Carrie Fisher, a princesa Leia Organa de Star Wars, morre aos 60 anos

Reprodução Ca866209 8983 4b77 a117 f29a6c1b5da3 Carrie Fisher em O Despertar da Força

Atualizada às 15:38

A atriz Carrie Fisher, conhecida pelo papel de Princesa Leia Organa na saga Star Wars, morreu aos 60 anos na tarde desta terça-feira, 27, vítima de complicações de um ataque cardíaco durante um voo entre Londres e Los Angeles no dia 23 de dezembro.

No dia 23 de dezembro, a atriz sofreu um ataque cardíaco durante um voo e chegou a ser socorrida para o hospital UCLA Medical Center, na capital do estado da Califórnia, e se manteve internada até hoje. O irmão da atriz, Todd Fisher, desmentiu boatos sobre a condição de saúde de Carrie e falou que seu estado era crítico.

Um porta-voz da família de Carrie confirmou a morte da atriz para o site da revista People.

"É com grande tristeza que Billie Lourd confirma a morte de sua amada mãe Carrie Fisher. Ela morreu nesta manhã às 8h55. Ela era amada pelo mundo, que sentirá sua falta profundamente. Toda nossa família agradece os pensamentos e orações de vocês."

Amada pelos fãs, Carrie nasceu em 21 de outubro de 1956. Foi escritora, atriz e roteirista que começou sua carreira no cinema com a comédia Shampoo (1975). Em 1977, Carrie estreou aquele que a eternizaria no papel da Princesa Leia Organa, em Star Wars, com Mark Hamill e Harrison Ford. Na época, ela acreditava que Star Wars tinha um roteiro fantástico.

Carrie Fisher chegou a sofrer com o diagnóstico de transtorno bipolar e com o vícios em analgésicos e cocaína. A atriz retornou ao papel de Leia em Star Wars – O Despertar da Força (2015) onde foi ovacionada pelo público.

 

Carrie Fisher em Star Wars

 

Eu, como fã fervoroso de Star Wars, me sinto chocado com a notícia e desejo toda a Força poderosa do mundo a família da atriz e aos amantes da saga Star Wars.

 

"Morte parte natural da vida é, feliz fique por aqueles que na Força se transformam." (Mestre Yoda - Episódio III)

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Ricky Harris, o Malvo de "Todo Mundo Odeia o Chris", morre aos 54 anos vítima de infarto

Ilustração 76d8a7f9 92f9 413c 945e 9cebf9ac56cd Ricky Harris

Atualizada às 00:05

O ator, rapper e comediante Ricky Harris, mais conhecido por interpretar o personagem Malvo em "Todo Mundo Odeia o Chris", morreu na noite desta segunda-feira, 26. As primeiras informações são de que Harris morreu vítima de infarto.

O ator tinha 54 anos e começou seus primeiros papéis no cinema em "Poetic Justice" em 1993 e "Murder Was the Case: The Movie em 1995". Ele também teve participações nas séries "CSI: NY" e "CSI: Miami".

O ator Tyler James Williams, que interpretou o Chris, era amigo próximo de Rick e deixou uma mensagem emocionante no perfil pessoal do Instagram.

Na mensagem, Tyler diz que "2016 tem sido um ano duro, e com certeza ele deu outro golpe. Este homem foi um dos homens mais engraçados que eu já trabalhei  e um dos poucos a entrar em um show e respeitar um elenco cheio de crianças talentosas. Subestimado é um eufemismo.

Descanse em paz Ricky Harris"

 

Instagram oficial de Tyler James Williams

 

O também rapper e amigo próximo de Harris, Snoop Dogg deixou uma mensagem no perfil oficial no instagram (@snoopdogg). Tá na hora de 2016 acabar, porque tá difícil.

Confira uma das melhores cenas do ator em "Todo Mundo Odeia o Chris":

 

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Trailer de "Alien: Covenant" é incrível e revela a retomada do terror na franquia

Divulgação Aaf846ba 16b1 4956 a4f6 9b6e7013a449 Pôster de "Alien: Covenant"

Após meses de espera, a Fox finalmente divulgou o primeiro trailer do novo filme “Alien: Covenant”. Baseada na criatura xenomorfa mais conhecida de todos os tempos, a trama deve se passar tanto como prelúdio do longa de 1979 quanto como uma continuação de Prometheus.

