de 31,3%. Agentes Comunitários e de Combate a Endemias (ACS e ACE) têm 25,7% de defasagem. A Assistência Farmacêutica Básica (AFB) 58,6% e o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) com defasagem de 41,7%.

Veja também o vídeo abaixo. 

É o Governo Temer, com menos de 5% de aprovação, administrando Brasil. 

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com  

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

No interior: Vaquejada 'particular' custou R$ 50 mil aos cofres públicos

164e6fba 6243 4021 8c62 48eefdea6734

Eis que mais um ato publicado no Diário Oficial do Município (DOM) de Palmeira dos Índios mostra que o prefeito Júlio Cezar (PSB) - o "Imperador" - doou R$ 50 mil para Vaquejada que foi realizada no Parque São José, em agosto deste ano.  

A empresa beneficiada com o dinheiro dos cofres públicos foi à Associação Nordestina de Apoio Cultural (ANPC) que, segundo a Súmula do Convênio Nº 04/2017, é uma Associação Civil, de direito privado, sem fins econômicos e de caráter social, filantrópico, assistencial, promocional, recreativo e educacional, sem cunho político ou partidário.  

Porém, o que vem a chamar atenção, que é público e repercute na cidade é que o evento - e todos sabem em Palmeira - teve como maior organizador o presidente da Câmara de Vereadores, Júnior Miranda, grande aliado da gestão municipal.  

Além de ter sido particular e privada, a "Grande Vaquejada do Parque São José" distribuiu R$ 350 mil em prêmios para os participantes. Foram dez carros zero quilômetros e dinheiro em espécie para os vencedores.  

Contudo, o mais interessante é que - mediante os R$ 50 mil doados pela Prefeitura palmeirense - as senhas para "derrubar o boi" custaram até R$ 3.000 (três mil reais) e os shows das bandas que se apresentaram (Jonas Esticado, Danielzinho e Cláudio Rios) também foram pagos pela população.  

No Processo de Nº 6.200/2017, publicado no DOM em 28 de agosto de 2017, diz que o convênio objetivava apoiar o evento no Parque São José como "repasse financeiro à ANPC para fomentar o lazer e a cultura local, tendo em vista a vaquejada ser considerada Patrimônio Cultural Imaterial".  

Há questionamentos a serem feitos também: Os R$ 50 mil foram para a associação fazer o quê já que o evento era do presidente da câmara? Onde foi usado o recurso destinado pela Prefeitura? 

Segundo presidente da Associação Nordestina de Apoio Cultural (ANPC), Paulo Tourinho, o dinheiro repassado pela Prefeitura de Palmeira dos Índios serviu para produzir o evento cultural.

"Foi dinheiro investido para Produzir a parte cultural, com apresentações de bandas locais e folguedos, para garantir o cumprimento das exigências da lei que tornou a vaquejada patrimônio cultural, a exemplo da contratação de juízes, tratadores, veterinários e ajudantes para alimentação e bem-estar doasanimais. O evento não era particular! Tinha entrada franca em todas as dependências, inclusive, acesso às bandas locais e grupos culturais. Nessas áreas, o parque estava sob responsabilidade da Associação", explicou Tourinho.

Resposta do prefeito  

Em contato com o blog, o prefeito JC "Imperador" disse que Palmeira precisa de eventos como a vaquejada para movimentar e fomentar a economia local. Júlio explicou que a doação não foi ilegal e seguiu o que determina os trâmites jurídicos.  

"Não tenho o que esconder. Está tudo publicado no DOM e foi lícito. Vale destacar ainda que - durante uma semana - Palmeira ficou movimentada, os comerciantes ganharam dinheiro, gerou emprego e renda, e, além disso, foi de incentivo à cultura. Portanto, se a Prefeitura não ajudar esses eventos, dificilmente, conseguimos captar recursos para o município. Foi assim com o São João, a semana de Graciliano Ramos, com a Vaquejada e será com o Natal Luz. Enfim, todos os contratos que fazemos está publicado no Portal da Transparência. Patrocinamos a vaquejada que era gratuita para população e como não foi cobrado valor de entrada, por exemplo, demonstrando legalidade no contrato com a empresa beneficiada, a Procuradoria Geral do Município (PGM) liberou o repasse à Associação. Foi tudo na legalidade! A Prefeitura não vai deixar de apoiar os grandes eventos na cidade que beneficia toda população e movimenta a economia local. Estamos resgatando a cultura palmeirense e aquecendo o comércio do nosso município com essas ações", comentou o prefeito.  

