Bruno Levy
Bruno Levy

Análises, críticas, novidades e notícias sobre o universo pop. Aqui é o santo graal do cinema, dos quadrinhos e das séries. Confira aquilo que rola em Hollywood e no mundo business em um só lugar. Sejam bem-vindos ao Blog do Bruno Levy. Siga-me também pelo instagram através do @blogdobrunolevy

Postado em 20/06/2017 às 16:43 0

Annabelle está de volta e atormenta crianças em novo trailer



Divulgação

Annabelle: A Criação do Mal

Após o grande sucesso que foi o primeiro filme de Annabelle, parece que a boneca demoníaca vem mais perigosa que antes no segundo filme intitulado “Annabelle: A Criação do Mal”.

Desta vez, a trama deve mostrar como a boneca ficou possuída antes dos acontecimentos do primeiro filme como sugere a sinopse: anos após a trágica morte de sua filha, um habilidoso artesão de bonecas e sua esposa decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira e dezenas de meninas desalojadas de um orfanato. Mesmo ainda atormentado com as lembranças da filha, o casal terá que lidar com um amedrontador demônio do passado: a boneca Annabelle, criação do próprio artesão.

O trailer, que é bastante intenso, revela diversos detalhes de como Annabelle se tornou real. Para quem ainda não conhece, a boneca realmente existe. O filme se passa no mesmo universo de Invocação do Mal, outra franquia de terror de grande sucesso. Fora da ficção, Annabelle está presa dentro de uma caixa de vidro na casa do casal Warren, demonologistas e exorcistas dos Estados Unidos. Se quiser saber mais sobre a real história da boneca, basta assistir a este vídeo produzido pelo Fantástico em novembro de 2013, antes da estreia do primeiro longa.

 

 

O elenco conta com Stephanie Sigman, Alicia Vela-Bailey e Miranda Otto. A direção é de David F. Sandberg (Quando as Luzes se Apagam) que conta com a produção de James Wan (Invocação do Mal 1 e 2). A estreia mundial está marcada para o dia 17 de agosto.

Confira o trailer:

 

 


Postado em 01/06/2017 às 17:16 0

Mulher-Maravilha laça os corações dos fãs no melhor filme da DCEU



Divulgação

Mulher-Maravilha

Os filmes do gênero de super-heróis mais que se consolidaram no mundo do cinema nos dias de hoje. Superman, Batman, Homem de Ferro, Homem-Aranha, Hulk, Thor. Todos eles já tiveram seu tempo de tela seja num filme de origem ou não, porém algo que estava faltando para estes tipos de filme era de uma super-heroína. Para isso, a DC lançou nada mais, nada menos que a maior heroína de todos os tempos: Mulher-Maravilha.

A tarefa era a mais difícil possível, principalmente pela protagonista se tratar de uma atriz desconhecida até Batman vs Superman: A Origem da Justiça. Contestada desde que foi anunciada como a Maravilha, principalmente (acreditem se quiser) pelo seu porte físico, Gal Gadot não ligou muito para as críticas e decidiu apenas trabalhar. Hoje, pudemos ver o quanto ela nasceu para ser a heroína.

A Warner finalmente deixou toda a produção do longa trabalhar e expor suas ideias, ao contrário do que fez com o massacrado Esquadrão Suicida. Patty Jenkis, diretora com poucos filmes no currículo, aceitou fazer Mulher-Maravilha de braços abertos mesmo sabendo se tratar de uma missão quase impossível. O resultado foi espetacular, nada menos que isso.

 

 

O filme inicia com a origem de Diana Prince ainda em Themiscira, terra das Amazonas. De forma leve e descontraída, belas imagens de fotografia e um excelente enredo inicial, a história das mulheres da ilha é contada. Steve Trevor, interpretado por Chris Pine, chega a terra das amazonas sob forte ataque alemão. Diana salva o soldado, uma guerra ocorre na praia e então ela decide ir ao encontro de Ares, o deus da guerra, e principal inimigo das amazonas.

Dali em diante a história se desenrola de um jeito incrível, sem cansar a mente de quem está assisto. Com um humor apimentado e na hora exata que não faz atrapalhar na hora que a coisa fica séria. Claramente a DC decidiu ouvir os fãs e atentar para a uma história mais esperançosa, mais para cima, diferentemente dos climas pesados de Batman vs Superman e Homem de Aço. Geoff Johns até comentou sobre isso em uma entrevista.