Depois de um filme que não agradou totalmente o público em Prometheus, o diretor Ridley Scott (Perdido em Marte) promete um filme com mais terror e mais claustrofóbico que o público tanto gosta. Tomando como base o game “Alien: Isolation” (2014), Covenant promete retomar o fôlego da franquia que estava estagnada.

Talvez seja a última chance de Scott a frente do filme, mesmo com um excelente Prometheus. Em entrevista para a Entertainment Weekly, o diretor afirmou que pretende deixar Covenant ainda mais assustador. “É difícil assustar as pessoas. É muito mais fácil fazer um monte de gente rir. Mas realmente assustar alguém até borrar as calças? Isso é difícil”, disse Ridley Scott.

 

Katherine Watherston (Foto: Etertainment Weekly)

 

Além de uma trama que pode responder muitas dúvidas que ficaram pairadas em Prometheus, Alien: Covenant tem um elenco estrelado com Michael Fassbender (Assassin’s Creed), James Franco (127 Horas), Katherine Watherston (Animais Fantásticos e Onde Habitam), Guy Pearce (Homem de Ferro 3) e Noomi Rapace (Sherlock Holmes: O Jogo das Sombras). O roteiro fica a cargo de Michael Green (Logan).

O filme foi antecipado em três meses e tem estreia prevista para 19 de maio de 2017.

Confira a sinopse e o trailer de Covenant:

“Ridley Scott retorna ao universo que criou com ALIEN: COVENANT, um novo capítulo em sua inovadora franquia ALIEN. A tripulação do navio-colônia Covenant, ligada a um remoto planeta no lado distante da galáxia, descobre o que eles acham que é um paraíso inexplorado, mas na verdade é um mundo escuro e perigoso. Quando descobrem uma ameaça além de sua imaginação, devem tentar uma fuga angustiante.”

 

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Os maiores sucessos e fracassos de bilheterias no cinema em 2016

Ilustração 98bd289d 007b 4d06 a95b a52b4c1748d8 O Homem nas Trevas (2016)

Com a chegada de fim de ano que vem juntamente com o fim da temporadas de blockbusters em 2016, especialistas da revista americana Variey publicou uma lista com os maiores sucessos e fracassos de bliheterias do cinema em 2016.

A lista contempla 10 filmes e se baseia no orçamento da produção e na arrecadação ao redor do mundo:

 

OS FRACASSOS

 

A Longa Caminhada de Billy Lynn

“Billy Lynn é um jovem soldado de 19 anos, que consegue sobreviver, junto de seus colegas de exército, a um tiroteio no Iraque em 2005. Para recompensá-los, o presidente George W. Bush leva toda a tropa de volta aos Estados Unidos, a tempo de receber uma homenagem no intervalo de um jogo de futebol americano, na época do Dia de Ação de Graças. Logo após a festa, no entanto, Billy e os outros militares são enviados de volta ao Iraque.”

O filme do diretor Ang Lee (As Aventuras de Pi) custou US$ 40 milhões aos estúdios Tristar e só arrecadou US$ 26,2 milhões.

 

O Bom Gigante Amigo

“A pequena órfã Sophie (Ruby Barnhill) encontra um gigante amigável que, apesar de sua aparência assustadora, se mostra uma alma bondosa, um ser renegado pelos seus semelhantes por se recusar a comer meninos e meninas. A garotinha, a Rainha da Inglaterra (Penelope Wilton) e o ser de sete metros de altura unem-se em uma aventura para eliminar os gigantes malvados que estão planejando tomar as cidades e aterrorizar os humanos”.

O mestre Steven Spielberg (Jurassic Park) não se deu bem desta vez. O filme custou US$ 140 milhões e “só” conseguiu US$ 178,4 milhões.

 

A série Divergente: Convergente

“Após a mensagem de Edith Prior ser revelada, Tris (Shailene Woodley), Quatro (Theo James), Caleb (Ansel Elgort), Peter (Miles Teller), Christina (Zoë Kravitz) e Tori (Maggie Q) deixam Chicago para descobrir o que há além da cerca. Ao chegarem lá, eles descobrem a existência de uma nova sociedade.”

