Tem dúvidas? Saiba se você tem direito ou não a meia-entrada no cinema

Ilustração B1fa5259 e62c 4bb4 a7a8 3dd9d108b619 Sabia que há muitos direitos para meia-entrada?

Chegamos no sábado e, como de costume, queremos aproveitar aquele dia de folga saindo de casa. Daí então aquele filme que você curte está em cartaz, mas não pretende gastar muito, já que o ingresso da inteira acaba sendo muito caro aos fins de semanas. Entretanto, você pode ter direito de meia-entrada e ainda não saiba.

Pensando nisso, preparei um guia completo com os direitos que você, leitor, tem para obter os 50% de desconto no cinema:

 

 

 

Estudante

Acredito ser de conhecimento da maioria que todo estudante tem o direito a 50% de desconto no cinema, a qualquer sessão e em qualquer sala. Para obter a meia-entrada, o estudante deve apresentar no ato da compra ou na hora de entrar na sessão um comprovante de que é estudante: seja em documento disponibilizado pela instituição ou com a famosa carteirinha de estudante.

 

 

Carteirinha de ônibus escolar

Este aqui poucos podem saber, mas a carteirinha de ônibus de estudante também pode ser usada como comprovante. Basta apresentar a carteirinha juntamente com um comprovante de recarga de qualquer quantia realizado nos três últimos meses mais o RG original.

 

 

Professor da rede pública ou privada

Professores também possuem desconto na hora de comprar o ingresso de cinema. Assim como qualquer estudante, o professor pode adquirir a meia-entrada apenas com a comprovação através da carteira funcional emitida pela Secretaria de Estado da Educação (SEE), ou pela apresentação do respectivo contracheque ou pela apresentação da carteira de filiado ao sindicato dos professores da rede privada e pública.

Mas olha só, a lei não é para todo o país. Confira se seu estado dispôs o direito à sua profissão. Em Alagoas, o direto é assegurado.

 

 

Idosos

De acordo com o Estatuto do Idoso, de Lei Federal no. 10741/2003, as pessoas com idade igual ou superior a 60 anos tem direito à Meia-Entrada para eventos artísticos e de lazer. Para comprovar o benefício, o idoso deve apresentar qualquer documento original com foto no ato da compra. Se a compra for feita pela internet não há problema, basta apresentar o mesmo documento na hora de entrar na sessão.

 

 

Identidade Jovem

Criado em 2015 pela até então presidente Dilma Rousseff, a Identidade Jovem vai beneficiar jovens que possuem idade entre 15 e 29 anos com renda familiar de até dois salários mínimos e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) com um sistema de identificação exclusivo para garantia de meia-entrada em eventos artístico-culturais e esportivos.

Caso ainda não possua essa identificação siga estes passos: com o NIS (Número de Identificação Social), acesse o site da ID Jovem, preencha os dados que forem solicitados e gere seu cartão. Para utilizar, imprima a imagem do cartão e a apresente no momento da aquisição do bilhete ou ingresso acompanhada de documento oficial com foto ou também basta fazer o download do APP da ID Jovem, preencher o seu NIS e os dados cadastrais solicitados e gerar o cartão virtual da ID Jovem, precisando apenas apresentar a imagem do cartão dentro da validade na tela de seu celular no momento da aquisição do bilhete ou ingresso acompanhada de documento oficial com foto.

Lembrando que este cartão tem validade apenas para 180 dias, sendo necessário renovar após a data-limite.

 

 

Pessoas com deficiência

O Governo Federal assegura o direito também às pessoas com deficiência, inclusive seu acompanhante quando necessário, sendo que este terá idêntico benefício no evento em que comprove estar nesta condição, na forma do regulamento.

Caso a empresa de cinema não aceite seu direito como consumidor, entre em contato com o Procon do seu estado para fazer a reclamação. Para conferir detalhadamente sobre a lei da meia entrada clique aqui. Se ainda tiver dúvidas, ligue para a central do seu cinema favorito.

 

 

Bom filme!