Questão jurídica 

No entanto, JC alega que não houve ilegalidade no referido "patrocínio" e diz ainda que foram seguidos os trâmites legais. Entretanto, a Súmula do Convênio Nº 04/2017 aponta como fundamentos jurídicos às Leis 8.666/1993 e 13.364/ 2016.  

O que elas dizem:  

- A Lei 13.364 apenas eleva a vaquejada ao patamar de patrimônio cultural. (O que por si só não autoriza o repasse de dinheiro público para referida atividade);  

- A Lei 8.666/ 1993, em seu artigo 24 , dispensa de licitação  pública, expõe, entre os critérios para a dispensa de licitação, a inexigibilidade para "casos de guerra ou grave perturbação da ordem; nos casos de emergência ou de calamidade pública; e na contratação de entidades privadas sem fins lucrativos, para a implementação de cisternas ou outras tecnologias sociais de acesso à água para consumo humano e produção de alimentos, para beneficiar as famílias rurais de baixa renda atingidas pela seca ou falta regular de água". 

Qual dessas hipóteses acima a fundamentação do referido "convênio " se encaixa???  

Somado a tudo isso, a administração pública, em consonância com a Constituição Federal, submete-se aos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, finalidade e publicidade.  

Para a temática em análise, cabe destacar "a impessoalidade e a moralidade, inerentes ao Estado de Democrático de Direito, que determinam, respectivamente, que a Administração trate a todos os administrados sem discriminações benéficas ou detrimentosas e que atue na conformidade com os princípios éticos". 

Por conseguinte, o Tribunal de Contas da união (TCU) entende por patrocínio apoio concedido a projetos de iniciativa de terceiros com o objetivo de vincular diretamente uma marca ou uma empresa a um acontecimento para um público de interesse do patrocinador. 

Portanto, ainda que, teoricamente, seja possível o município patrocinar eventos promovidos por particulares submetendo o pedido ao procedimento retromencionado, entende-se que esses patrocínios podem acarretar riscos para o ente público, inclusive, com a responsabilização de seus agentes, uma vez que nem sempre resta caracterizado o interesse público que motivou o ato e, tampouco, o tratamento isonômico que se espera da Administração Pública. 

Diante do todo exposto, há de se questionar:  

Qual o interesse "PÚBLICO" que moveu o prefeito JC abrir os cofres públicos do erário palmeirense para "DOAR" 50 mil reais à vaquejada organizada pelo vereador Júnior Miranda, atual presidente da Câmara Municipal? 

De que forma foi alinhado o princípio constitucional da moralidade administrativa? E o princípio da impessoalidade?

Cabe agora ao Ministério Público Estadual de Alagoas (MPE-AL) analisar tudo isso.  

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com  

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Após repercussão de matéria, prefeito grava vídeo para justificar PL

Foto: Retirada do Vídeo 050559e3 af0b 4fc9 a17c 724624acf07e Prefeito de Santana do Mundaú, Arthur Freitas (PMDB)

Após repercussão da matéria publicada aqui no blog - População revoltada vai às ruas e chama vereadores de "traíras" -  o prefeito de Santana do Mundaú, Arthur Freitas (PMDB), divulgou um vídeo nas redes sociais para justificar a aprovação do Projeto de Lei (PL) de Nº 27/2017.  

Em tempo: O blog teve recebeu o conteúdo que circula pelos whatsapps e facebook dos moradores da cidade.  

Por 6X3, a Câmara de Santana do Mundaú aprovou - na segunda-feira (02) - o PL enviado pela equipe do gestor que dispõe sobre a criação do "Novo Código Tributário" do município.

No vídeo, Arthur Freitas diz que não haverá nenhuma cobrança nova para os comerciantes, agricultores e população mundauense.

