Atenção nerds: evento reúne fãs de Star Wars em shopping de Maceió

Ilustração De70b8b4 b1af 4e84 9610 df24845b223f Darth Vader

Fãs de Star Wars de Maceió e interior do estado prestem muita atenção! No dia 26 de novembro acontece o “STAR WARS – Encontro dos fãs” a partir das 15h, na livraria Leitura, localizado no Parque Shopping Maceió, no bairro da Cruz das Almas. E o melhor de tudo, é totalmente GRATUITO!

É isso mesmo que você, querido leitor, acabou de ler. O encontro vai tratar de temas importantes da saga mais nerd da história, são eles:

PRELÚDIO PARA ROGUE ONE: Debate sobre o mais novo filme da franquia que chega no mês que vem aos cinemas. O filme parece à altura de O Despertar da Força? O que falar dos atores escolhidos? Darth Vader terá grande participação?

EXPLORANDO O CÂNONE: Uma viagem pela cronologia oficial de Star Wars, indo do período pré-Episódio I até o pós-Episódio VII, dos filmes aos livros e HQs. É a hora de entender a grandiosidade dessa galáxia tão, tão distante!

O evento ainda terá o famoso e obrigatório concurso de cosplays, onde serão eleitos os melhores e, consequentemente, ganharão prêmios e brindes que só serão divulgados no dia do evento.

No entanto, não só os cosplays receberão prêmios. Os fãs também participarão de sorteios para concorrer a brindes. Não é legal? Faz a conta: Fãs + Star Wars + Cosplays + Brindes + Leitura = Conhecimento e diversão garantidos!

O encontro tem as apresentações de Gustavo Gobbi, presidente do Conselho Jedi Alagoas, redator do Fail Wars e membro do KaminoKast, um dos maiores podcasts de Star Wars do Brasil, de Thales Hill: CEO e Apresentador do Canal Bang, filmaker, cinéfilo, gamer e entusiasta do universo geek, e Ronald S, Mestre Jedi e Supervisor de vendas da Leitura Maceió, fanático por Tolkien e por tudo que cerca a cultura pop.

O evento é de realização da Leitura Maceió juntamente com o Conselho Jedi Alagoas, Canal Bang e a Editora Aleph.

Participe do evento no Facebook e fique por dentro de tudo clicando aqui ou para mais informações ligar para o número 98115-2553.

 

Imagem do evento (Divulgação)

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Crítica: Doutor Estranho é um dos melhores filmes da Marvel

Divulgação F3283388 e335 4114 8ef8 61e9b3f38504 Doutor Estranho, nos cinemas

Quando a fórmula da Marvel parece estar se desgastando, a produtora decide produzir um filme totalmente diferente daquilo que sempre foi proposto e renova a fórmula com uma genialidade impecável no novo filme do universo compartilhado dos heróis com “Doutor Estranho”.

Scott Derrickson dirigiu um filme que parecia ser apenas mais um da Marvel ficar entre os melhores, desbancando filmes como: Vingadores: Era de Ultron, a trilogia Homem de Ferro, do superstar Robert Downey Jr, e outros. Os destaques foram claros, o visual, o protagonista e, por incrível que pareça, o vilão.

O visual é simplesmente incrível, cheio de cores, efeitos e, principalmente, o bom uso do 3D. Faz tempo que algum filme em 3D foi tão bem aproveitado quanto Doutor Estranho e, sendo assim, foi um ponto positivo. Por outro lado, o caricato Benedict Cumberbatch (Stephen Strange) foi claramente o destaque do elenco. Ele foi uma mistura entre Tony Stark, devido à arrogância e prepotência, misturada com a frieza de Sherlock Holmes (papel que também é dele na série da BBC). Por isso não é segredo que Cumberbatch é um dos melhores atores da atualidade.

 

Kaecilius (Madds Mikkelsen)

 

Por fim, os maiores erros em quase todos os filmes do universo da Marvel sempre foram os vilões, exceto desta vez. Kaecilius, interpretado pelo talentosíssimo Madds Mikkelsen, de Hannibal, foi um vilão que deu gosto, assim como foi o Caveira Vermelha em Capitão América: O Primeiro Vingador. Kaecilius foi um vilão simples, porém demonstrou perigo e tensões em diversas cenas do longa.