 

Siga-me no Instagram: @cinexmania

Siga-me no twitter: @bruno_levy92

Chiwetel Ejiofor dará a voz ao vilão Scar em live-action de Rei Leão

Ilustração 7a52ab1d 095c 4bdc 84ec 2946d5caab59 Chiwetel Ejiofor será Scar em Rei Leão

Chiwetel Ejiofor dará a voz ao vilão Scar em Rei Leão, nova adaptação da Disney que deve estrear apenas em 2019. A informação é do site Hollywood Reporter.

Chiwetel trabalhou recentemente no filme do Doutor Estranho como Barão Mordo, antes aliado e futuro vilão do doutor Stephen Strange.

Há algumas semanas surgiu um boato de que Hugh Jackman seria o ator responsável por dar vida ao Scar, mas a informação foi desmentida pela Disney.

Dragon Ball Super ganha trailer dublado no Cartoon Network

Ilustração 29ca04d5 cf7e 4958 af43 c37842c22787 Dragon Ball Super

Depois de mais de cem episódios desde que estreou em 2015 na tv japonesa, finalmente o anime Dragon Ball Super será exibido totalmente dublado pelas vozes originais no canal pago Cartoon Network. E, para divulgar a notícia, o desenho ganhou um comercialtrailer dublado pela voz de Wendell Bezerra, o Goku.

 

 

 

 

O anúncio de que o anime iria ser dublado pelas vozes originais da saga Dragon Ball Z, que foi finalizado em 1996, partiu do próprio Wendell Bezerra no canal dele no YouTube (para conferir clique aqui). Na época, a dublagem já estava em fase de produção.

A estreia de Dragon Ball Super está marcada para o dia 5 de agosto, a partir das 17h, com quatro episódios seguidos, com reprise às 23h. Já a exibição regular acontecerá todos os dias, de segunda à sábado, às 23h. Também haverá reprises todos os dias, às 15h30.

Wendel Bezerra dirigiu a dublagem dos oito primeiros episódios da saga, Wellington Lima, a voz de Majin Boo, também está dirigindo alguns capítulos. Atualmente, o anime já está no episódio 101. Akira Toryama, responsável por todas as sagas de Dragon Ball (exceto o GT), é o roteirista e designer das personagens.

 

Siga-me no Instagram: @cinexmania

Siga-me no Twitter: @bruno_levy92

 

Homem-Aranha "flopou"? Veja seis motivos que confirmam o fiasco

Divulgação 59049bee adce 47f6 ad83 d010e0a9f2e3 Homem-Aranha: De Volta ao Lar

Homem-Aranha: De Volta ao Lar estreou no início e julho cheio de incertezas e dúvidas quanto ao novo Peter Parker Porém, mesmo com todas estas incertezas se Tom Holland seria um bom Peter e também um bom Homem-Aranha por parte do público, a Marvel esperava um sucesso estrondoso que infelizmente não se concretizou. Por isso, neste post, tentarei explicar os motivos que levou o novo filme do teioso ser considerado por muitos (e por mim) um flop*!

 

 

 

1 - Queda de bilheteria na segunda semana

Antes de tudo, quero deixar claro que a bilheteria até o momento de US$ 633 milhões de dólares não é nada mal e está longe de ser um número ruim em hollywood. Mesmo assim, o filme pode ser considerado um flop por este primeiro fator: a queda de bilheteria na segunda semana. Spider-man estreou muito bem e ainda segue bem na bilheteria doméstica americana, enquanto no resto do mundo cada vez mais ele vem perdendo fôlego.

 

 

Para se ter ideia, é comum grandes produções perderem bastante público na segunda semana de exibição, sendo algo girando em torno de 30 a 45%, o que é considerado aceitável (Mulher Maravilha, por exemplo, teve uma queda de 43%). De Volta ao Lar apresentou uma queda absurda de 62%, ou seja, mais da metade da renda da primeira semana foi perdida, coisa que não se via desde Batman vs Superman, lançado no ano passado e que perdeu 69% do público.