O prefeito enfatizou também que "precisou enviar à Câmara o Novo Código Tributário" por conta do Imposto Sobre Serviços (ISS) que era pago nas cidades onde as empresas tem endereço fixo e não em seu município.

"Estou aqui para esclarecer algumas dúvidas sobre esse Novo Código Tributário do município. Precisei enviar à Câmara esse novo código, pois, antes, o ISS que era cobrado nas cidades das empresas de origem. Hoje, vai começar a ser pago onde executa o serviço da empresa. Isso vai ajudar a melhorar a arrecadação do município. Não vai ter nenhuma cobrança nova de imposto", explicou.

Por outra linha de pensamento, o prefeito, reiterou que Santana do Mundaú vive um "novo momento" e que está trabalhando de cabeça erguida, apesar da crise financeira que afeta o Brasil.  

"Nosso município vive hoje um novo momento. A crise financeira é muito grande, mas estamos trabalhando de cabeça erguida, pagando os servidores em dia e enfrentando a crise de frente. Assim vamos melhorar cada vez mais a situação do nosso município. Essa mudança trará benefícios diretos para a população", conclui Arthur Freitas.  

Porém, mesmo com a divulgação do vídeo e de uma nota para explicar os fatos, moradores de Mundaú não aceitaram a proposta do Projeto de Lei (PL) de Nº 27/2017, aprovada pelos vereadores Alex Freire (PMN), Edileuza Machado (PRP), Dr.ª Inez (PRP), Vanderlei da Chã de Areia (PMDB), Genor (PR) e Chamego do Forró (SD).  

Será?  

Abaixo, segue uma nota enviada pela equipe do prefeito aos secretários municipais e repassada à população.  

"O Prefeito Arthur Freitas veio a público para esclarecer esse fato plantado por pessoas com má intenção e sem princípios morais para gerar revolta na população. No vídeo é esclarecido que não há nenhum novo imposto e que a atualização no Código Tributário Municipal, que estava desatualizado desde 1998, apenas modificou a regra do ISS, que agora é recolhido na cidade da prestação do serviço e não mais na origem. Com esta alteração, os tributos do serviço de empresas de outras cidades que forem prestados em nosso município ficarão em Mundaú. Essa mudança trará benefícios diretos para a população, já que algumas das empresas que prestam serviços em Santana do Mundaú são de outras cidades".

 

Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com  

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Vídeo: População revoltada vai às ruas e chama vereadores de "traíras"

Foto: Correios dos municípios 76b952a4 4687 4b1b b98e 23296f31e3e2 Prefeito Arthur Freitas (PMDB), vice-prefeita Betânia (PP) e vereadores de Santana do Mundaú

Mais uma Câmara de Vereadores em Alagoas, leia-se os parlamentares, estão no cargo para legislar contra o que prometeram durante o pleito eleitoral de 2016.  

É o que podemos chamar de "legislar em causa próprio ou interesse pessoal" em favor do Executivo local.  

Desta vez, moradores da cidade de Santana do Mundaú estão revoltados com um grupo de vereadores que aprovaram - na segunda-feira (02) - o Projeto de Lei (PL) de Nº 27/2017, de 26 de agosto de 2017, que dispõe sobre a criação do "Novo Código Tributário" do município. 

Por 6X3, a Câmara de Santana do Mundaú aceitou o PL enviado pela equipe do prefeito Arthur Freitas (PMDB). 

Votaram em concordância com o Executivo os vereadores: Alex Freire (PMN), Edileuza Machado (PRP), Dr.ª Inez (PRP), Vanderlei da Chã de Areia (PMDB), Genor (PR) e Chamego do Forró (SD). 

Foram contra ao PL: Ivan Ferreira (PMN), Tôta (PRP) e Bia (PR).  

Nas ruas e redes sociais a população se manifestou contrário ao projeto que é considerado "absurdo" para um município do porte de Santana do Mundaú.  