O excesso de piadas em momentos inadequados foi o maior pecado do filme, entretanto quando realizadas em momentos certos tudo funciona, deixando o clima mais leve. 

Doutor Estranho é um ótimo filme para a família e melhor ainda na imersão 3D.  A estreia ocorreu na quinta-feira, 03, em todo o Brasil e mais de um milhão de pessoas já foram conferir. A produção está em cartaz em todos os shoppings de Maceió e Arapiraca.

AH, E NÃO ESQUEÇAM, DOUTOR ESTRANHO TEM DUAS CENAS PÓS-CRÉDITOS!

 

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Por que Batman é o maior personagem da cultura pop?

Ilustração 66ea2982 1fbd 48f2 84ee 2ab357adae2e Bruce Wayne e os pais

"I am vengeance, I am the night, I am BATMAN"

Uma pergunta que não quer calar: seria o Batman o maior personagem inumano já criado de todos os tempos? A resposta pode ser até simples, mas é preciso números, estatísticas e o gosto de cada um que ama o universo nerd e aqueles que veem de longe.

A primeira aparição do herói ocorreu em 1939 pelo roteirista Bill Finger e pelo desenhista Bob Kane emDetective Comics #27, na história "The Case of the Chemical Syndicate". De lá para cá, já são 77 anos de histórias em quadrinhos, filmes, séries de TV, animações, produtos e muito mais.

Porque as pessoas amam tanto as histórias do Batman? Muita gente acredita que por ele ser o único humano entre os deuses da Liga da Justiça aproxima mais os leitores. Outros são pelas grandes histórias como “Batman: A Piada Mortal”(Alan Moore), “O Retorno do Cavaleiro das Trevas: Partes I e II” (Frank Miller), “Batman: Ano Um” (Frank Miller) e muitas outras.

Talvez, o principal motivo seja o homem que está atrás da máscara: Bruce Wayne, pois mesmo que seja dono de uma empresa multimilionária, tenha todo o tipo de tecnologia e mulheres disponíveis, ele ainda é uma criança traumatizada com as mortes dos pais. O último filme do herói, “Batman Vs Superman: A Origem da Justiça”, tratou de mostrar muito bem que tipo de trauma é esse.

Ele é um humano. Um humano cheio de problemas que muita gente vivencia no dia a dia. Esqueça o dinheiro que ele tem, olhe na alma, entenda o personagem e vai saber o que é.

Os vilões do Batman são, sem dúvidas, os melhores já criados. A galeria é imensa, porém podemos citar Coringa, Pinguim, Bane, Hera, Exterminador, Mulher Gato, Charada, Capuz Vermelho e Ra’s Al Ghul. Cada um deles tem uma história significativa na vida do homem morcego. Talvez, as mais marcantes sejam as do Coringa.

 

Galeria de vilões do Batman (Capa variante)

 

Superman é, de fato, o maior super-herói de todos pela sua importância da época até os dias de hoje pelo exemplo, escoteirismo, ideiais e bondade. Não há o que discordar. Entretanto, o Batman é algo que a psicologia explica como “o fato de que ele é plenamente possível. Ele não veio d eoutro planeta, não é fruto de mutação genética, não tem superpoderes. Batman é um homem normal, um homem que tinha todos os motivos para sequer se importar com os problemas no mundo, mas que decide usar a inteligência e dinheiro em busca de justiça” (A Psicologia por Trás do Batman – Documentário History Channel).

Ele é o senso de justiça que todo homem sonha. O tipo de justiça utópica que todo mundo deseja e mais quer. Incorrupto, sem medo, vingança, a noite. Batman é a justiça de um homem só, já dizia Clark Kent, o Superman, e que funcionava. Ele não mata e quando mata é por que foi necessário. Mesmo numa cidade inteiramente corrupta que vive, a enigmática Gotham City.

Deixo aqui, querido leitor, algumas recomendações para leituras sobre Batman e algumas animações para acompanhar:

HQs: Batman: A Piada Mortal, A Morte na Família, Batman contra o Capuz Vermelho;

Animações: Batman: Ano Um e Cavaleiro das Trevas Ressurge: Partes I e II;

Filmes: Batman (1989), Batman Begins (2005), Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008) e Batman v Superman: A Origem da Justiça (2016);

Série animada: Batman: The Animated Series (1992-95);

Games: Batman: Arkham Origins, Batman: Arkham Asylum, Batman: Arkham City e Batman: Arkham Knight.