Gal Gadot se sentiu nos ares no papel da princesa amazona. Ela estava feliz e bastante satisfeita durante as filmagens e o filme fez transparecer isso. Carismática, linda e bastante onipotente, Gadot se tornou o símbolo de uma heroína que estava faltando num universo de heróis apenas masculinos. Ela não precisava de Trevor em nenhum momento, ela é independente, aguerrida e sabe o que quer. Mesmo assim, a química dos personagens, desde Pine, até os outros do pequeno “esquadrão suicida” da primeira guerra, estavam conexos.

 

 

Com um tom leve e ao mesmo tempo tenso, Jenkis disse que se baseou no Superman de 78 e em filmes de Indiana Jones. De fato, a essência estava lá presente em cada cena. Quem estava assistindo sentiu a esperança vindo da amazona, como se estivéssemos lendo as HQs da pré-crise da década de 90 frame por frame, sendo um acerto inegável da diretora.

A trilha sonora de Junkie LX complementa a obra de Jenkis, que não deixou a peteca cair em nenhum momento. Pode-se apostar desde já que Mulher-Maravilha é um forte concorrente ao Oscar de Melhor Figurino e Melhor Fotografia, mesmo com um 3D que escurecia bastante coisa, talvez o maior defeito dos filmes do gênero.

O único pecado, mas que não é algo que prejudicou a trama, foi o acontecimento final, onde precisava-se de mais corpo-a-corpo e mais um pouco de ação. Acho que seria pedir demais para mais uma obra do gênero. Mulher-Maravilha abriu portas para novidades no universo da DC/Warner, reanimou completamente o estúdio e, mais do que nunca, tornou-se mais um símbolo feminino que tanto precisamos nas telonas. Não é a toa que a aprovação está lá nas alturas, assim como nosso amor por toda a produção do filme.

 

Nota 10 - Excelente

 


Postado em 25/05/2017 às 16:29 0

Feliz Dia da Toalha, nerd; não sabe o que é? Entenda



Internet

O Guia do Mochileiro das Galáxias

Hoje é comemorado o dia do orgulho nerd, ou como é mais conhecido o dia da toalha. Primeiramente, quero desejar a todos os nerds e geeks do mundo por este dia tão incrível para os fãs de quadrinhos, games, tecnologia, cinema e tantos outros. Segundo, parabéns a Star Wars, a maior saga de todos os tempos comemora 40 anos desde que foi lançado o primeiro filme. E terceiro, você sabe o que realmente é e porque se chama “Dia da Toalha”.

Não tem muito a ver com Star Wars não, apesar de que coincidentemente, o filme foi lançado no mesmo dia que homenageia o autor da série “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, Douglas Adams. A “trilogia de cinco livros” é considerada como a bíblia dos nerds de todo o mundo. Certo, e o que o livro tem a ver com a toalha? Simples. A toalha é uma peça importante para os exploradores e caronas que vagam pelo universo atrás de aventuras nas mais diversas possibilidades que o cosmos tem a oferecer. Douglas Adams diz em seus livros que “uma toalha é o objeto de maior utilidade que um mochileiro interestelar pode possuir. Em algumas situações, tudo o que você vai ter à disposição é uma toalha e a criatividade.”

Foi ali que começou a virada nerd, digamos assim na sociedade, onde, principalmente na cultura norte-americana, eles eram taxados de estranhos enquanto que nos dias de hoje, muitas daquelas pessoas vão a pré-estreias de filmes de super-heróis da DC e Marvel para cultuar a cultura geek, por exemplo.

 

Carrie Fisher e Mark Hammil em Star Wars: Uma Nova Esperança

 

Mais do que isso, também fomos presenteados a 40 anos atrás com a estreia de Star Wars: Uma Nova Esperança, talvez o maior símblo nerd já existente. A revolução do mundo nerd nos cinemas começou lá atrás, enquanto na TV a série Star Trek já fazia sua parte. Nada mais justo que agradecer a George Lucas por ter insistido tanto neste trabalho, passado por umas e outras até chegar ao topo do mundo.