Do estúdio da Lionsgate, Convergente foi de longe o filme mais fraco da série custando US$ 110 milhões e arrecadando US$ 179 milhões

 

Ben-Hur

“O nobre Judah Ben Hur (Jack Huston), contemporâneo de Jesus Cristo (Rodrigo Santoro), é injustamente acusado de traição e condenado à escravidão. Ele sobrevive ao tempo de servidão e descobre que foi enganado por seu próprio irmão, Messala (Toby Kebbell), partindo, então, em busca de vingança.”

O filme de Rodrigo Santoro e da MGM não foi muito bem no mundo. O orçamento da produção foi de US$ 100 milhões e fez apenas US$ 94 milhões.

 

Alice Através do Espelho

“Alice (Mia Wasikowska) retorna após uma longa viagem pelo mundo, e reencontra a mãe. No casarão de uma grande festa, ela percebe a presença de um espelho mágico. A jovem atravessa o objeto e retorna ao País das Maravilhas, onde descobre que o Chapeleiro Maluco (Johnny Depp) corre risco de morte após fazer uma descoberta sobre seu passado. Para salvar o amigo, Alice deve conversar com o Tempo (Sacha Baron Cohen) para voltar às vésperas de um evento traumático e mudar o destino do Chapeleiro. Nesta aventura, também descobre um trauma que separou as irmãs Rainha Branca (Anne Hathaway) e Rainha Vermelha (Helena Bonham Carter).”

Do diretor James Bonin e que contou mais uma vez com Johnny Depp, custou US$ 170 milhões a Disney e conseguiu arrecadar US$ 299 milhões. Apesar de estar acima do custo da produção, a empresa ainda gasta com marketing, distribuição e outros custos.

 

OS SUCESSOS

 

Pets – A Vida Secreta dos Bichos

“Max é um cachorro que mora em um apartamento de Manhattan. Quando sua querida dona traz para casa um novo cão chamado Duke, Max não gosta nada, já que seus privilégios parecem ter acabado. Mas logo eles vão ter que pôr as divergências de lado quando um incidente coloca os dois na mira da carrocinha. Enquanto tentam fugir, os animais da vizinhança se reúnem para o resgate e uma gangue de bichos que moram nos esgotos se mete no caminho da dupla.”

Da Universal, Pets teve um orçamento estimado de R$ 75 milhões e conseguiu arrecadar impressionantes R$ 875 milhões no mundo.

 

Sully – O Herói do Rio Hudson

“15 de janeiro de 2009. Logo após decolar do aeroporto de LaGuardia, em Nova York, uma revoada de pássaros atinge as turbinas do avião pilotado por Chesley "Sully" Sullenberger (Tom Hanks). Com o avião seriamente danificado, Sully não vê outra alternativa senão fazer um pouso forçado em pleno rio Hudson. A iniciativa é bem sucedida, com todos os 150 passageiros a bordo sendo salvos. Tal situação logo transforma Sully em um grande herói nacional, o que não o isenta de enfrentar um rigoroso julgamento interno coordenado pela agência de regulação aérea nos Estados Unidos.”

A Warner dessa vez acertou em cheio em mais um filme altamente patriótico. Clint Eastwood é o diretor e Tom Hanks é Sully num filme que custou US$ 60 milhões e fez US$ 228 milhões no mundo.

 

O Homem nas Trevas

“Três adolescentes sempre escaparam de seus roubos, todos perfeitamente planejados. No entanto, quando realizam seu último crime, assaltando a casa de um senhor cego, o jogo muda. Encarcerados no local, eles precisam lutar por suas vidas contra um psicopata cheio de segredos e terrivelmente habilidoso.”

A maior surpresa do ano é de um filme de terror para maiores de 18 anos. Sim, considerado um dos maiores sucessos do ano, O Homem nas Trevas teve a produção estimada em US$ 10 milhões e arrecadou impressionantes US$ 153 milhões.

 

Deadpool

“Ex-militar e mercenário, Wade Wilson (Ryan Reynolds) é diagnosticado com câncer em estado terminal, porém encontra uma possibilidade de cura em uma sinistra experiência científica. Recuperado, com poderes e um incomum senso de humor, ele torna-se Deadpool e busca vingança contra o homem que destruiu sua vida.”