"É um absurdo o que estão fazendo. Mais absurdo ainda é saber que os vereadores - que são responsáveis por cuidar dos interesses do povo - estão de acordo com esse absurdo. Eles não estão nem aí, afinal, esses impostos não sairão do bolso deles", disse uma moradora indignada.  

Ainda assim, o blog entrou em contato com dois parlamentares - de oposição e situação -  para ouvir a opinião de ambos.  

De um lado, Ivan Ferreira (PMN) explicou que foi contra ao PL de Nº 27/2017 por entender que os maiores prejudicados serão os moradores.

Ferreira reconheceu ainda que há necessidade de fazer um novo Código Tributário, porém, ouvindo comerciantes, moradores e a sociedade mundauense. 

"Não podemos aceitar a aprovação de um projeto sem discussão e que prejudique nosso povo. É preciso discutir sim um novo Código Tributário do município, no entanto, em consonância com os comerciantes, moradores e sociedade civil e organizada. É inadmissível que um Projeto de Lei seja aprovado sem discussões e para arrecadar apenas dinheiro da população. Santana do Mundaú não aceita que taxas e cobranças absurdas sejam pagas dessa maneira", pontuou Ivan Ferreira.  

Do outro lado, o vereador José Alves Brasileiro, o Genor  (PR), disse que apesar do "Novo Código Tributário" ser aprovado por seis a três, por exemplo, algumas emendas propositivas e modificativas foram aplicadas ao texto para que insente algumas cobranças.  

"Foi aprovado o PL, mas o que está no texto não será cobrado da população. Aprovamos [os vereadores de situação] com algumas emendas propositivas e modificativas que isentará taxas e cobranças, a exemplo da taxa do cemitério. Esse Projeto de Lei é importante para que Santana do Mundaú cresça e se desenvolva em várias áreas. Há muito tempo o código deveria ser implantado e o prefeito enviou sabendo que vai melhorar na arrecadação em prol do nosso município", comentou Genor.  

E o prefeito?

Por fim, o blog também entrou em contato com o prefeito Arthur Freitas (PMDB), na tentativa de que ele comentasse sobre sua "obra" enviada à Câmara de Vereadores, mas não obteve êxito. 

Segundo fontes do blog, difícil é encontrar Arthur Freitas na cidade. O que dirá atender um telefone?  

Porém, sabe-se que quem dá às cartas por lá são a mãe e o pai do "menino prefeito", respectivamente, os ex-prefeitos de Branquinha, Renata Moraes e Neno Freitas.  

Arthur Freitas, por conseguinte, está sendo considerado o "Prefeito Impostômetro" após obter aprovação  'maciça' do Projeto de Lei (PL) de Nº 27/2017. 

Será?   

 Redes Sociais: Kleversonlevy   

Email: kleversonlevy@gmail.com  

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

A "sereia de Renan", inaugurada sem Rui, que é do "Mestre Zezinho"

Foto: Márcio Ferreira/Secom-AL 9394bc49 8060 4780 881c 5b739ec60fb5 Obra de José Cícero da Silva, o “Mestre Zezinho”, de Arapiraca, a sereia da Orla da Pajuçara

Sem desconsiderar a grande obra de José Cícero da Silva, o “Mestre Zezinho”, de Arapiraca, a sereia instalada na Orla da Pajuçara trouxe opiniões contrárias e favoráveis sobre a inauguração realizada pelo Governo de Alagoas.

Mestre Zezinho, ressalte-se, é um grande artesão e mereceu ter exposta sua arte esculpida para o mundo (leia-se visitantes e turistas) e que já virou atração na capital alagoana. 

Numa outra linha de pensamento, escrevo pela demonstração política de inaugurar uma obra com a chamada "a pose para foto oficial" com a ausência do chefe maior do município: o prefeito de Maceió, Rui Palmeira (PSDB). 

Segundo relatos repassados ao blog, Palmeira não foi convidado para o evento considerado "institucional" do governador Renan Filho (PMDB), como também, não deveria ir  a uma inauguração do Governo de Alagoas.

A 'Sereia do Renan', como chama algumas pessoas, foi entregue na última sexta-feira (29) pelo governador e o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima, além de autoridades (e comissionados) que percorrem Alagoas em caravana com RF para fazer "volume" em eventos oficiais. 