Obrigado aos ícones Mark Hammil (Luke Skywalker), Han Solo (Harrison Ford) e Leia Skywalker (Carrie Fisher). Aos ícones de agora Rey (Daisy Ridley), Finn (Jon Boyega), Kylo Ren (Adam Driver) e Poe Dameron (Oscar Isaac) e também aos que virão.

Acima de tudo, não entre em pânico e feliz Dia da Toalha!


Postado em 22/05/2017 às 17:10 0

Aplicativo permite ir ao cinema todos os dias a partir de R$ 59,90 mês



Foto: Bruno Levy

PrimePass está disponível para Android e iOs

Quem nunca sonhou em assistir todos os dias a pelo uma sessão no cinema? O problema é arcar com todas as despesas, certo? Não mais. Um novo aplicativo promete acabar com todas essas despesas a partir de uma assinatura mensal: trata-se do PrimePass Cinema.

Com ele, o cinéfilo apaixonado por filmes vai pagar uma assinatura fixa mensal, com planos a partir de R$ 59,90, e assistir a um filme no cinema a cada 24 horas. O aplicativo surgiu em 2016 e passou por vários testes até ser lançado.

De acordo com Ricardo Cury, diretor de marketing do PrimePass, em entrevista ao site Exame, ”cerca de 13% das pessoas que vão ao cinema são recorrentes – ou seja, possuem alta frequência de ida. Nós temos um campo de 87% para trabalhar, composto por pessoas que não vão com frequência. ” Ele ainda complementou que “tornou-se inviável ir ao cinema todas as semanas. Com uma assinatura, o consumidor poderia ver poderia ir mais ao cinema e gastando muito menos, recebendo uma conta fixa todo fim de mês. ”

O Primepass está disponível em mais de 2500 salas de cinema, em todos os estados brasileiros. Especificamente em Maceió, as redes Cinesystem, do Parque Shopping, Kinoplex, do Macieó Shopping, e Centerplex, do Pátio Maceió, são atendidas pelo aplicativo.

Os preços dos planos variam de acordo coma região. Na capital alagoana você pode conferi-los como na imagem abaixo:

 

Planos mensais para Maceió

 

Conforme disponibilizado na imagem, o plano Básico é valido de segunda a quarta-feira pelo preço de R$ 59,90; o plano Padrão permite assistir sessões durante toda a semana por R$ 79,90; e, por fim, o plano VIP funciona como o Padrão, porém inclui as salas VIP e IMAX por R$ 149,90.

Para fazer o cadastro e aderir um plano é simples: basta baixar o aplicativo pelo Google Play ou pela Apple Store, buscar a região que você mora, procurar o menu no canto direito superior da tela e clicar em ver planos. Lá basta escolher o plano que cabe no seu bolso, se cadastrar e escolher um cartão para pagamento mensal.

Desvantagens

Mesmo com tanta coisa apresentada, o aplicativo deixa a desejar com algumas regras desconfortáveis. A primeira é assistir a um filme a cada 24h. Por exemplo, caso assista uma exibição das 20h no cinema, o cliente só pode voltar a assistir outro filme após as 20h do outro dia, apesar da PrimePass afirmar que o plano é de um filme por dia.

A segunda é que o assinante não pode repetir o filme que já assistiu anteriormente e, como não há 30 lançamentos por mês no cinema, acaba perdendo algumas vantagens. A terceira e não menos importante são os filmes em 3D, onde o cliente, para assistir as sessões, terá que desembolsar mais R$ 30 no pacote na assinatura.

Por fim, a falta de mais opções de assinaturas como uma para casais ou para estudantes que possuem o direito de meia-entrada nos cinemas, o que baratearia ainda mais os planos.

É só o começo. Quem sabe no futuro os planos ficam mais baratos e mais vantagens são incluídas para os antigos e novos assinantes? De uma coisa temos certeza: trata-se de um avanço considerável no ramo do entretenimento cinematográfico do país. Vale a ideia.


Postado em 19/05/2017 às 06:30 0

Pré-venda de ingressos para o filme da Mulher-Maravilha já inicou



Foto: Warner Bros/DC Comics

Gal Gadot é a Mulher-Maravilha

A pré-venda de ingressos para o filme da maior heroína de todos os tempos começou nesta quinta-feira, 18, para todos os cinemas do país. Estreia está marcada para o dia 1º de junho no Brasil.