Esse sim com certeza foi o maior sucesso do ano. Deadpool, do diretor Tim Miller, e de Ryan Reynolds teve um orçamento de “míseros” US$ 50 milhões a Fox e arrecadou absurdos US$ 782 milhões no mundo. Detalhe: o filme é considerado R-Rated, que no Brasil significa que é proibido para menores de 18 anos. Incrível, não?

 

MENÇÃO HONROSA

 

Rogue One: Uma História Star Wars

“Ainda criança, Jyn Erso (Felicity Jones) foi afastada de seu pai, Galen (Mads Mikkelsen), devido à exigência do diretor Krennic (Ben Mendelsohn) que ele trabalhasse na construção da arma mais poderosa do Império, a Estrela da Morte. Criada por Saw Gerrera (Forest Whitaker), ela teve que aprender a sobreviver por conta própria ao completar 16 anos. Já adulta, Jyn é resgatada da prisão pela Aliança Rebelde, que deseja ter acesso a uma mensagem enviada por seu pai a Gerrera. Com a promessa de liberdade ao término da missão, ela aceita trabalhar ao lado do capitão Cassian Andor (Diego Luna) e do robô K-2SO.”

Recém-lançado e com apenas uma semana em cartaz, Rogue One é sucesso de crítica e público, além de ser finalista do Oscar de Melhores Efeitos Visuais. Do diretor Gareth Edwards e de elenco estrelado que conta com Felicity Smoak, Madds Mikkelsen e Forest Whitaker, o filme teve um orçamento de R$ 200 milhões e já arrecadou R$ 388 milhões no mundo, fazendo com que a Disney fosse o primeiro estúdio de cinema do mundo a chegar a fazer US$ 7 bilhões em um ano.

Para você, querido leitor, faltou algum filme na lista? Ou acha injusto algum longa ter sido considerado um fracasso? Comente.

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Confira os favoritos a Melhor Filme no Oscar 2017

Ilustração 2c4df296 8249 488d 926f 23bef86109cf Oscar

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas divulgou a lista com 336 filmes elegíveis para concorrer a Melhor Filme no Oscar 2017. Entre eles estão grandes favoritos como “Fences” e “Silence” e blockbusters como “Batman vs Superman: A Origem da Justiça” e “Capitão América: Guerra Civil”.

Como se trata apenas da fase inicial, um filme precisa estrear comercialmente em um cinema de Los Angeles até a meia-noite de 31 de dezembro, permanecendo em cartaz por mais sete dias. As produções também precisam ter mais de 40 minutos.

Os grandes favoritos

Considerado o melhor filme do ano até o momento pelo público, “A Chegada”, do diretor Denis Villeneuve, trata de seres de outros planetas que deixam marcas na terra onde a Dra. Louise Banks (Amy Adams), uma linguista especialista no assunto, é procurada por militares para traduzir os sinais e desvendar se os alienígenas representam uma ameaça ou não.

 

 

Com um elenco de peso, Denzel Washington e Viola Davis vão atuar juntos em “Fences”, que é baseado na aclamada e premiada peça teatral homônima. A trama gira em torno de um homem, que sonhava em se tornar um grande jogador de beisebol durante sua infância, acaba frustrado na vida como um catador de lixo.

 

 

Martin Scorsese volta com tudo em seu mais novo filme “Silence”. Com um elenco estrelado que conta com Liam Neeson, Andrew Garfield e Adam Driver, o filme vai se passar no século XVII onde dois padres jesuítas portugueses, Sebastião Rodrigues (Garfield) e Francisco Garupe (Adam), viajam até o Japão em uma época onde o catolicismo foi banido. À procura do mentor deles, padre Ferreira (Neeson) os jesuítas enfrentam a violência e perseguição de um governo que deseja expurgar todas as influências externas.

 

 

O musical La La Land também pode ser considerado um dos favoritos na categoria. Com Ryan Gosling e Emma Stone no elenco, além de receber 7 indicações a prêmios no Globo de Ouro, a trama do filme conta a história de um pianista de jazz chamado Sebastian (Gosling) que quando chega a Los Angeles conhece a atriz iniciante Mia (Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

 

 

Blockbusters que merecem prêmios

Para melhor filme, nenhum blockbuster deve chegar ao páreo dos queridinhos de hollywood, porém em questão de prêmios técnicos alguns devem chegar lá. “Esquadrão Suicida” pode concorrer a melhor mixagem de som, enquanto “Doutor Estranho”, “Batman vs Superman”, “Warcraft”, “Star Wars: Uma Hsitória Star Wars” e “Mogli: O Menino Lobo” podem concorrer a Melhor Efeito Visual.