Além de ser um ato político, óbvio, válido é destacar também a valorização de nomes ligados à cultura que devem se espalhar por todo Estado (segundo o próprio Renan Filho). 

"O nosso Estado possui incontáveis belezas e no nosso Bicentenário aproveitamos para exaltá-las, para resgatá-las e apresentá-las às pessoas, porque, por mais que o Mestre Zezinho esteja no mundo inteiro, – um dos mais apreciados artesãos do País – muita gente ainda não o conhecia”, explicou o governador. 

Fora isso, o deselegante -  da parte de ambos ou não -  foi o chefe do Executivo municipal fora desse momento importante para o turismo e a cultura local. Maceió é uma das capitais mais visitadas do nordeste e a obra - independente de quem patrocinou - foi entregue ao povo alagoano e para apreciação dos turistas.  

Contudo, o que deixa claro - visivelmente - é que o embate político para o ano eleitoral de 2018 entre Palmeira e RF é público. 

Rui, de um lado, dando andamento à sua gestão com obras e ordens de serviços em várias pastas.

Do outro, o Renan Filho que tem o trabalho das Grotas e tantas outras ações para chamar atenção dos maceioenses. 

RF começou com a sereia de "Mestre Zezinho", símbolo da canção de Carlos Moura, "Minha Sereia (Maceió, minha sereia)". Que mais artistas sejam homenageados e Alagoas beneficiada com arte e cultura. Parabéns!

Agora, Maceió fica mais representada já que conta ainda com as estátuas em bronze dos alagoanos Aurélio Buarque de Holanda, Graciliano Ramos e Paulo Gracindo. 

Por fim, que o embate seja político na disputa por cargos e que os dois - Rui e RF - mantenham o respeito entre Poderes (e Instituições) para beneficiar o cidadão. 

Lembrem-se que a obra é apenas da gestão, mas, quem realmente custeia é a população.

Por outro lado, não importa quem esteja 'aparecendo' na foto oficial. Muita gente não sabe nem distinguir.

Afinal, o mais importante é que a obra é do Povo e de José Cícero da Silva, o “Mestre Zezinho”!

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Kassab, Beltrão, a reunião, a foto, o PSD e o pleito de 2018

Foto: Facebook 08830cd4 2d18 4755 a157 2833127ced24 Marx Beltrão (PMDB) juntamente com seu colega ministro, Gilberto Kassab(PSD

Uma foto do ministro do Turismo, Marx Beltrão (PMDB), juntamente com seu colega da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicação, Gilberto Kassab(PSD), mostrou uma reunião entres os dois  para viabilizar ações  que beneficiarão Alagoas.

Segundo Beltrão, o encontro serviu para "tratar de programas que levam unidades de ciência móvel, espaços científico-culturais para equipar o sistema de educação alagoano e Centros Vocacionais de Tecnologia (CVT) para ampliar o acesso ao conhecimento, tecnologia e pesquisa".

Agora, sobre o Partido Social Democrático (PSD), é uma outra história.

Mas, pelo visto, a imagem publicada nas redes sociais deu a entender que o diálogo entre Kassab e Beltrão é de entendimento político. 

Todavia, em Alagoas, o presidente estadual é o ex-prefeito de Feliz Deserto e atual secretário de Governo de Coruripe, Maykon Beltrão, que vem desenvolvendo um trabalho de reconhecimento à frente da presidência do PSD no Estado.

Sendo assim, a sigla do ministro Kassab - em Alagoas - continua sob o comando da família Beltrão.  

Vale lembrar ainda que um dos seus filiados de destaque é o pedreiro Cláudio dos Santos Nogueira ou Dinho Kapp, mais conhecido como o "Papa-Capim de Alagoas", que deverá disputar o pleito do próximo ano por uma das 27 vagas na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE). 

Leia mais aqui: "Papa-Capim de Alagoas" se filia ao PSD e será candidato em 2018

Na esfera política, além de contar com três deputados estaduais (Dudu Holanda, Marcelo Victor e João Beltrão) na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), o partido conseguiu eleger oito prefeitos na eleição de 2016.