Conforme divulgado pela própria Gal Gadot, atriz que interpreta Diana Prince, na semana passada, a pré-venda de ingressos também inclui a prá-estreia. Em Maceió, até o momento apenas no Kinoplex, que fica localizado no Maceió Shopping, e a Cinesystem, que fica no Parque Shopping, estão vendendo os ingressos em sessão das 20h, dublada, e de 21h, legendada, respectivamente.

Para comprar o bilhete e garantir um lugar basta clicar aqui.

 

ESSA MULHER É, REALMENTE, MARAVILHOSA!

 

Treinada desde cedo para ser uma guerreira imbatível, Diana Prince (Gal Gadot) nunca saiu da paradisíaca ilha em que é reconhecida como princesa das Amazonas. Quando o piloto Steve Trevor (Chris Pine) se acidenta e cai numa praia do local, ela descobre que uma guerra sem precedentes está se espalhando pelo mundo e decide deixar seu lar certa de que pode parar o conflito. Lutando para acabar com todas as lutas, Diana percebe o alcance de seus poderes e sua verdadeira missão na Terra.

Este é o quarto filme do universo estendido da DC Comics no cinema. O primeiro foi Homem de Aço (2013), seguido por Batman vs Superman: A Origem da Justiça (2016) e Esquadrão Suicida (2016). Segundo o site BoxOffice Pro, é esperado que o filme arrecade 85 milhões de dólares só nos Estados Unidos, porém o site Deadline acredita em US$ 65 milhões.

Além de Gal Gadot e Chris Pine, o elenco também conta com Connie Nielsen (Rainha Hipólita), Robin Whright (General Antiope), David Thewlis (Sir Patrick), Danny Huson (General Erich Ludendorff) e Elena Anaya (Maru/Doutora Veneno). A direção é de Patty Jenkis.

Confira o trailer final do filme:

 

 


Postado em 05/05/2017 às 14:59 0

Dunkirk: saiba mais sobre o novo filme de guerra de Christopher Nolan



Divulgação

Dunkirk

Bastante conhecido por filmes como a trilogia Cavaleiro das Trevas, A Origem e Interestelar, o visionário diretor Christopher Nolan vai voltar a sentar na cadeira principal para um filme totalmente diferente do que ele fez até hoje: Dunkirk, uma história baseadas em fatos que se passa durante a segunda guerra mundial.

Nesta sexta-feira, 05, foi lançado um novo trailer do longa que parece ser bem intenso. Diferentemente dos filmes de herói, de ficção e de sonhos, Nolan não está nem um pouco satisfeito em parar de ser tão excelente nos bastidores. Além de dirigir, ele também escreve e produz Dunkirk, que deve ser lançado no dia 27 de julho nos cinemas.

Apesar de aparentar ser um filme de guerra sangrento, Nolan admitiu não focar nisso, e sim em “uma história de sobrevivência e acima de tudo no suspense”, disse o diretor durante uma entrevista realizada no mês passado a Associated Press. “Embora exista grande intensidade, ele não necessariamente se preocupa com os aspectos sangrentos do combate, que já foram muito bem mostrados em tantos filmes. Estamos realmente buscando uma abordagem diferente para atingir intensidade de outras maneiras. Eu realmente gostaria que muitos tipos de pessoas pudessem extrair algo dessa experiência", concluiu.

Outro motivo é que Dunkirk tem a classificação baixa de PG-13 ou proibido para menores de 12 nos, no Brasil.

 

 

O trailer, que não mostra quase nada da trama, apresenta 400 mil soldados em uma operação denominada de Dínamo. Para quem não sabe, aqui vai uma pequena aula de história: A Operação Dínamo ocorreu entre os dias 26 de maio e 4 de junho, no início da segunda grande guerra, quando 340 mil soldados aliados foram evacuados sob intenso bombardeio da cidade francesa de Dunquerque até a cidade inglesa de Dover. Um desastre decorrente da invasão da França pelas forças nazistas em 10 de Maio de 1940, que avançou rapidamente devido à falta de efetiva resistência aliada.

Sendo cercados e pressionados pelos alemães, a intenção inicial era evacuar cerca de 45 mil homens da Força Expedicionária Britânica em dois dias, mas, logo depois, o objetivo foi alterado para resgatar 120 mil homens em cinco dias. Civis de países e cidades vizinhas de Dunquerque foram convocados para resgatar os soldados.