Não acha que Batman é o personagem mais popular do mundo nerd? Deixe seu comentário.

 

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

As cinco propagandas mais hilárias envolvendo filmes ou personagens

Foto: Divulgação 8380a0b1 d3ee 489d ad3d 94d02c229549 Deadpool

Não é novidade que as empresas cada vez mais utilizam materiais de séries e filmes para expandir o seu público, principalmente nas propagandas na TV, internet e no cinema.

E também é fato que os jovens deixaram de ser o único nicho procurado pelas grandes empresas após a chegada da Netflix, onde o número de assinantes é cada vez maior e que abrange produtos para todas as idades.

Desta forma, na postagem desta sexta-feira, 04, não vamos à fundo para explicar todos os pontos, números e outros, até por que não possuo credibilidade para tratar de tal assunto. Entretanto, será colocada aqui as melhores propagandas envolvendo cenas ou easter eggs do mundo geek.

Algumas propagandas podem mostrar spoilers de séries e filmes, então certifique-se de saber se já assistiu o episódio ou não. Ah, muitos dos vídeos não possuem legendas.

1.    O Atleta e ator Hafthór Júlíus Björnsson, mais conhecido como “Montanha” na série “Game of Thrones”, fez uma cena da vodka que tem o nome do seu pseudônimo e o resultado não poderia ter sido melhor. Ele interpretou até uma das cenas mais chocantes da série, mas sem sangue e morte, claro.

 

 

2.    Uma das maiores empresas aéreas do mundo, a Turkish Airlines, aproveitou o hype de “Batman vs Superman: A Origem da Justiça” e, pouco antes da estreia, eles lançaram uma propaganda de duas novas escalas em cidades bastante conhecidas pelo público nerd. São elas Gotham City, do Barman, e Metropolis, do Superman, e o resultado não poderia ter ficado melhor.

 

 

3.    Você deseja uma internet rápida, que não trave e que não caia. Quem é o melhor para o serviço? Claro que é o Mércurio (do universo dos X-Men da Fox, que fique claro). A propaganda é da Sky Fibra.

 

 

4.    Um comercial da Audi de 2008 faz alusão a uma cena clássica do Poderoso Chefão (1972) denominada “cabeça de cavalo”. Mas, claro, não usaram uma cabeça de cavalo e sim um pára-choque. O resultado disso é hilário!

 

 

5.    Claro que não poderíamos deixar de mostrar o ser supremo da “zoeira”, Deadpool. Neste vídeo ele não faz alusão a nenhuma marca famosa e, sim, de um problema que atinge diversos homens: o câncer de testículo. Neste vídeo ele explica como fazer o auto-exame para identificar o problema previamente. É lógico que o vídeo ficou hilário.

 

Gostou das propagandas? Sentiu falta de alguma? Comenta no Facebook e, quem sabe, possamos criar um quadro com esta ideia.

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Totalmente psicodélico, estreia "Doutor Estranho" nos cinemas

Divulgação A6320929 d723 4e5a 916c 64a1c35f19a2 Stephen Strange (Benedict Cumberbatch)

Psicodelia é a composição das palavras gregas psique (ψυχή - alma) e delein ( δηλειν - manifestação). A experiência psicodélica é um conjunto de experiências estimuladas pela privação sensorial e tais experiências incluem uma produção visionária semelhante a alucinações, mudanças de percepção, sinestesia, estados alterados de consciência semelhantes ao sonho, psicose e êxtase religioso.

Que tal você, querido leitor, ver um filme que mostra todos esses efeitos em tela, sem precisar vivenciar diretamente tal experiência. Está com sorte, pois estreia nesta quinta-feira, 03, o filme do Mago Supremo da Marvel: “Doutor Estranho”. Com um elenco estrelado, que conta com Benedict Cumberbatch (Stephen Strange), Tilda Swinton (Ancião), Madds Mikelsen (Kaecilius), Rachel McAdams (Christine Palmer) e Chiwetel Ejiofor (Karl Mordo), o filme expande ainda mais o universo Marvel e deixa o terreno quase pronto para “Vingadores: Guerra Infinita”.