Em números, o cabeça de teia conseguiu arrecadar mais de US$ 177 milhões no fim de semana de estreia, mas na segunda semana conseguiu obter “apenas” US$ 44 milhões. A perda da fatia foi bem grande.

 

2 - Planeta dos Macacos: A Guerra

 

 

Ao contrário do Brasil, o último filme da trilogia Planeta dos Macacos já foi lançado em solo americano exatamente a uma semana depois de Homem-Aranha. Sendo aquele um concorrente fortíssimo e já ser um longa solidificado no cinema, logo na estreia conseguiu tomar o posto de maior bilheteria do fim de semana, deixando Peter Parker em segundo lugar. Isso pode ser considerado uma má notícia, já que a marca da Marvel também é bastante consolidada no cinema e não teve fôlego bastante para se manter no topo.

 

3 - Trailers

 

 

Ah os malditos trailers entregadores de tudo! Ainda me pergunto o porquê das grandes empresas de cinema e de distribuição ainda seguem entregando os principais plots twist** de cara nos trailers, estragando a surpresa de quem quer ver tudo na sala do cinema. Muitos acreditam que o motivo de muita gente ter desistido de ir ao cinema curtir homem-aranha foi o conteúdo excessivo das principais reviravoltas do filme nos trailers divulgados pela Marvel e pela Sony.

 

4 - Robert Downey Jr.

 

 

Ok, Downey Jr. não esteve presente em todo o filme para ofuscar o personagem principal de Tom Holland, porém vale lembrar que o ator participou de absolutamente todas as peças publicitárias do novo longa do Homem-Aranha, o que fez o público acreditar que a presença de Robert seria constante em toda a trama. Para quem não sabe, o acordo entre Marvel e Sony fez com que o Homem de Ferro estivesse em De Volta ao Lar, mas o tiro saiu pela culatra e todo o apelo publicitário em cima do herói pode não ter dado certo.

 

5 – Fórmula Marvel

 

 

A fórmula Marvel de fazer cinema é aquela que atinge os quatro pilares do público: homens, mulheres, crianças e idosos, ou seja, a empresa tem que fazer um filme em que todos os gêneros e idades gostem de assistir e, a melhor maneira de fazer isso, foi enchendo os longas de super-heróis da editora com humor, ação e bons diálogos.

A má notícia é que a fórmula já vem sendo usada há nove anos repetidamente em mais de vinte filmes lançados até o momento, o que pode ter provocado uma reação contrária àquilo que o público esperava no novo homem-aranha, fora, é claro, à saturação dessa fórmula.

 

6 - Saturação do herói

 

 

De longe, essa é a menor probabilidade de ter enfraquecido a bilheteria do filme. Todos sabemos que o Homem-Aranha já foi interpretado por três atores diferentes: Tobey Maguire, Andrew Garfield e, agora, Tom Holland. Na versão de Sam Raimi, em que Parker era interpretado por Tobey, a trilogia foi bem aceita pelo público e são detentores das maiores bilheterias do teioso até os dias de hoje.

O problema realmente teve início a partir do momento em que Andrew Garfield se tornou o herói  em “O Espetacular Homem-Aranha”, num reboot inesperado (e desnecessário) de 2012. Problemático, deturpado e cheio de furos, o longa não agradou, apesar de ainda ter feito bons números de bilheteria. O pior é que a sequência ainda conseguiu ser mais desprezível que a primeira, o que deve ter provocado uma certa desconfiança de Tom Holland (no meu caso, eu gostei bastante do ator como o herói).

Mesmo pensando dessa forma, já tivemos cinco Batmans e o personagem segue firme e forte nas telonas, o que não poderia fazer sentido se tratando do cabeça de teia.

Enfim, flop ou não, Homem-Aranha: De Volta ao Lar segue em exibição nos cinemas. O que você achou desse post? Concorda com o que foi dito? Comente nas redes sociais.