O elenco está recheado de estrelas com a presença de uma dupla de queridinhos do Nolan. Tom Hardy e Cillian Murphy já trabalhou diversas vezes com o diretor. Mark Rylance, Kenneth Branagh, Jack Lowden, Fionn Whitehead, Aneurin Barnard e o cantor Harry Styles completam o cast.

Hans Zimmer é o compositor da trilha sonora do filme e produção fica por conta da Warner Bros.

Confira o novo trailer de Dunkirk:

 

 


Postado em 27/04/2017 às 15:39 0

Mais que irreverente e despirocado, Guardiões da Galáxia Vol. 2 é excepcional



Divulgação

Dave Bautista é Drax

Em seus quase dez anos de universo expandido, a Marvel passou por vários altos e baixos em seus filmes lançados até o momento, porém quando o público e a crítica cometem o equívoco de achar que os filmes do gênero de super-heróis estão para acabar, aparece lá no horizonte a família mais irreverente dos cinemas: os Guardiões da Galáxia.

Despirocado, louco, irreverente a altamente cômico, a continuação de Guardiões mostra a quão perturbada é a mente do diretor James Gunn. Desde o primeiro trailer exibido no ano passado, ficou clara a premissa do novo longa: mais comédia pastelão, ótimas músicas, muita cor e muita ação. Prometeram e cumpriram.

A trama do filme começa nos anos 80, quando Ego (Kurt Russel) vai a terra e conhece Meredith, a mãe de Peter Quill (Chris Pratt). Ele deixa na terra uma parte dele no solo, engravida Meredith e vai embora, abandonando-a. Logo depois, o filme se passa nos dias atuais quando Peter conhece Ego. A aventura cósmica espacial totalmente colorida é típica dos anos oitenta. Sons com barulhos de fliperama, cores bastante fortes de filmes como De Volta Para o Futuro e trajes toscos que eram considerados legais na época. Gunn é totalmente fiel ao material original fora dos padrões dos quadrinhos também da mesma década de Guardiões da Galáxia.

A trama do filme vai mais além do que uma simples comédia. Ela passa pelo desenvolvimento dos personagens, principalmente de Rocket (Bradley Cooper) e Yondu (Michael Rooker). O diretor deixou claro o que faria em várias entrevistas prestadas nas TVs dos EUA e também no painel da Marvel da Comic Com Experience no ano passado.

Destaque para o Drax (Dave Bautista). Um cara que não se esperava tanto se tornou o personagem mais carismático talvez até de todo o universo da editora. Incrível como um ator que até então tinha pouco destaque se tornou grande nas telonas.

O visual é de encher os olhos com seu colorido forte e a ótima utilização do 3D. Poucos filmes fazem com o 3D o que a Marvel faz em Guardiões. O universo cósmico se expande cada vez mais, preparando cada vez mais o terreno para Vingadores: Guerra Infinita.

Guardiões da Galáxia Vol. 2 entrega aquilo que promete e ainda mais, se tornando melhor que o primeiro, uma tarefa  que seria até então extremamente difícil. Todos os atores estavam confortáveis em tela, eles aparentavam também ser uma família fora dela. Aparentemente todos têm um parafuso meio solto assim como Gunn.

O diretor já confirmou que um terceiro filme vem aí. Melhor ainda com uma das cenas pós-créditos que revela quem é o vilão. Portanto, não saia até que todas as letrinhas tenham subido, afinal são cinco cenas pós-créditos.

Que venha mais Guardiões e que venha mais diversão para o público. Não precisa inventar, basta ser despirocado e louco como sempre foi.

 

Nota 10

 


Postado em 26/04/2017 às 12:31 0

Guardiões da Galáxia Vol. 2 estreia nesta quinta-feira nos cinemas



Divulgação

Groot (Vin Diesel)

Está quase chegando a hora de conferir mais um filme da família mais estranha do universo Marvel. Guardiões da Galáxia Vol. 2 finalmente vai chegar aos cinemas nesta quinta-feira, 27, após 3 anos desde o primeiro lançamento. Mas antes disso, nesta quarta-feira, 26, tem pré-estreia marcada nos principais cinemas do Brasil e, claro, os de Maceió também não podiam ficar de fora.