O longa deve focar num mundo mágico que ainda não foi muito apresentado nos filmes de heróis da editora. As jóias do infinito terão mais destaque e, inclusive, Stephen Strange possui uma delas, chamada de "Olho de Agamotto", capaz de controlar o tempo ao seu redor. As críticas são em média, muito boas, porém o aspecto negativo seriam os excessos de piadas em um personagem que é considerado sombrio, pelo menos nos quadrinhos.

 

Doutor Estranho, 3 de novembro nos cinemas brasileiros

 

A melhor característica, de fato, deve ser o aspecto visual, principalmente em 3D. Nos trailers já é bastante visível as distorções e mundos paralelos que nos fazem lembrar facilmente do filme de Christopher Nolan, “A Origem”. Falando nisso, o diretor Scott Derrickson foi bastante elogiado por ter feito um material bastante fiel. Scott ainda falou, em entrevista ao site Den Of Geek, que quer “uma experiência visceral como a de Cavaleiros das Trevas” para a continuação.

Cumberbatch, talvez ao lado de Mikkelsen, é sem dúvida a grande estrela. Não por ser o ator principal, e sim por que ele possui uma legião de fãs por ser caricato e pelo seu talento inquestionável, claro. Doutor Estranho, segundo a Variety, pode fazer de Benedict um nome forte para blockbusters no futuro, assim como Robert Downey Jr. após o primeiro “Homem de Ferro”.

Doutor Estranho já estreou em 33 países e arrecadou US$ 86 milhões. A previsão nos Estados Unidos, maior consumidor do mercado, é de que o filme acumule mais U$ 70 milhões só no primeiro fim de semana, acima de estréias as de Homem-Formiga (US$ 57,2 milhões), Thor (US$ 65,7 milhões) e até mesmo Capitão América: O Primeiro Vingador (US$ 65 milhões).

Confira o trailer:

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Meu filme favorito: "Hope", produção coreana lançada em 2013

47818b65 a4c6 4273 bfc9 49b2660156a6 Hope

Separei esta nova postagem para falar do meu filme favorito: “Hope”. Lançado em 2013, na Coréia do Sul, Hope é o nome americanizado de So-Won, que trata de um caso que assola o mundo inteiro e, principalmente, Alagoas, o estupro de vulnerável.

Um filme que merece ser visto por todos. Ele trata do drama familiar depois que uma criança de apenas oito anos é abusada de forma horrível por um homem. De forma delicada, Hope detalha de forma sensível como a criança (Lee Re), que leva o nome do filme, se vê depois da tragédia e como os pais convivem com esse impacto.

O longa é para quem tem estômago forte. Ele te destrói em alguns momentos, pois você se aproxima tanto da Hope que fica difícil aceitar a agressão contra ela. Os primeiros 30 minutos são devastadores, já o segundo ato é emocionante e o final é recompensador.

O roteiro é muito bem escrito, ele envolve o psicológico de uma criança abusada, o psicológico de uma mãe devastada e o psicológico de um pai revoltado, capaz até de matar o responsável pelo crime animalesco. Mesmo com o sofrimento presente, Hope é aquele tipo de criança que te arranca sorrisos e lágrimas apenas pelo seu olhar. Lee Re facilmente é o destaque do filme por ser uma atriz que sabe o que faz, além de ser encantadora e carismática.

 

Hope (Coréia do Sul, 2013)

 

O amor de um pai por sua filha rompe os problemas pessoais que enfrentam. Dong-Hoon (Kyung-gu Sol), por ser homem, é uma ameaça para Hope e, mesmo assim, a forma como ele recupera a confiança da filha é algo lindo, emocionante. Algo que o mundo precisa aprender, que é mais que um mandamento: amar o próximo seja ele quem for. Assim como o filme apresenta a amizade e a comoção de outros que não tem nada a ver e que não devem nada a Hope, mas que se juntam para ajudar financeiramente a família num momento tão difícil.