 

Siga-me no Instagram: @brunolevycos

Siga-me no Twitter: @bruno_levy92

 

Dicionário nerd:

*Flop: é um termo comum da língua inglesa, que significa “fiasco” ou “fracasso”, na língua portuguesa.

** Plots twist: termo inventado na internet para reviravoltas, em português.

Tenso e incrível, Nolan acerta em cheio com o brilhante Dunkirk; confira a crítica

C4ade014 89d3 4278 be6c 3df3c33bbb08

Os filmes de guerra são retratados sempre de tal forma que nos conectemos com alguns personagens para sentirmos atraídos pela causa. Em Dunkirk, Cristopher Nolan reinventa este paradigma e nos traz a guerra nua e crua, onde as palavras não precisam ter apelo emocional. É a história quem sai por cima.

A trama retrata os 400 mil soldados aliados em uma operação denominada de Dínamo que foram evacuados sob intenso bombardeio da cidade francesa de Dunquerque até a cidade inglesa de Dover. Um desastre decorrente da invasão da França pelas forças nazistas em 10 de Maio de 1940, que avançou rapidamente devido à falta de efetiva resistência aliada. Sendo cercados e pressionados pelos alemães, a intenção inicial era evacuar cerca de 45 mil homens da Força Expedicionária Britânica em dois dias, mas, logo depois, o objetivo foi alterado para resgatar 120 mil homens em cinco dias. Civis de países e cidades vizinhas de Dunquerque foram convocados para resgatar os soldados. No total, mais de 300 mil homens foram salvos.

Um dos aspectos que chama mais atenção é que Christopher Nolan define um conto de narrativa não linear, em três núcleos distintos, o molhe, o ar e o mar, onde todos acabam se conectando de forma inteligente e clara a quem assiste. Mais que isso, Dunkirk não precisou do apelo “pornográfico” da guerra como nos filmes de Mel Gibson, onde tripas, pedaços de corpos e a espetacularização das explosões são tratadas como pirotecnia (não que isso tudo seja ruim, muito pelo contrário).

Nolan e Hans Zimmer, compositor da trilha sonora, formam um casamento perfeito e conseguiram chegar ao ápice em Dnkirk. É a real e pura experiência de assistir ao filme no cinema. A qualidade da mixagem de som, o real barulho das aeronaves sobrevoando por nossas cabeças, os tiros, as bombas explodindo a seco nos navios, na água e na terra são tão fortes que faziam nos sentir como se estivéssemos dentro do filme. A tensão está sempre presente.

 

 

E não é só o som das explosões e dos tiros que nos deixa apreensivos, a trilha de Hans e a tensão de perigo está sempre ali nos fazendo mexer as pernas involuntariamente. Assim como em “A Origem”, Nolan triplicou sua forma de deixar o espectador tenso, principalmente com as cenas de afogamento, presentes em todos os atos. A trilha de Zimmer também segue a premissa da Origem, com músicas inacabadas, trazendo a sensação que aquilo nunca vai terminar.

Por fim, Nolan não fez o seu melhor filme (prefiro A Origem), mas preparou uma obra de arte com uma das melhores fotografias que vi até hoje. O tempo reduzido de uma hora e meia de duração deixou a desejar, talvez pelo uso da tecnologia Imax que encareceu demais a produção. Mesmo assim, Dunkirk merece reconhecimento, pois ele pode ser vanguardista de uma mudança drástica de filmes de guerra.

Excelente

 

Confira o guia com os filmes mais esperados até o fim do ano

Divulgação 576dae4f 78f7 4e42 a29b bd8fb35faffd Planeta dos Macacos: A Guerra estreia na próxima semana

Já estamos no mês de julho, o tempo está passando bem rápido e, pensando nisso, é hora de relembrar os principais filmes que ainda vão estrear nos cinemas brasileiros até o fim de dezembro. São grandes sucessos, desde Planeta dos Macacos até Star Wars, passando por Liga da Justiça, thor: Ragnarok, o terror de It: A Coisa, e tantos outros. Confira os filmes que o blog recomenda para você, querido leitor, curtir os próximos fins de semana:

 

 

 

Planeta dos Macacos: A Guerra (03/08/2017)

César e seu grupo são forçados a entrar em uma guerra contra um exército de soldados liderados por um impiedoso coronel. Depois que vários macacos perdem suas vidas no conflito, César luta contra seus instintos e parte em busca de vingança. Dessa jornada, o futuro do planeta poderá estar em jogo.

