Blog do Vilar
Blog do Vilar

Blogueiro do Cada Minuto

Postado em 09/01/2017 às 20:04 por Lula Vilar em Blog do Vilar 0

O governista que considerou injusto o aumento dos deputados pode se deparar com o veto do governador...




Por Lula Vilar

Foto: Arquivo/Cada Minuto

Assembleia Legislativa de Alagoas

No dia 28 de dezembro de 2016, a TV Gazeta fez uma matéria abordando o reajuste salarial que os deputados estaduais concederam a si mesmos em épocas de crise. Eles sairão do patamar de R$ 20 mil para receberem R$ 25 mil. A reportagem teve o teor crítico necessário, a meu ver.

Afinal, em tempos onde muitas categorias sequer conseguem repor as perdas inflacionárias, os parlamentares estaduais resolvem conceder tal aumento para eles mesmos. Critiquei também o assunto aqui neste blog.

Lembrei ainda que este é o mesmo parlamento que recentemente parcelou o salário atrasado de servidores alegando não poder pagar de uma única vez. Falei das pendências que possui com o funcionalismo da Casa de Tavares Bastos, dentre outras questões. Os textos estão no arquivo do blog.

Agora, na reportagem da TV Gazeta um fato me chamou atenção. Eu o repercuti nas redes sociais. O líder do governo, deputado estadual Ronaldo Medeiros (PMDB), foi procurado pelos jornalistas da emissora e disse que achava que a imprensa estava sendo “injusta” ao criticar o aumento auto-concedido dos deputados estaduais.

Como também critiquei, estive entre os “injustos”.

Lembrei a Medeiros que injusto são os servidores desta Casa ter seus salários atrasados divididos em parcelas que mais parecia um carnê das Casas Bahia, por exemplo. Que injusto é a mais alta casta do funcionalismo público – que se arroga o título de representante do povo – não entender que as críticas partem de grande parcela da sociedade revoltada com servidores privilegiados que podem conceder reajustes a si mesmos sem sequer avaliar o “custo-benefício” que representam.

Pois bem, quem também falou, no dia de hoje, 09, que tal reajuste pode ter algo de ilegal (imoral já é por si só) foi o governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB). O chefe do Executivo estadual já mandou avisar ao presidente da Casa, Luiz Dantas (PMDB), que pretende questionar a legalidade do ato do parlamento e, se tiver embasamento jurídico para tal, vai vetar. Estará sendo injusto também o governador, deputado estadual Ronaldo Medeiros? Perguntar não ofende.

Eis a fala de Renan Filho à Gazetaweb: "Ao que parece, neste momento, é que não há legalidade no aumento que foi dado. Talvez por outro caminho possa ser ofertado o reajuste, mas não por este que foi feito. Inclusive, já pedi para comunicar aos deputados e à Casa sobre o tema. É uma questão legal".

O governador se ateve a questão legal, mas mostrou uma argumentação coerente. Porém, questionar a moralidade do ato também é possível de ser feita, sobretudo pelo cidadão que é quem paga os salários dos parlamentares. Mesmo que isto não represente um “voltar atrás” ou “impedir o aumento”. É que o Legislativo é sustentado pelo contribuinte. Sendo assim, é seu dever ser crítico também.

Estou no twitter: @lulavilar


Deixe seu comentário

Os comentários são de inteira responsabilidade dos autores, não representando em qualquer instância a opinião do Cada Minuto ou de seus colaboradores. Para maiores informações, leia nossa política de privacidade.