E por que se parece tanto com o que passamos no Brasil? Simples, porque é algo que está presente no dia a dia, infelizmente. A injustiça ao ver um pai que não pode fazer nada para salvar a filha do trauma, o sofrimento de uma mãe que cuidou da filha por nove meses dentro de seu ventre e mais alguns anos em suas mãos e a inocência perdida de uma criança que tinha uma vida pela frente, mas que sempre vai ficar olhando para trás, de uma forma ou de outra.

Perfeição, é a definição de “Hope”. Ele está disponível na Netflix, foi dirigido por Lee Joon-ik e o roteiro é de Kim Ji-Hye.

 

Hope (Coréia do Sul, de 2013)

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

The Walking Dead e o péssimo costume dos episódios maçantes

Ilustração 8724e786 a766 4079 b9e3 9aefe47d3c45 Rei Ezekiel, em The Walking Dead

Após um primeiro episódio incessante, cheio de tensão e mortes, The Walking Dead apresenta mais uma vez a “síndrome do broxa”. Sim, desculpa por essa palavra querido leitor, mas ta ficando chato.

Desde a terceira temporada, quando o Governador ainda estava vivo, TWD apresentou seus primeiros sintomas. E o que seria essa síndrome que percebi e dei nome a ele, é quando você está no ápice, faz um episódio fantástico e, no seguinte, broxa, ou seja, faz um episódio muito, mas muito abaixo mesmo do esperado.

Claro, TWD não é só de ação, tensão e tudo aquilo que a série sabe fazer quando quer. Tem todo aquele drama, os diálogos, as descobertas, enfim. Entretanto, é fato que os fãs ficaram em êxtase com o primeiro episódio da sétima temporada e esperavam muito mais do episódio dois que passou neste domingo, 30.

A começar pelo Morgan, pois basta aparecer em tela que fica tudo monótono, chato e sem graça. Essa ideia de “Eu não mato mais” num mundo de zumbis misturado com o sentimento de idade média, onde não há leis e nem supervisão, não cola, além de ser muito superficial, sem noção. O episódio até que começou bem, com a Carol apagada e cheia de traumas, vendo pessoas vivas no lugar dos zumbis sendo mortas pelos soldados de uma comunidade chamada “O Reino”, mas se perde logo depois até o fim do episódio.

 

Morgan

 

Falando em Carol, até ela ficou chata, mesmo com a esperteza e momentos engraçados dela. O que salvou mesmo foi o Rei Ezekiel e sua tigresa Shiva, onde parece que foram tirados direto das HQs. Simplesmente espetacular e tem muito a apresentar, afinal os telespectadores só viram o lado bacana de Ezekiel.

Por fim, a síndrome do broxa atrapalha muito o andamento da série. O segundo episódio deveria ter sido, no mínimo, interessante, e não monótona e de dar sono. Concorda com a análise, leitor? Comenta e dê sua opinião.

Instagram: @brunolevycos

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Os anos 90 voltaram no cinema; confira as futuras produções

Ilustração 6d359fcb f8e4 4485 92b4 90716035cafb Série dos Power Rangers

Hollywood está em crise e já sabemos disso. Ideias originais estão em falta, geralmente os filmes atuais são basicamente adaptações, remakes e reboots, não que isso seja ruim, porém o local já foi berço de filmes memoráveis até o início dos anos 2000 e, justamente por isso, os anos 90 voltaram.

Como forma de resgatar o público e provocar a nostalgia entre os adultos, as grandes empresas resolveram trazer as grandes produções da época para os dias de hoje, algumas delas pela primeira vez no cinema. O blog vai citar os três mais esperados até o ano 2019 e você, querido leitor, pode conferir aqui.

1. Power Rangers

Uma das maiores franquias de todos os tempos produzida pela empresa Saban Entertainment, composta séries de televisão infanto-juvenisfilmes,histórias em quadrinhos e brinquedos, teve início em 1993 e já possui mais de 22 temporadas com mais de 805 episódios exibidos, além de três longas sendo “Power Rangers: O Filme” (1995) o mais conhecido.

No dia 24 de Março de 2017 será lançado um no filme intitulado apenas de “Power Rangers”. Completamente renovada, a nova franquia vai tratar a aventura de uma forma mais sombria e adulta, puxando mais para a ficção-científica. O primeiro trailer superou as expectativas e o hype dos fãs aumentaram bastante.