 

 

 

Valerian e a Cidade dos Mil Planetas (10/08/2017)

 

Século XXVIII. Valérian (Dane DeHaan) é um agente viajante do tempo e do espaço que luta ao lado da parceira Laureline (Cara Delevingne), por quem é apaixonado, em defesa da Terra e seus planetas aliados, continuamente atacados por bandidos intergaláticos. Quando chegam no planeta Alpha, eles precisarão acabar com uma operação comandada por grandes forças que deseja destruir os sonhos e as vidas dos dezessete milhões de habitantes do planeta.

 

 

 

Annabelle 2 – A Criação do Mal (17/08/2017)

 

Anos após a trágica morte de sua filha, um habilidoso artesão de bonecas e sua esposa decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira e dezenas de meninas desalojadas de um orfanato. Atormentado pelas lembranças traumáticas, o casal ainda precisa lidar com um amedrontador demônio do passado: Annabelle, criação do artesão.

 

 

 

A Torre Negra (24/08/2017)

 

Baseada na obra literária homônima do mestre Stephen King, a adaptação conta a história de um pistoleiro chamado Roland Deschain (Idris Elba), que percorre o mundo em busca da famosa Torre Negra, prédio mágico que está prestes a desaparecer. Essa busca envolve uma intensa perseguição ao poderoso Homem de Preto (Matthew McConaughey), passagens entre tempos diferentes, encontros intensos e confusões entre o real e o imaginário.

 

 

 

Atômica (31/08/2017)

 

Lorraine Broughton (Charlize Theron), uma agente disfarçada do MI6, é enviada para Berlim durante a Guerra Fria para investigar o assassinato de um oficial e recuperar uma lista perdida de agentes duplos. Ao lado de David Percival (James McAvoy), chefe da localidade, a assassina brutal usará todas as suas habilidades nesse confronto de espiões.

 

 

 

It – A Coisa (07/09/2017)

 

Em mais uma adaptação da obra literária homônima de Stephen King, um grupo de sete adolescentes de Derry, uma cidade no Maine, formam o auto-intitulado "Loosers Club" - o clube dos perdedores. A pacata rotina da cidade é abalada quando crianças começam a desaparecer e tudo o que pode ser encontrado delas são partes de seus corpos. Logo, os integrantes do "Loosers Club" (Clube dos Perdedores) acabam ficando face a face com o responsável pelos crimes: o palhaço Pennywise. TRAILER NOVO!

 

 

 

Kingsman: O Círculo Dourado (28/09/2017)

 

A sequência do sucesso Kingsman mostra um grandioso ataque que destrói o quartel-general dos agentes, obrigando Eggsy (Taron Egerton), Merlin (Mark Strong) e CIA a unirem forças com o equivalente estadunidense da agência, os Statesman. Britânicos e norte-americanos ignoram as diferenças em defesa do mundo, ameaçado pelos planos da vilã Poppy (Julianne Moore).

 

 

 

Blade Runner 2049 (05/10/2017)

 

Trinta anos após os acontecimentos do primeiro filme, a humanidade está novamente ameaçada, e dessa vez o perigo pode ser ainda maior. Isso porque o novato oficial K (Ryan Gosling), desenterrou um terrível segredo que tem o potencial de mergulhar a sociedade no completo caos. A descoberta acaba levando-o a uma busca frenética por Rick Deckard (Harrison Ford), desaparecido há 30 anos.