Considerado por muitos o filme mais esperado do ano, Guardiões Vol. 2 já possui críticas bastante positivas antes mesmo do lançamento. No site Rotten Tomatoes, que junta várias críticas americanas e faz uma média de positivação, o longa tem aprovação de 86% dos críticos.

Nos sites nacionais o filme só rende elogios. O Omelete deu a classificação de ótimo, já o site CinePop não economizou e deu cinco estrelas para o filme, sendo a classificação mais alta do site. Por fim, o Adoro Cinema disse na crítica que “sem medo de ser surtado, Guardiões da Galáxia Vol. 2 faz justiça ao original e ratifica o time como um dos mais divertidos do universo Marvel”. A classificação do site também foi como "ótimo" com 4,5 estrelas.

 

 

No segundo longa de Guardiões, os guerreiros viajam ao longo do cosmos e lutam para manter sua nova família unida. Enquanto isso tentam desvendar os mistérios da verdadeira paternidade de Peter Quill.

No elenco recheado de estrelas estão: Chris Pratt (Quill), Dave Bautista (Drax), Zoe Saldana (Gamora), Bradley Cooper (Rocket Racoon), Vin Diesel (Groot), Kurt Russel (Ego), Karen Gillan (Nebula), Michael Rooker (Yondu), Pom Klementieff (Mantis), Sylvester Stallone, além de outros.

Os ingressos ainda estão sendo vendidos antecipadamente no site ingresso.com. A previsão é de que o filme arrecade US$ 100 milhões só neste fim de semana. Pode ser considerado muito já que o filme só estreia no dia 5 de maio nos Estados Unidos.

Confira o trailer:

 


Postado em 06/04/2017 às 20:16 0

Começou a pré-venda de ingressos para Guardiões da Galáxia Vol. 2



Divulgação

Rocket e Baby Groot em Guardiões da Galáxia Vol. 2

A Marvel iniciou a pré-venda de ingressos para um dos filmes mais esperados do ano: Guardiões da Galáxia Vol. 2. Pré-estreia está marcada para o dia 27 de abril no país, uma semana antes dos Estados Unidos.

Considerados por muitos fãs como o melhor filme da editora até o momento, o primeiro Guardiões da Galáxia, que foi lançado em 2014, fez mais de US$ 773 milhões no mundo. Com sua comédia pastelão, visual incrível e uma trilha sonora perfeita, James Gunn, que também é diretor da continuação, tirou os heróis considerados classe B e tornou-os como os principais nomes da Marvel.

No Volume 2, agora já conhecidos como os Guardiões da Galáxia, os guerreiros viajam ao longo do cosmos e lutam para manter sua nova família unida. Enquanto isso tentam desvendar os mistérios da verdadeira paternidade de Peter Quill (Chris Pratt).

 

Você não vai perder isso, vai? :O

 

Voltam ao elenco Dave Bautista (Drax), Zoe Saldana (Gamora), Rocket (Bradley Cooper), Michael Rooker (Yondu), Karen Gillan (Nebula) e Vin Diesel (Baby Groot). Além dos novos personagens Mantis (Pom Klementieff), Planeta Ego (Kurt Russel), Ayesha (Elizabeth Debicki). Sylvester Stallone também integra o cast, mas o papel dele na trama ainda é um mistério. James Gunn continua como diretor.

As compras podem ser feitas através do site Ingresso.com clicando aqui (caso ainda não haja sessões aguarde atualizações nos próximos dias). Não perca seu tempo, você pode ser um dos primeiros do mundo a assistir Guardiões da Galáxia Vol. 2 nos cinemas.

Confira o trailer:

 

 


Postado em 04/04/2017 às 13:28 0

Crítica: Ghost in the Shell é mais que um filme bonito, mas peca na intensidade



Divulgação

Scarlett Johansson é Major em Ghost in the Shell

Uma das modas em Hollywood atualmente é adaptar livros de grandes sucessos para abranger cada vez mais público. Muitas das vezes o produto funciona, assim como Jogos Vorazes e Harry Potter, e muitas vezes não, assim como a saga Divergente. Na quinta-feira, 30, estreou outro filme baseado na literatura cyberpunk japonesa: A Vigilante do Amanhã – Ghost in the Shell, e o resultado é satisfatório.