Confira a sinopse e o trailer:

“A jornada de cinco adolescentes que devem buscar algo extraordinário quando eles tomam consciência que a sua pequena cidade Angel Grove - e o mundo - estão à beira de sofrer um ataque alienígena. Escolhidos pelo destino, eles irão descobrir que são os únicos que poderão salvar o planeta. Mas para isso, eles devem superar seus problemas pessoais e juntarem sua forças como os Power Rangers, antes que seja tarde demais”

 

 

2. Toy Story 4

Betty e Woody (Toy Story)

 

Mesmo com o emocionante e espetacular final do terceiro filme de Toy Story, a Pixar, que raramente faz continuações, vai trazer o quarto longa da animação, porém não se trata de uma continuação, e sim, quase um spin-off. O filme vai mostrar o relacionamento entre Woody e Betty, a pastora das ovelhas. Muitos fãs odiaram a notícia, por se tratar de uma franquia fechada e que já fez bastante sucesso, mas quem não quer ver Woody, Jessie e Buzz novamente no telão do cinema?

O primeiro Toy Story foi lançado em 1995. O quarto filme tem estreia marcada para 21 de junho de 2019 e ainda não possui trailer e sinopse. Anteriormente, Toy Story 4 estava marcado para 2018, entretanto Os Incríveis 2, também da Pixar, ficou com a data.

3. Mulan

Mulan

 

Mulan não só terá um filme, mas dois, por grandes gigantes do cinema hollywoodiano. A primeira é a Disney, que seguindo a fórmula de sucessos de refilmagens de contos de fada em live-action, deve trazer uma nova abordagem para a animação, no cinema. Produtores de Família do Bagulho, Chris Bender e J.C. Spink comandam a refilmagem. Pela Disney, o filme foi anunciado em 2015, mas ainda não tem cronograma de produção definido.

A outra é grande produtora é a Sony, que também possui os direitos da personagem. A refilmagem em live-action foi revelado ao Deadline por Doug Belgrad, ex-executivo da empresa que está utilizando sua companhia, 2.0 Entertaiment, para co-financiar meia dúzia de projetos dos estúdios. O plano é que o filme seja filmado na China e que a maior parte do elenco seja composto por atores do local.

Ambos os longas estão em pré-produção e não têm previsão de estreia.

Várias outras produções e refilmagens de grandes sucessos dos anos 90 estão em pauta. Gostaria que algum filme estivesse na lista? Deixe sua postagem nos comentários.

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Logan promete ser um dos melhores filmes de heróis em 2017

Divulgação 46ef89ab c9f8 40b8 82a8 51b7fd34e055 Pôster de Logan
Logan (Foto: James Mangold)

 

O filme “Logan” só estreia em 2017, mas será facilmente um dos melhores filmes de super-heróis do ano, mesmo com gigantescas produções como Vingadores, Liga da Justiça e Mulher Maravilha. A temática mais simples e o drama são as cartas na manga.

Quem já assistiu o trailer pôde sentir uma prévia e se arrepiar com o que Logan vai trazer. Além disso, aquela trilha “Hurt”, de Jhonny Cash, foi a melhor escolha possível e combina com a adaptação. O trailer começa com Charlies Xavier (Patrick Stewart) perguntando: “Logan, o que você fez?” e com Logan (Hugh Jackman) tremendo as mãos, aparentando ter feito algo muito errado. A música então começa com a frase “I hurt myself today” (Hoje, eu me machuquei), com as imagens das cicatrizes aparentando que seu fator de cura está cada vez mais fraco com o passar do tempo bem ao estilo “Old Man Logan”, obra de Mark Millar que foi lançado em 2008 e teve 6 edições, terminando em 2009.

Old Man Logan, ou Velho Logan, é uma das melhores obras do Wolverine. A trama da HQ se passa cinquenta anos no futuro, onde os super-heróis perderam a batalha contra os vilões e os Estados Unidos são divididos em feudos. Um dos maiores heróis dos Vingadores, o Hulk, vira a casaca e domina todo o oeste do país, justamente onde Logan vive com a mulher e filhos. Ele é obrigado a pagar o aluguel de onde vive e precisa aceitar um trabalho ilegal, tendo que voltar a usas suas garras.