 

 

 

Battle of the Sexes (Batalha dos Sexos, em tradução livre) – (12/10/2017)

 

Uma disputa de tênis entre o ex-campeão Bobby Riggs (Steve Carell) e a líder da classificação mundial Billie Jean King (Emma Stone) se torna centro de um debate global sobre igualdade de gêneros. Presos sob a atenção da mídia e com ideologias diferentes, Riggs tenta reviver as glórias do passado, enquanto King questiona sua sexualidade e luta pelos direitos das mulheres.

 

 

 

Thor: Ragnarok (26/10/2017)

 

Thor (Chris Hemsworth) está preso do outro lado do universo. Ele precisa correr contra o tempo para voltar a Asgard e parar Ragnarok, a destruição de seu mundo, que está nas mãos da poderosa e implacável vilã Hela (Cate Blanchett).

 

 

 

Boneco de Neve (02/11/2017)

 

Quando uma mulher desaparece, a única pista deixada para trás é um cachecol rosa encontrado envolta de um estranho boneco de neve. O detetive Harry Hole (Michael Fassbender) começa suas investigações e percebe que o crime parece obra de um serial killer.

 

 

 

Liga da Justiça (16/11/2017)

 

Impulsionado pela restauração de sua fé na humanidade e inspirado pelo ato altruísta do Superman (Henry Cavill), Bruce Wayne (Ben Affleck) convoca sua nova aliada Diana Prince (Gal Gadot) para o combate contra um inimigo ainda maior, recém-despertado. Juntos, Batman e Mulher-Maravilha buscam e recrutam com agilidade um time de meta-humanos, mas mesmo com a formação da liga de heróis sem precedentes - Batman, Mulher-Maraviha, Aquaman (Jason Momoa), Cyborg (Ray Fisher) e The Flash (Ezra Miller) -, poderá ser tarde demais para salvar o planeta de um catastrófico ataque.

 

 

 

Star Wars: Os Últimos Jedi (14/12/2017)

 

Após encontrar o mítico e recluso Luke Skywalker (Mark Hammil) em uma ilha isolada, a jovem Rey (Daisy Ridley) busca entender o balanço da Força a partir dos ensinamentos do mestre jedi. Paralelamente, o Primeiro Império de Kylo Ren (Adam Driver) se reorganiza para enfrentar a Aliança Rebelde.

 

 

Gostou da lista? Pretende assistir a todos os filmes? Comente quais estão faltando e quais são os mais espeados por você até o fim do ano.

Me segue no instagram: @blogdobrunolevy

Também no Twitter: @bruno_levy92

Sério concorrente ao Oscar, Dunkirk estreia nesta quinta

Divulgação 3a80fe24 081f 469e 8ba0 e4dc29ab4d6a Dunkirk

Já aclamado pela crítica e tido como um dos francos favoritos a concorrer ao Oscar em 2018, Dunkirk estreia nesta quinta-feira, 27, em todos os cinemas do país.

Dirigido por Christopher Nolan, um dos cineastas mais renomados de hollywood por filmes como A Origem, Batman: O Cavaleiro das Trevas e Interestelar, Dunkirk promete ser um filme de guerra diferente de todos os outros. Filmado totalmente em tecnologia IMAX e baseado em fatos, o longa vai mostrar uma operação denominada de Dinamo, quando em plena segunda guerra mundial (1940), cerca de 400 mil soldados foram evacuados sob intenso bombardeio da cidade francesa de Dunquerque até Denver, na Inglaterra. Para saber mais um pouco sobre a história, escrevi um pequeno resumo do ocorrido naquela época.

De acordo com as críticas divulgadas até o momento, Dunkirk pode ser considerado um sucesso, como também pelo público, já que o filme estreou em alguns países. O The Guardian classificou Dunkirk como o melhor filme de Nolan. Já o Chicago Sun-Times afirmou que este é o melhor filme de guerra da década.

Além de dirigir, Christopher Nolan produz e roteiriza o filme gravado no clássico 70mm, deixando de lado o cansativo 3D e a tecnologia digital. Anteriormente, ele queria que o longa fosse mudo, já imaginou como seria fantástico?