Nas animações, “Zootopia” pode sair na frente ao lado de “Procurando Dory” e “Moana”.  As escolhas dos finalistas serão apresentadas no dia 24 de Janeiro no programa do comediante Jimmy Kimmel e a edição do Oscar 2017 ocorre no dia 26 de fevereiro.

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Assassin's Creed, novo filme da Fox, é massacrado pela crítica nacional e internacional

Divulgação F30c06a4 54eb 4f50 a270 0804568644bb Callum Lynch (Michael Fassbender)

O novo filme adaptado de um game de sucesso da Ubisoft, Assassin’s Creed, está sendo detonado pela crítica nacional e estrangeira desde que foi exibida para jornalistas especializados em cinema nesta semana.

O site Hollywood Reporter disse que o filme possui “mais de duas horas perdendo tempo com tolices quando poderia ter se beneficiado com mais cenas de ação”. Já o site Variety diz que “Assassin’s Creed é um filme de vídeo game medíocre que não tem marca própria”.

Da mesma forma, a crítica nacional também detona a nova franquia recém-nascida da Fox. O site Jovem Nerd morde e assopra ao dizer que “o filme realmente consegue ser uma boa adaptação baseada em games. No entanto, como um filme, não consegue se destacar de nenhuma forma. A obra diverte por si só, apesar das falhas, mas se encaixa na famosa categoria ‘filme de Sessão da Tarde’, no máximo”.

Mesmo não tomando o Rotten Tomatoes como um site de confiança e de parâmetro, o filme tem apenas 19% de aprovação, o que pode provocar uma queda de rendimento para a franquia.

No entanto, o Omelete foi um dos poucos que elogiou o longa. O jornalista Thiago Romariz aponta que “Assassin's Creed é um bom filme, independente se é uma adaptação ou não” e termina o texto afirmando que “finalmente os fãs de games têm alo para se orgulhar”.

 

 

Bilheteria

Com tantos aspectos negativos, o site The Wrap fez algumas estimativas para o fim de semana nos Estados Unidos, onde Assassin’s Creed deve estrear.

Para os três primeiros dias em exibição, o filme deve figurar apenas na quarta posição, com US$ 20 milhões arrecadados. A crítica é apenas um dos problemas, já que o filme estra juntamente com “Sing – Quem Canta seus Males Espanta” e “Passageiros”, além de “Rogue One: Uma História Star Wars” que estará apenas na segunda semana em cartaz.

O filme

Callum Lynch (Michael Fassbender) descobre que é descendente de um membro da Ordem dos Assassinos e, via memória genética, revive as aventuras do guerreiro Aguilar, seu ancestral espanhol do século XV. Dotado de novos conhecimentos e incríveis habilidades, ele volta aos dias de hoje pronto para enfrentar os Templários. Versão para as telonas do game Assassin's Creed.

Além de Fassbender, Marion Cotillard e Ariane Labed estão no elenco principal, entre outros, e tem roteiro de Adam Cooper e Bill Collage (responsáveis por Êxodo: Deuses e Reis). O diretor é o australiano Justin Kurzel (Macbeth - Ambição e Guerra).

O filme chega aos cinemas no dia 21 de dezembro nos EUA e em 19 de janeiro de 2017 no Brasil.

Confira o trailer final:

 

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Teaser do filme da Liga da Justiça deve sair ainda este ano

Divulgação 6149e69d fc6e 4ba5 8840 50b60f9c0920 Liga da Justiça

Um novo teaser do filme da Liga da Justiça deve sair ainda este ano, é o que o diretor do longa Zack Snyder revelou a um fã no sábado, 17, durante um encontro informal.

De acordo com uma foto publicada no instagram pessoal do fã, ele diz que pediu “para fazer um vídeo com ele (Snyder), para deixar as pessoas mais ansiosas, mas então ele me disse, ‘Normalmente eu faria, mas uma promo do filme será divulgado muito em breve, então não posso falar muito a respeito.’ E quando ele disse muito em breve, significa ainda esse mês!”