Lá pelo sertão, as cidades são Delmiro Gouveia (Padre Eraldo), Palestina (Lane Cabudo) e Olivença (Zé Arnaldo). O agreste ficou com Tanque D’Arca (Wil Valença). Já na região metropolitana o município é Marechal Deodoro (Cacau).

O litoral norte são Passo de Camaragibe (Vânia do Passo), São Miguel dos Milagres (Bureco Ataíde) e Matriz de Camaragibe (Anderson Kennedy).

Ou seja, o PSD em Alagoas terá grande "peso" e influência em 2018. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Movimento "apartidário" discute políticas públicas para jovens alagoanos

Divulgação 57011f16 aac9 4d8c a9fe 6cd13239b84e 3º Encontro Anual da Juventude Alagoana

Com o objetivo de discutir políticas públicas direcionadas aos jovens alagoanos, acontece hoje (28), a partir das 13 hrs, na sede da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA), o 3º Encontro Anual da Juventude Alagoana. 

Presenças confirmadas da secretária de Estado de Esporte, Lazer e Juventude, Cláudia Petuba; o secretário executivo de Gestão Interna da Secretaria do Trabalho e Emprego, Paulo Coutinho; a empresária contemplada no Programa Juventude empreendedora, Jeanine Pacheco; além de diversas autoridades que estarão interagindo com o público.

Em conversa com o blog, uma das organizadoras do 3º Encontro da Juventude Alagoana disse que na pauta de discussões e debates os temas serão focados em despertar o interesse do jovem para política alagoana.

Segundo Marcela Vilela, o intuito é mostrar que a juventude está preprada para participar do processo administrativo e político. 

"Estamos no terceiro ano consecutivo do evento. Vamos discutir vários assuntos que estejam relacionados à juventude alagoana. O intuito é mostrar que estamos preprados para participar - ativamente - do processo administrativo e político. Nos dois últimos encontros, por exemplo, saíram de lá - após a eleição - vereadores, prefeitos, vice-prefeitos, secretários, diretores, enfim, a juventude fazendo parte das administrações municipal, estadual e governamental. Esse era o nosso objetivo e conseguimos despertar o interesse do jovem pela política", explicou Vilela. 

Ainda de acordo com a coordenadora do movimento toda programação foi pensada para que os participantes tenham adquiram experiências e aprendizados durante o evento. Além das palestras, haverá também um debate para criação de uma carta com necessidades da juventude. 

"O evento é importante para pensar no futuro político, claro, incluindo também os jovens. A juventude precisa ser lembrada sempre. Muitos que estão aí como gestores mostram que estão preparados para o cargo. O encontro contribui e desperta esse interesse de que o jovem tem capacidade para ocupar qualquer setor na administração pública. Esse é um momento para juventude dizer que - durante o período eleitoral  - tem voz, voto e vez. Vamos também fazer um debate para criação de uma carta com as necessidades da juventude", conclui Vilela. 

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Bastidores da política alagoana 'esquentam' o clima para 2018

Foto: Bruno Levy/CadaMinuto 1e4482fb c84e 4c46 8ba6 124feb943366 Palácio República dos Palmares, no Centro

Se os bastidores da política alagoana transparecessem o que - realmente - acontece cotidianamente, muita gente saberia qual rumo tomar em 2018.

A conversa "em off" de hoje - em sua maioria - não será o que pretendemos vê nas ruas do próximo ano. 

Ou será? 

Nem bem terminou 2017, ainda faltando pouco mais de três meses, e o pavor pré-eleição de 2018 vem esquentando o clima em grupos políticos que almejam bons resultados no pleito do próximo ano. 

Ao Palácio República dos Palmares, por enquanto, segue na dianteira o governador Renan Filho (PMDB) candidato nato à reeleição e com chances de permanecer no cargo, caso não tenha um opositor de 'peso' para disputar sua cadeira. 

A expectativa é de que ex-aliados/ex-amigos/ex-rivais (entenda que eleição vale tudo) se unam em prol de uma majoritária que dê sustentação política para eleger também grande número de candidatos na Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), bem como, na Câmara dos Deputados. 