O filme será quase, eu disse QUASE, a mesma coisa. Ele se passa em 2024, no deserto, e Logan tem um objetivo: proteger seu clone, a X-23 (Dafne Keen), e provável substituta de Hugh Jackman no universo X-Men. Porém, um trauma faz com que ele prometa nunca mais usar as garras. No trailer ainda se percebe que Xavier está com Alzheimer, em momentos ele lembra das coisas, em outras esquece. O maior telepata de todos sofre com uma doença neurodegenerativa, ironia, não?

X-23 e Logan (Foto: Reprodução)

O filme também terá a presença de “Caliban”, um mutante capaz de detectar outros mutantes a grandes distâncias. Boyd Holbrook interpreta Donald Pierce. Ele foi noticiado como sendo um dos principais vilões do filme. Nos quadrinhos, Pierce é, na verdade, um ciborgue de alta tecnologia, líder do grupo de caçadores de mutantes conhecido como “Os Carniceiros”, um grupo caçador de mutantes, mas na trama agirão como uma espécie milícia. Aparentemente, é o grupo que está em uma caçada pela X-23, ou seja, eles podem estar trabalhando para Nathaniel Essex, o Sr. Sinistro.

O melhor de tudo é que o filme possuirá as essências de Mad Max e do game The Last of Us, produções aclamadas pela crítica e público. Esses seriam os temperos ideais para uma despedida fenomenal de Hugh Jackman como Wolverine? Seria um dos melhores filmes de super-heróis dos últimos tempos? Deixe seu comentário.

Logan tem estreia marcada para Março de 2017 em todo o país. O elenco principal conta com Hugh Jackman, Patrick Stewart, Boyd Holbrook e Dafne Kenn. A direção é de James Mangold (Wolverine: Imortal).

Confira o trailer:

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Dica de série da semana: House of Cards, da Netflix

Reprodução 56e3e6ac 8d61 492d b093 15a4293be89b Claire e Frank Underwood, de House of Cards

Toda quarta-feira, aqui neste blog, darei dicas de séries que vocês podem assistir e com certeza irão curtir cada episódio. A ideia é trazer o mundo das produções das grandes empresas de TV e streaming para a casa de cada leitor.

Para começar, a primeira série em inauguração a este quadro é “House of Cards”. Original da Netflix, House of Cards mostra o mundo fictício dos bastidores da política nos Estados Unidos. A produção possui um elenco de peso com Kevin Spacey e Robin Wright, além de outros grandes nomes. A série já se encontra na quarta temporada e tem previsão para a estreia da quinta no meio de 2017.

Confira a sinopse de House of Cards:

Frank Underwood (Spacey) é um astuto congressista norte-americano que é traído pelo presidente que ele ajudou a eleger. Com a ajuda da esposa, Claire Underwood (Robin Wright), de uma jornalista ambiciosa e de um outro político com problemas com alcoolismo, Underwood inicia um plano para minar adversários políticos e conquistar, em alguns anos, a presidência dos Estados Unidos.

O segredo do sucesso da série é, sem dúvida, o roteiro bem escrito e de uma genialidade incrível. A quebra da quarta parede, quando o ator fala com o fã, de Frank é outro grande trunfo da série. Os diálogos são dignos de filme de Oscar, as reviravoltas e a tensão aumentam a cada temporada, onde o espectador acaba fazendo parte, mesmo que sem querer, de toda a trama.

A fotografia é excelente, bem ao estilo “Poderoso Chefão”, e o enquadramento da câmera é quase que perfeito. Robin Wright é uma atriz de primeiro escalão e em House of Cards representa uma mulher poderosa, independente, forte e que enfrenta até um tsunami de problemas de pé, sem se desequilibrar. Típico da mulher moderna e que é necessária na sociedade. Claire, na verdade, é o pilar do relacionamento com Frank e a catapulta que lança o marido em caminhos mais distantes.

 

 

Falando em relacionamento, Claire e Frank possuem uma relação aberta onde há um único objetivo: o poder. Até chegar lá, eles não medem esforços. Traição política, jogos, falsidade, sujeira e cartas na mesa, House of Cards representa aquilo que na verdade a política é.

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.
Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com