Mesmo tratando isso como um rumor, no Natal haverá sessões especiais do novo filme da parceria Ben Affleck e Warner Bros, “A Lei da Noite”, e a possibilidade desta promo ser divulgada pode existir.

 

Publicação do fã no instagram pessoal

 

Liga da Justiça estreia no dia 17 de novembro de 2017 e tem a volta de Ben Affleck volta como Batman, Henry Cavill como Superman, Gal Gadot como Mulher Maravilha, além de Ezra Miller, o Flash, Jason Momoa, o Aquaman, e Ray Fisher, o Ciborgue.

Confira o trailer exibido na San Diego Comic Con 2016:

 

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Rogue One arrecada US$ 290,5 milhões só no primeiro fim de semana em exibição

Ilustração 5d47026a 92ac 4528 bc21 319d01157319 K-S2O

Após conseguir ser a maior abertura do ano com US$ 29 milhões desbancando "Batman vs Superman: A Origem da Justiça" e se firmar como a segunda maior estreia de todos os tempos no mês de Dezembro, "Rogue One: Uma História Star Wars" conseguiu arrecadar US$ 290,5 milhões em bilheterias só no primeiro fim de semana em exibição.

De acordo com o site Box Office Mojo, o filme conseguiu só nos Estados Unidos US$ 155 milhões, enquanto no resto do mundo arrecadou o restante de US$ 135,5 milhões. Rogue One fez US$ 71 milhões em sua estreia na sexta-feira, 16, mais US$ 46 milhões no sábado, 17, e US$ $37,574,000 neste domingo, 18.

Com esses números, o longa deve alcançar o bilhão na terceira semana em exibição, já que ainda deve estrear em mercados importantes como o da China e Coreia do Sul.

Leia mais: Crítica: Rogue One é diferente de tudo que já houve em Star Wars e isso é excelente

Rogue One: Uma História Star Wars é uma aventura épica e totalmente nova. Em um período de conflito, um grupo de heróis improváveis se reúne em uma missão para roubar os planos da Estrela da Morte, a arma de destruição definitiva do Império. Esse evento chave na linha do tempo de Star Wars aproxima pessoas comuns que escolheram fazer coisas extraordinárias e que, ao fazê-las, tonaram-se parte de algo maior do que elas mesmas.

O filme conta com um elenco estrelado com Felicity Jones (Jyn Erso), Diego Luna (Capitão Cassian Andor), Donnie Yen (Chirrut Imwe), Jiang Wen (Baze Malbus), Riz Ahmed (Bohdi Rook), Alan Tudyk (K 2SO), Mads Mikkelsen (Galen Erso), Ben Mendelsohn (Diretor Orson Krennic) e Forest Whitaker (Saw Gerrerera).

O filme segue em cartaz em todos os cinemas de Alagoas e do restante do Brasil.

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Rogue One é a maior pré-estreia do ano superando Batman vs Superman

Ilustração A13a8aa6 b0e6 4cbc 82ee 216eb204c5b5 Darth Vader

Último blockbuster do ano, “Rogue One: Uma História Star Wars” foi o filme que mais arrecadou em pré-estreias na bilheteria doméstica (EUA) no ano batendo grandes filmes como “Batman vs Superman: A Origem da Justiça” e “Capitão América: Guerra Civil”.

De acordo com o site Box Office Mojo, responsável pela medição e evolução das receitas das bilheterias, o filme arrecadou US$ 29 milhões, superando o até então primeiro colocado Batman vs Superman com US$ 27,7 milhões e Capitão América: Guerra Civil com US$ 25 milhões.

Ainda segundo o site, a previsão é de que Rogue One consiga fazer entre US$ 135 e US$ 150 milhões no fim de semana, se tornando a segunda maior estreia de todos os tempos no mês de dezembro perdendo apenas para outro filme da mesma franquia: “Star Wars – O Despertar da Força”.

Com isso, o filme se torna a terceira maior abertura em fim de semana do ano, ficando atrás dos mesmos citados anteriormente, Guerra Civil (US$ 179 mi) e BvS (US$ 166 mi).

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.