Já para o Senado Federal, eis um grande "trunfo" das eleições do próximo ano por ser o cargo com duas vagas importantes e, atualmente, aos olhares de tudo e de todos. 

Apesar de ter os senadores Biu de Lira (PP) e Renan Calheiros (PMDB) ocupando o espaço até dezembro de 2018, os dois precisam trabalhar muito para reconquistar a confiança dos eleitores e - quem sabe - reelegerem-se por mais oito anos. 

Em todo caso, obviamente, não há donos de cadeiras.

Contudo, a famigerada "máquina de moer gente" da política é usada - desde sempre - para impedir aqueles que queiram ultrapassar os limites e vontades dos que estão no Poder.

O jogo sujo, os acordos espúrios, as conversas de escritórios, troca de favores e o "toma lá da cá" serão - sem dúvidas - parte de uma eleição que contará com a ajuda maciça das redes sociais. 

No entanto, o intuito é fazer o eleitor entender que em cima dos palanques haverá "uniões" para dizer ao povo que é pelo bem de Alagoas.

Fora isso, é saber que os bastidores da política só não deve ter promessas para Deus, afinal, seria de um impiedade enorme envolver o nome santo em vão. 

Também, não duvido!

Portanto, não queiram entender os bastidores da política alagoana. 

Esperem a eleição chegar e vejam o resultado dos palanques formados e seus respectivos aliados. 

Afinal, se a união faz a força, os bastidores fazem a velha política alagoana acontecer.  

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Secretário de Rui Palmeira trabalha "sem alarde" e ganha visibilidade política

Foto: Marco António/Secom 737ab49a 2449 49d6 9a4c e30f4a5b5ed9 Secretário municipal do Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes), Ricardo Lessa

Sem chamar atenção e sem ter holofotes, o jovem secretário municipal do Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes), Ricardo Lessa, vem ganhando destaque no cargo que ocupa. 

Há noves meses à frente da Semtabes, o sobrinho do deputado federal Ronaldo Lessa (PDT) tem buscado melhorias nas áreas em que sua pasta atua, a exemplo dos mercados públicos e feiras da capital, além das ações importantes e desenvolvidas pela Sala do Empreendedor, Sine Itinerante e Feira da Economia Solidária. 

Como resultado, Ricardo - ou Ricardinho para os mais próximos - aos 31 anos foi premiado como o melhor gestor municipal de 2017, através do Troféu Gogó da Ema, semana passada no Teatro Deodoro.

Foi com esse destaque que o secretário de Rui Palmeira (PSDB) tem sido visto com "bons olhos" pelos aliados do prefeito e, principalmente, por ser uma indicação acertada do tio-deputado. 

A Semtabes - de fato - é uma pasta que no dia a dia ganha destaque em contato direto via população de Maceió. Só na pasta do Trabalho, o SINE da Prefeitura entregou mais de mil carteiras de trabalho (CTPS) em apenas quatro meses. 

O Projeto Sine Itinerante, por exemplo, tem o objetivo de levar serviços à população carente que não tem como ir até o Posto de Atendimento, ou seja, facilitando a vida do cidadão que necessita da documentação trabalhista.  

Fora outras ações importantes da Sala do Empreendedor, o controle do Shopping Popular, Feiras da Economia Solidária com grupos de artesãos, gastronômicos e outros; bem como, reparos e manutenções dos Mercados Públicos da capital. 

Naõ só pelo trabalho na Semtabes, mas, por outro lado, Ricardo Lessa ocupa ainda a 2ª vice-presidência-estadual do PDT em Alagoas. 

Indagado se todo o trabalho, a visibilidade política e o reconhecimento na pasta seriam um passo para uma futura candidatura - em 2018 ou 2020 -o jovem secretário não titubeou em responder. 

"O compromisso do gestor Ricardo Lessa e do Prefeito Rui Palmeira é com a população. Mais ações e mais trabalhos estão por vir", completou. 

Afinal, 2018 é uma outra história!

Redes Sociais: Kleversonlevy  

Email: kleversonlevy@gmail.com 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.
Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com