Primeiramente, a literatura já havia sido adaptada para animes, seja ela em longa-metragem ou em série, para aí sim finalmente ganhar as telonas em live-action. Ela mostra a história de Major, que teve seu cérebro transplantado para um corpo inteiramente construído pela Hanka Corporation. Considerada o futuro da empresa, Major logo é inserida na Seção 9, um departamento da polícia local. Lá ela passa a combater o crime, sob o comando de Aramaki (Takeshi Kitano) e tendo Batou (Pilou Asbaek) como parceiro. Só que, em meio à investigação sobre o assassinato de executivos da Hanka, ela começa a perceber certas falhas em sua programação que a fazem ter vislumbres do passado quando era inteiramente humana.

A trama de Ghost in the Shell é bem interessante e bem traduzido nas telonas. Há sim algumas falhas de continuação e cenas poucos intensas, como o encontro dela com a mãe. Porém, para quem não conhecia o anime o filme não deixa a desejar. O visual imersivo com arquiteturas icônicas e o 3D bem executado é um deleite para os cinéfilos. Claramente será um dos candidatos ao Oscar de Melhores Efeitos Visuais.

 

 

Certamente Johansson tomaria conta da maior parte do tempo do filme, não apenas por ser a personagem principal, mas principalmente por ser a atriz que carregaria o filme nas costas. Talvez um erro capital da produção. Apesar de ser uma ótima atriz, o protagonismo exacerbado atrapalhou seu progresso. Batou (Pilou Asbaek) se mostrou ser bem interessante e misterioso, o que caberia mais tempo de tela para ele. No anime, Batou é peça fundamental na evolução de Major e no longa ele é apenas mais um parceiro.

A bizarrice dos anos 2029 é extremamente interessante e chama o público para acompanhar mais de perto. Sem falar no anti-herói, digamos assim, Kuze (Michael Pitt), que apresentou uma filosofia sobre quem é realmente o verdadeiro vilão da história. As falhas são poucas, mas bastante explícitas.

Um dos aspectos que mais chama atenção é a trilha sonora da dupla Clint Mansell (As Aventuras de Pi) e Lorne Balfe (Lego: Batman). Acompanhando a tecnologia do fturo e toda a sua bizarrice, a trilha cabe perfeitamente ao filme, além de provocar arrepios em certas cenas de ação, como o “renascimento” de Major no começo, a do corredor escuro no esgoto ou quando ela está imersa em um rio.

Ghost in the Shell deixou um gostinho de quero mais. A Sony promete uma trilogia, veremos o desenrolar da história. Um filme mais para adultos seria bem-vindo, devido à violência apresentadas na literatura e no anime. Mesmo assim, é um ótimo entretenimento para quem quer passar o tempo no cinema.

Bom

 

Confira o trailer final de A Vigilante do Amanhã - Ghost in the Shell:

 

 

Leia mais: Conheça mais sobre Ghost in the Shell, filme que estreia nesta quinta-feira


Postado em 29/03/2017 às 16:54 0

Conheça mais sobre Ghost in the Shell, filme que estreia nesta quinta-feira



Divulgação

Scarlett Johansson é Major

O mês de março foi altamente produtivo para o cinema e para os fãs de cinema em todo o mundo e, para finalizar o mês, estreia nesta quinta-feira, 30, um dos filmes mais aguardados pelo público. Trata-se de A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell.

Muita gente não sabe, mas o filme vai adaptar um dos animes e mangás japonês mais conhecidos do mundo de mesmo nome. As histórias das obras originais de Masamune Shirow foram lançadas entre maio de 1989 e setembro de 1991. No Brasil, o mangá só foi lançado em 2016 para promover o longa.

A obra literária cyberpunk se passa em 2029, onde o mundo se tornou um local altamente informatizado, a ponto dos seres humanos poderem acessar extensas redes de informações com seu cyber-cérebros. A agente cibernética Major Motoko Kusanagi é a líder da unidade de serviço secreto Esquadrão Shell, mais conhecido como Seção 9, responsável por combater o crime. Motoko foi tão modificada que quase todo seu corpo já é robótico. De humano só teria sobrado um fantasma de si mesma. Apesar das Inteligências Artificiais ainda serem limitadas e até fáceis de serem discernidas do mundo humano, nada assegura o seqüestro das pessoas e o pior, o roubo de seus pensamentos e memórias.

Para saber bem mais sobre a história, vale dar uma lida no blog Aosugo. Nele, o autor traz todas as informações e o que a obra procura retratar. Para ler, basta clicar aqui.