Crítica: Rogue One é diferente de tudo que já houve em Star Wars e isso é excelente

Divulgação F018c29b e43c 44a2 9b21 767fb3520105 Rogue One: Uma História Star Wars

O TEXTO NÃO CONTÉM SPOILERS!

A saga Star Wars passou para outro nível a partir deste 15 de dezembro de 2016 quando estreou “Rogue One: Uma História Star Wars”. Diferentemente do “Space opera” apresentados nos filmes clássicos da saga, Rogue One apresenta uma trama mais brutal e mais adulta.

O diretor Gareth Edwards, fã assíduo de Star Wars, criou um novo mito em um filme que possui os fãs mais loucos, apaixonados e amantes da franquia. J.J. Abrahams fez o serviço de renovar em “O Despertar da Força”, já Gareth fez a evolução em Rogue One.

O filme traz os acontecimentos entre os episódios III e IV, quando os planos de construir a Estrela da Morte estão a todo vapor. A história conta a juventude de Jyn Erso (Felicity Smoak), filha de Galen Erso (Madds Mikkelsen), cientista rebelde que é levado à força para construir a máquina destruidora de planetas. Jyn quando mais velha se junta a Capitão Cassian (Diego Luna), Chirrut Imwe (Donnie Yen), Baze Malbus (Jiang Wen), Bodhi Rook (Riz Ahmed) e K-2SO (Alan Tudyk) em busca dos planos para descobrir a fraqueza da Estrela da Morte.

Há uma certa química no elenco que ajuda na concepção da trama e no objetivo da causa. À la Sheldon, de The Big Bang Theory, K-2SO é a repetição de C3PO, só que com um toque especial. Ele rouba a cena em diversos momentos e é o humor necessário no filme. Chirrut Imwe é o cara badass da história com seu taco/arma/bazuca/tudo.

 

Jyn Erso (Felicity Smoak)

 

Mesmo com tantos elogios ao roteiro e ao elenco estrelado, Felicity Smoak deixou a desejar em diversos momentos de Rogue One. As cenas emotivas não provocaram um impacto a quem assistia, às vezes tornando-se exagerados. Talvez pior ainda tenha sido a intepretação do ator Forest Whitaker, o Saw Guerrera. Um ator do calibre de Whitaker não passou de rostos caricatos e uma voz estranha, mesmo possuindo importância na trama. Há quem goste.

Rogue One traz um novo caminho para os derivados da franquia principal e não perde em momento algum o famoso “Fã service” necessário para dar a coerência da história. Diversos easter-eggs ficam soltos no longa, desde naves, bombardeiros e cruzadores. Estão todos ali trazendo uma nostalgia e um arrepio para quem ama a saga.

A trilha sonora de Michael Giacchino readapta as músicas clássicas de John Williams com louvor. Os efeitos visuais de CGI misturados aos práticos torna o filme mais palpável ao público, apesar do 3D não fazer diferença nenhuma para quem assiste. Deve-se também dar um abraço forte a Greig Fraser (Foxcatcher), diretor de fotografia, que fez o filme parecer uma obra de arte.

Estrela da Morte em Rogue One: Uma História Star Wars

 

O melhor, como sempre, fica para o final. Gareth conseguiu fazer um terceiro ato esplendoroso, destruindo o coração dos fãs, no bom sentido da palavra. As cenas de guerras especiais e de solo em uma base imperial no planeta Scariff, onde estão os planos de destruir a Estrela da Morte, são de encher os olhos. Contrariando o escuro do vácuo, Edwards traz uma coisa nunca antes já vista em Star Wars: uma guerra na praia. Com um visual paradisíaco e bem ao estilo da primeira guerra mundial, onde as trincheiras eram bastante utilizadas, as cenas trazem uma tensão do que deve acontecer em seguida.

Por fim, não há o que se negar. Darth Vader é definitivamente o maior vilão de todos os tempos. Vader aparece no tempo certo, na hora certa e faz o público tremer em momentos de ação. Posso afirmar e ter a ousadia em dizer que Rogue One: Uma História Star Wars tem os 15 melhores minutos finais de toda a saga, juntando todos os oito filmes.

O filme estreia nesta quinta-feira, 15, e está em cartaz em todos os cinemas do país.

Nota 9

 

Confira o trailer final:

 

 

Deixe seu comentário Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.
Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com