Estão no elenco Tom Hardy, Cillian Murphy, Mark Rylance, Kenneth Branagh, Jack Lowden e o cantor Harry Styles. A trilha sonora fica por conta de Hans Zimmer e a produção é da Warner Bros.

Confira o trailer:

 

Mulher-Maravilha já arrecadou US$ 23 milhões em bilheteria no Brasil

Divulgação 7ccaba32 b06e 4d00 a0ab d3b405cd43ae Mulher-Maravilha (2017)

O sucesso do primeiro filme da Mulher-Maravilha está rendendo bons frutos, tanto que uma das maiores surpresas é o Brasil que ultrapassou o Reino Unido no número total de bilheteria do, se tornando o segundo mercado mundial de arrecadação para o filme da heroína.

Não é nenhuma novidade que os filmes da DC Comics fazem tanto sucesso nos cinemas brasileiros. Segundo o site Box Office Mojo, o filme da amazona guerreira arrecadou pouco mais de US$ 23 milhões aqui no Brasil, enquanto o Reino Unido contabilizou US$ 20 milhões. Em primeiro lugar ficou a China com quase US$ 84 milhões, lembrando que a bilheteria doméstica dos Estados Unidos não é contabilizada neste caso.

Outro fator que vale comemoração é que em três semanas de exibição, Mulher-Maravilha arrecadou US$ 318 milhões só nos EUA, ultrapassando Batman vs Superman: A Origem da Justiça na bilheteria doméstica. No total, o longa fez quase US$ 654 milhões em todo o mundo.

Com o sucesso estrondoso, a sequência já está em pré-produção. Patty Jenkis volta para a direção após obter o recorde como a primeira diretora mulher a conquistar tanto dinheiro a frente de um filme. A atriz Gal Gadot também foi confirmada e volta como Diana Prince.

A ideia é trazer a amazona para os dias atuais, já que após a primeira guerra mundial ela se afastou por um século do mundo dos homens. Mulher-Maravilha segue em exibição em todos os cinemas do país. Depois disso, ela deve retornar em Liga da Justiça, que estreia dia 17 de novembro deste ano.

Annabelle está de volta e atormenta crianças em novo trailer

Divulgação 527be882 abd2 49a9 824d b00d21680176 Annabelle: A Criação do Mal

Após o grande sucesso que foi o primeiro filme de Annabelle, parece que a boneca demoníaca vem mais perigosa que antes no segundo filme intitulado “Annabelle: A Criação do Mal”.

Desta vez, a trama deve mostrar como a boneca ficou possuída antes dos acontecimentos do primeiro filme como sugere a sinopse: anos após a trágica morte de sua filha, um habilidoso artesão de bonecas e sua esposa decidem, por caridade, acolher em sua casa uma freira e dezenas de meninas desalojadas de um orfanato. Mesmo ainda atormentado com as lembranças da filha, o casal terá que lidar com um amedrontador demônio do passado: a boneca Annabelle, criação do próprio artesão.

O trailer, que é bastante intenso, revela diversos detalhes de como Annabelle se tornou real. Para quem ainda não conhece, a boneca realmente existe. O filme se passa no mesmo universo de Invocação do Mal, outra franquia de terror de grande sucesso. Fora da ficção, Annabelle está presa dentro de uma caixa de vidro na casa do casal Warren, demonologistas e exorcistas dos Estados Unidos. Se quiser saber mais sobre a real história da boneca, basta assistir a este vídeo produzido pelo Fantástico em novembro de 2013, antes da estreia do primeiro longa.

 

 

O elenco conta com Stephanie Sigman, Alicia Vela-Bailey e Miranda Otto. A direção é de David F. Sandberg (Quando as Luzes se Apagam) que conta com a produção de James Wan (Invocação do Mal 1 e 2). A estreia mundial está marcada para o dia 17 de agosto.