 

Major em live-action e no anime

 

Além do mangá, dois filmes em animações já foram aos cinemas japoneses. O primeiro, intitulado apenas de Ghost in the Shell, foi lançado em 1996 e o segundo intitulado de Ghost in the Shell: Innocence saiu em 2004, ambos dirigidos pelo diretor Mamoru Oshii. Uma série chamada Ghost in the Shell: Stand Alone Complex, que também é em animação, foi lançada em 2002. Em 2013, uma nova série de filmes de animação nomeada Ghost in the Shell Arise - Border teve inicio, sendo finalizada com 4 filmes em setembro de 2014 para dar lugar à nova série: Ghost In The Shell Arise - Alternative Architecture, que estreou em abril de 2015.

No live-action, Scarlett Johansson vive a Major. A equipe de produção do longa já trabalhou em diversas obras da série e a fidelidade ao material original deve ser mantido. Além de um enredo forte, o visual de Ghost in the Shell é simplesmente incrível. Nos trailers apresentados até o momento, tudo até o momento se mostrou impecável, bem parecido com o primeiro Blade Runner.

Além de Johansson, o elenco conta com Pilou Asbaek (Batou) e Takeshi Kitano (Daisuke Aramaki), Juliette Binoche (Dr. Ouelet). A Vigilante do Amanhã estreia em todo o Brasil nesta quinta-feira, 30. O blog recomenda.

 

 

Siga-me também pelo Instagram através do @blogdobrunolevy

Confira o trailer:

 

 


Postado em 28/03/2017 às 12:43 0

O gênero de filme de super-heróis está longe de saturar; entenda o porquê



Ilustração

Super-heróis

Desde o ano 2000, no início do terceiro milênio, são lançados com frequência filmes de super-heróis no cinema. De lá para cá, já foram lançados 79 títulos do gênero, onde mais da metade foram sucessos de bilheteria em todo o mundo. Estamos falando de algo que o western foi no cinema durante 70 anos.

Cada vez mais que críticos, diretores, atores e a imprensa fala que há uma saturação no gênero, novos filmes são lançados. Isso acontece porque o público ama o gênero, assim como o público da década de 60 amou o gênero western. Mas há um pequeno detalhe que diferencia ambos os tipos de produções.

Os filmes de heróis conseguem trazer os principais gêneros como comédia, terror, ação, drama e outros para uma categoria abaixo dela, ou seja, o gênero de super-herói é algo “ainda maior” que o restante das outras ou até igualável, já que ela consegue trazer para si características que ajudam na trama.

 

 

Um bom exemplo é a comparação entre Guardiões da Galáxia e Logan. Enquanto o primeiro filme utiliza-se de piadas e de uma comédia para entreter os quatro pilares de público (homens, mulheres, crianças e idosos), o filme do Logan tem uma carga mais dramática, para maiores de 18 anos, sendo mais violento e brutal. Tira-se disso a ideia de que o gênero se renova a cada filme, o que atrai os olhares de quem curte.

Enquanto os filmes da Marvel/Disney têm um tom mais colorido, mais leve e mais alegre, o tom da DC/Warner é mais explosivo, sombrio, ousado. São perfis diferentes, mas que abrangem determinados tipos de públicos, criando a renovação e mantendo o gênero entre os mais preferidos dos cinéfilos, apesar da crítica ver isso com maus olhos.

É inegável também o sucesso de bilheteria a cada filme de herói lançado. Por ano, são lançados em média quatro blockbusters, onde juntos arrecadam no mínimo mais de um bilhão de dólares. Em 2016, o ano em que foram lançados mais filmes de super-heróis, sendo seis no total, arrecadaram aproximadamente US$ 4.777.000,00. Sim, isso mesmo, seis longas foram responsáveis por arrecadar mais de quatro bilhões e meio de dólares em apenas um ano (confira a bilheteria individual de Deadpool, Batman v Superman: A Origem da Justiça, Capitão América: Guerra Civil, X-Men: Apocalypse, Esquadrão Suicida e Doutor Estranho).

 

 

Além disso, estão programados mais de 20 filmes do gênero até 2020. Então prepare seu bat-cartão, compre pipoca e vá curtir o “Western do século XXI”.

Siga-me no instagram pelo @blogdobrunolevy