Confira o trailer:

 

 

Mulher-Maravilha laça os corações dos fãs no melhor filme da DCEU

Divulgação F7f96b3b d265 48c0 8a53 3c30f787ae7b Mulher-Maravilha

Os filmes do gênero de super-heróis mais que se consolidaram no mundo do cinema nos dias de hoje. Superman, Batman, Homem de Ferro, Homem-Aranha, Hulk, Thor. Todos eles já tiveram seu tempo de tela seja num filme de origem ou não, porém algo que estava faltando para estes tipos de filme era de uma super-heroína. Para isso, a DC lançou nada mais, nada menos que a maior heroína de todos os tempos: Mulher-Maravilha.

A tarefa era a mais difícil possível, principalmente pela protagonista se tratar de uma atriz desconhecida até Batman vs Superman: A Origem da Justiça. Contestada desde que foi anunciada como a Maravilha, principalmente (acreditem se quiser) pelo seu porte físico, Gal Gadot não ligou muito para as críticas e decidiu apenas trabalhar. Hoje, pudemos ver o quanto ela nasceu para ser a heroína.

A Warner finalmente deixou toda a produção do longa trabalhar e expor suas ideias, ao contrário do que fez com o massacrado Esquadrão Suicida. Patty Jenkis, diretora com poucos filmes no currículo, aceitou fazer Mulher-Maravilha de braços abertos mesmo sabendo se tratar de uma missão quase impossível. O resultado foi espetacular, nada menos que isso.

 

 

O filme inicia com a origem de Diana Prince ainda em Themiscira, terra das Amazonas. De forma leve e descontraída, belas imagens de fotografia e um excelente enredo inicial, a história das mulheres da ilha é contada. Steve Trevor, interpretado por Chris Pine, chega a terra das amazonas sob forte ataque alemão. Diana salva o soldado, uma guerra ocorre na praia e então ela decide ir ao encontro de Ares, o deus da guerra, e principal inimigo das amazonas.

Dali em diante a história se desenrola de um jeito incrível, sem cansar a mente de quem está assisto. Com um humor apimentado e na hora exata que não faz atrapalhar na hora que a coisa fica séria. Claramente a DC decidiu ouvir os fãs e atentar para a uma história mais esperançosa, mais para cima, diferentemente dos climas pesados de Batman vs Superman e Homem de Aço. Geoff Johns até comentou sobre isso em uma entrevista.

Gal Gadot se sentiu nos ares no papel da princesa amazona. Ela estava feliz e bastante satisfeita durante as filmagens e o filme fez transparecer isso. Carismática, linda e bastante onipotente, Gadot se tornou o símbolo de uma heroína que estava faltando num universo de heróis apenas masculinos. Ela não precisava de Trevor em nenhum momento, ela é independente, aguerrida e sabe o que quer. Mesmo assim, a química dos personagens, desde Pine, até os outros do pequeno “esquadrão suicida” da primeira guerra, estavam conexos.

 

 

Com um tom leve e ao mesmo tempo tenso, Jenkis disse que se baseou no Superman de 78 e em filmes de Indiana Jones. De fato, a essência estava lá presente em cada cena. Quem estava assistindo sentiu a esperança vindo da amazona, como se estivéssemos lendo as HQs da pré-crise da década de 90 frame por frame, sendo um acerto inegável da diretora.

A trilha sonora de Junkie LX complementa a obra de Jenkis, que não deixou a peteca cair em nenhum momento. Pode-se apostar desde já que Mulher-Maravilha é um forte concorrente ao Oscar de Melhor Figurino e Melhor Fotografia, mesmo com um 3D que escurecia bastante coisa, talvez o maior defeito dos filmes do gênero.

O único pecado, mas que não é algo que prejudicou a trama, foi o acontecimento final, onde precisava-se de mais corpo-a-corpo e mais um pouco de ação. Acho que seria pedir demais para mais uma obra do gênero. Mulher-Maravilha abriu portas para novidades no universo da DC/Warner, reanimou completamente o estúdio e, mais do que nunca, tornou-se mais um símbolo feminino que tanto precisamos nas telonas. Não é a toa que a aprovação está lá nas alturas, assim como nosso amor por toda a produção do filme.

 

Nota 10 - Excelente

 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com